segunda-feira, 26 de setembro de 2011

GREVE DOS PROFESSORES DE TRAIRI - NA AUDIÊNCIA DO DISSÍDIO JURÍDICO - SINDICATO DOS SERVIDORES E MUNICÍPIO CHEGAM A ACORDO POSSÍVEL!

Assembléia una - consciente - firme - forte - preparada para adotar qualquer estratégia diante das circunstâncias
Confiante em si - em seu sindicato - na sua luta

Na tarde de 26/09/2011, na 3ª audiência de conciliação, no dissídio jurídico nº 0006117 82 2011 806 000, ajuizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Trairi –SISPUMT - contra o Município de Trairi, os professores chegaram a um acordo com o Município. Importante destacar que o Município só havia dado reajuste para os professores com formação em nível médio, piso pirata do MEC, no valor de R$ 1.187,00 e só após o início da greve, que começou no dia 01 de agosto de 2011. Para os professores graduados e pós-graduados, o reajuste foi zero, pois o prefeito alegava que a lei do piso só tratava do direito dos profissionais com nível e médio e que já tinha atingido o limite prudencial, não podendo ferir a Lei de Responsabilidade fiscal. 

Comando de Greve de Trairi - na 3ª Audiência no Tribunal de Justiça - Onde houve acordo
A notícia sobre a audiência exitosa pode ser lida no site do Tribunal de Justiça, através do seguinte link: http://www.tjce.jus.br/noticias/noticia-detalhe.asp?nr_sqtex=27234

Desembargador Ademar Mendes - Conduzindo 3ª Audiência no Tribunal de Justiça - Onde houve acordo


Eis os termos do acordo firmado:

I-                  Reajuste de 7% no mês de outubro de 2011 para graduados e pós-graduados;
II-              09/12/2011, nova audiência no Tribunal de Justiça para analisar a folha de pagamento e avaliar mais 3% de reajuste para se chegar a 10%, para isso o prefeito foi proibido de contratar e abrirá a contabilidade;
III-           Início das negociações para reajuste do piso de 2012 em janeiro de 2012;
IV-           Implementação total de 1/3 da jornada para atividade extraclasse no começo do ano letivo de 2012;


Dr. Valdecy Alves - 3ª Audiência no Tribunal de Justiça -  Dissídio onde houve acordo


O comando de greve, com poder de deliberar, dado por assembléia aceitou o acordo, dentro do juízo do que era viável, MAS CONTINUANDO A LUTA PARA RECEBER AS DIFERENÇAS PENDENTES. A cronologia da luta deu-se da seguinte forma:

a)      Início da greve no começo de agosto de 2011, suspendendo-se o início do 2º semestre letivo;
b)      O Município conseguiu liminar de ilegalidade de greve na Justiça, através de dissídio de declaração de ilegalidade de greve, e multa diária de R$ 5.000,00 para o Sindicato em caso de descumprimento. O SINDICATO NÃO RECONHECEU A DECISÃO DO JUIZ DE 1ª INSTÂNCIA, POR ENTENDER INCOMPETENTE;
c)      O Sindicato ajuizou dissídio jurídico junto ao Tribunal de Justiça cobrando a implementação do piso, a defesa da carreira para graduados e pós-graduados, bem como a implementação de 1/3 para atividade extraclasse;
d)      Marcada a primeira audiência de conciliação no dissídio jurídico do Sindicato a categoria suspendeu o movimento, entendendo tal postura como estratégica já que a negociação seria mediada pelo Desembargador relator do Dissídio. NA TERCEIRA AUDIÊNCIA CHEGOU-SE AO ACORDO ACIMA.


Prefeito de Trairi ao lado da assessoria  - Debatendo as propostas


A categoria sai da audiência firme, forte, unida e já deixou duas audiências marcadas para continuação de negociação: 09/12/2011 e em janeiro de 2012. A LUTA CONTINUA. O que não foi acordado, a categoria definirá se cobrará em ação independente ou colocará na pauta de negociação do ano de 2012. A categoria não chegou ao ideal, porém CONTINUA UNIDA, FIRME, FORTE E ATÉ 09/12/2011, A GREVE CONTINUA SUSPENSA, ainda que com o acordo arrancado numa negociação contínua, mediada pelo Poder Judiciário. 


Imagem geral da audiência no dissídio ajuizado junto ao Tribunal de Justiça



MESMO COM A SUSPENSÃO DA GREVE, A CATEGORIA ESTAVA PREPARADA PARA VOLTAR À PARALISAÇÃO, COM MAIS INTENSIDADE, CASO NÃO SE CHEGASSE A UM ACORDO, UNA, PARA VITÓRIA! 


Procuradora Gral de Justiça - Representando o Ministério Público
     
Comando de Greve de Trairi - na 3ª Audiência no Tribunal de Justiça - Onde houve acordo

Imagem geral da audiência no dissídio ajuizado junto ao Tribunal de Justiça
  Aprendeu que numa greve há momento que tem que radicalizar, outro de suspender, se necessário retomar o movimento, confia na sua direção, teve o apoio da FETAMCE, e funcionou como uma orquestra entrosada e afinada. EIS O SEGREDO DO MÉRITO PARCIAL, CUJO PRÓXIMO DEGRAU SERÁ O MÉRITO TOTAL DA LUTA! Todos estão de parabéns. E A LUTA CONTINUA! 

Momento em que o comando de greve discute proposta apresentada - Corredor do Tribunal de Justiça
Houve duas suspensões da audiência para debate das propostas pelo comando


Abaixo mais fotos que demonstram a firmeza da luta e o acerto das estratégias utilizadas:


Assembléia dos profissionais da educação de Trairi - Unidade - Firmeza - Consciência e Preparo para agir conforme as circunstâncias ora radicalizando - ora suspendendo - Ora retomando o movimento - SEMPRE UNIDA!

Assembléia dos profissionais da educação de Trairi - Unidade - Firmeza - Consciência e Preparo para agir conforme as circunstâncias ora radicalizando - ora suspendendo - Ora retomando o movimento - SEMPRE UNIDA!

Mesa condutora da assembléia - Enedina - Presidenta da FETAMCE

Mesa condutora da assembléia  - Dona Francisca - Presidenta do Sindicato

Mesa condutora da assembléia  - Dr. Valdecy Alves - Assessor Jurídico do Sindicato


Assembléia dos profissionais da educação de Trairi - Unidade - Firmeza - Consciência e Preparo para agir conforme as circunstâncias ora radicalizando - ora suspendendo - Ora retomando o movimento - SEMPRE UNIDA!

Mesa condutora da assembléia  - Válter Saraiva - Vice-presidente da FETAMCE

Assembléia dos profissionais da educação de Trairi - Unidade - Firmeza - Consciência e Preparo para agir conforme as circunstâncias ora radicalizando - ora suspendendo - Ora retomando o movimento - SEMPRE UNIDA!


Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails