sábado, 25 de outubro de 2008

O CASO ELOÁ - A Imprensa – Polícia e Crime Passional

Um namorado ciumento, imigrante pobre e com pouca educação, que se achava proprietário da mulher que não mais o queria, que tinha novo namorado, contando com a cumplicidade da amiga, colega de escola. Nos tempos modernos, onde o orkut é uma extensão dos contatos e da sensualidade, os corpos são colocados como numa vitrine de carne virtual, capaz de excitar o mais tímido dos impotentes, onde a ética imposta é aquela das novelas, onde tudo acontece como cada um queria que acontecesse de bom para si e não deseja que o mesmo aconteça com alguém da sua família: A REALIDADE VIRTUAL DA TV X A REALIDADE REAL DO DIA-A-DIA DE CADA UM. Para completar uma imprensa que transformou o desastre em show, a tragédia em meio para o lucro e para completar uma polícia mal paga, mal treinada, sem condições adequadas de trabalho. EIS OS INGREDIENTES QUE NÃO PODEM FALTAR A UMA TRAGÉDIA PREVISÍVEL.

A IMPRENSA: A cobertura do caso não está ligada ao direito à informação, nem à formação para cidadania. Porém ao mais barato sensacionalismo, numa novela escrita ao longo da cobertura, onde o NAMORADO LOUCO E POSSESSIVO faz parte do espetáculo, conduzido e tangido pelas entrevistas, acreditando que tinha algum poder, quando não passava de um peão no grande jogo de xadrez. A novela residia nos seguintes impasses: Vai matar ou não vai matar ! A polícia vai invadir ou não vai invadir ! O que fará o traído ?

O assassino, o pobre namorado, a burra coleguinha de sala de aula, com apelido de barbie, que no Orkut criou a comunidade das “glamourosas”, escrevendo um português de analfabeto, mostrando a péssima qualidade da educação nesse país, não passaram de uma boiada conduzida pela imprensa vaqueira, para os grandes currais de audiência, onde estão os milhões de espectadores atrás do tubo luminoso, loucos para comprar os produtos anunciados e não podem. Tão vibrantes com a violência quanto aqueles que freqüentavam o Coliseu na antiga Roma. SÓ FALTOU SAIR SANGUE DA TV.

O primeiro estágio da audiência: O CÁRCERE PRIVADO; o segundo estágio da audiência: HOUVE OU NÃO O TIRO CAUSADOR DA INVASÃO TRAGICÔMICA ? O terceiro estágio da audiência: ELOÁ VAI OU NÃO SOBREVIVER ? O quarto estágio da audiência: OS ÓRGÃOS SERÃO DOADOS ? O quinto estágio da audiência televisiva: COMO FICARÁ NAIARA APÓS O TIRO, QUANDO IRÁ DEPOR ??? O sexto estágio mostrando OS BENEFICIÁRIOS DOS ÓRGÃOS DOADOS. De quebra, a realidade sendo mais criativa que a imaginação: a novela do Pai de Eloá, assassino foragido, que antes fazia parte da mesma polícia incompetente pelas razões expostas acima.

APARENTE MORAL DA HISTÓRIA PARA OS TOLOS: Faça o bem e ninguém nunca o aplaudirá. SEQÜESTRE A NAMORADA QUE O TRAIU OU UMA ESCOLA CHEIA DE CRIANCINHAS VOCÊ SERÁ UMA ESTRELA NACIONAL. Se for uma mulher bonita ainda pousará para Playboy. Um big brother sem necessidade de seleção.

A POLÍCIA: Uma das mais mal pagas do Brasil. Sem equipamento. No quarto vizinho ao apartamento do assassino escutava o sons ali produzidos com o auxílio de um copo encostado na parede. Polícia também pobre, cujos policiais não tiveram acesso à educação, sem condições adequadas de trabalho, ultimamente cassada nas ruas pelo PCC. Estava assim anunciado que só lhe restaria ser ator coadjuvante do triste espetáculo. Como Ofélia em Hamlet. Um desastre !

CRIME PASSIONAL: O assassino vítima do despreparo, da falta de maturidade, que se achava o vingador de todos os homens traídos, possessivo, machista e tolo. Na cadeia ! Como deve terminar todos os maus. Não é assim na novela ? Não poderia ser diferente ! Mas o que cada um, a sociedade e os governantes têm a ver com tal roteiro ? Ninguém questionou. Os psiquiatras, os psicólogos, os especialistas, os peritos, os novos Freuds... Tanta teoria. Uma cachoeira de asneiras. Deviam ser capazes de ter teorias pra evitar, não pra explicar o que está na cara e é fácil de entender ! Na novela televisiva o grande vilão. PAPEL QUE ACEITOU DE BOM GRADO !

A VÍTIMA: Tão vazia quanto o assassino. Tão vazia quanto Naiara. Vítima de um pai irresponsável foragido, com nome falso que levou toda a família a esconder-se até de suas origens... vítima da péssima escola... Encontrou por algum tempo a liberdade e a falsa felicidade na sensualidade excessiva da virtualidade, que poderia ser real e com responsabilidade, sem risco de gravidez e de medo, se realmente os jovens fossem educados sem mentira para vida. NO CEMITÉRIO ! Uma história de amor ao avesso: ROMEU NA CADEIA. JULIETA NO CEMITÉRIO. A imprensa encontrará novas tragédias, como após o caso Nardoni, teve o Caso Eloá. Quem sabe alguém se suicidando do alto da antena ou da torre elétrica !

Viva ao circo ! Viva ao Coliseu Eletrônico ! Viva aos gladiadores do orkut ! Viva aos imitadores do assassino, que virão. Enquanto isso os governantes continuam os mesmos. Beba, mas não dirija ! Olhe os traficantes de armas ! Traficantes de órgãos ! Traficantes de seres humanos ! Viva ao consumo sem fim ! Todos podendo ter gera inflação ! Ninguém podendo comprar nada gera recessão ! REALMENTE DEVEMOS MUDAR O MUNDO. A coisa está de cabeça para baixo ! Desse jeito as formigas e as abelhas, que são classificadas como irracionais, estarão melhor que nós em seus formigueiros e colméias !

2 comentários:

Nasare Juca disse...

Parabéns Valdecy!
Seu Artigo sobre "O CASO ELOÁ" é fantástico.

Tião Simpatia.

Francisco disse...

Muito bem Valdecy! Creio que o caso "Eloá" como ficou conhecido, deveria servir de divisor de águas, especialmente para imprensa sensacionalista que temos no Brasil! Você traduziu bem a indignação de muitos; homens e mulheres comuns que, ao refletirem no quadro atual, sente vergonha de sermos invadidos diariamente com tanto lixo!
Parabéns!

Related Posts with Thumbnails