quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

LIBERDADE SINDICAL - PREFEITO ATUAL DE MIRAÍMA ELEITO COMO DE OPOSIÇÃO E COM DISCURSO PROGRESSISTA TENTA MASSACRAR O SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS E SEUS DIRIGENTES - SIMPLESMENTE POR TEREM ESCOLHIDO A AUTONOMIA - A LIBERDADE E A DEFESA DOS DIREITOS DA CATEGORIA ! QUER JOGAR UMA PRAGA EM ALGUÉM: É SÓ DESEJAR QUE SEJA SERVIDOR OU SINDICALISTA EM MIRAÍMA - CEARÁ


Assembleia histórica numa manhã de quarta feira em Miraíma
Uma terra onde o prefeito anterior da situação foi condenado à prisão e à inelegibilidade
E uma terra onde o atual prefeito com discurso progressista e de oposição consegue ser pior que o prefeito anterior
Aos servidores e ao Sindicato eles dão duas opções: Serem escravos do passado ou burros de carga no presente
É o fim do mundo! Mas no Brasil ainda existe Constituição! Miraíma não está na Síria nem na Líbia

(fotos: Mara Paula)
Miraíma é um pequeno Município do Norte do Estado do Ceará, antigo distrito de Itapipoca, com menos de 25 anos de existência, com pouco mais de 12.000 habitantes, o Produto Interno Bruto (PIB) do Município é um dos mais pobres do Ceará, com péssimo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), entre os piores do Estado, com orçamento de pouco mais de R$ 14 milhões. Só há uma estrada que dá acesso à cidade e é a mesma da saída. Para piorar é Comarca Vinculada de Amontada, isto é, não tem juiz, nem promotor residentes. O QUE A APROXIMA DE UMA TERRA DE NINGUÉM! NÃO TEM PREFEITOS, TEM REIS! A MAIORIA DOS VEREADORES NÃO SÃO VEREADORES, SÃO VISCONDES! SEUS POLÍTICOS AINDA NOS ANOS 30, COM UMA CONSCIÊNCIA SOCIAL DA ERA DO CANGAÇO E DO CORONELISMO, a origem do seu nome uma profecia, pois Miraíma, em Tupi Guarani, se traduz como TERRA DE GENTE QUE TRABALHA, diferente da grande maioria dos seus políticos e do seu Poder Executivo, que só atrapalham.

Cleuton - dirigente sindical demitido discursa
No meio Valdinardo - Atual presidente do SIDSEMMI
Dr. Valdecy Alves de paletó - advogado nas ações vitoriosas
`Hermislândia presidenta do Sindicato dos Servidores de Amontada - apoiando a luta
A maior marca do prefeito anterior foi ter demitido mais de 200 servidores sem o direito à defesa, sem o direito ao contraditório, sem o devido processo legal, violando a dignidade e direitos humanos universais e constitucionais. O SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MIRAÍMA nasceu a partir da luta para reintegrar tais servidores, um parto político doloroso! E VENCEU A LUTA, SAINDO O PREFEITO DESMORALIZADO E TOSTADO EM VIRTUDE DE TER MOVIDO CÉUS E TERRA PARA EVITAR A REINTEGRAÇÃO E TER PERDIDO. O atual prefeito, até andou auxiliando os demitidos a serem reintegrados e andou ganhando votos por isso e por isso visto como de oposição. MAS UMA VEZ ELEITO, dificultou a posse dos que faltavam ser reintegrados, tomou o horário de rádio do Sindicato, tirou o desconto em folha dos filiados do Sindicato, viola inúmeros direitos sociais: não paga salário mínimo, nega licença prêmio, viola a lei do piso do magistério... e NÃO SATISFEITO TIROU O SALÁRIO DOS DIRIGENTES SINDICAIS, QUE MESMO PROTEGIDOS POR UMA LIMINAR, ACABARAM SENDO DEMITIDOS, DA FORMA MAIS IMORAL POSSÍVEL. POR QUÊ? Simplesmente porque ficaram do lado dos servidores, não cessaram sua luta, mantendo a liberdade e a autonomia sindical. ENFRENTANDO TUDO QUE É DE VIOLAÇÃO!

De forma que com o prefeito anterior eram infelizes e sabiam, mas com o atual são mais infelizes ainda e bem sabem disso. POR CONSEGUINTE NÃO DESEJAM NEM A VOLTA DO MAL MENOR, NEM A PERMANÊNCIA DO MAL MAIOR. ATÉ PORQUE ENQUANTO HOUVER ESPERANÇA DELA PODE NASCER UMA NOVA ERA. E NASCERÁ! A EXISTÊNCIA DO SINDICATO E SUAS VITÓRIAS SOCIAIS SÃO UMA PROVA E PRENÚNCIO DE UM NOVO AMANHÃ. Só restando ao câncer político desprezível lugar no lixo da história.

Pois bem, abaixo cópia da decisão liminar, em mandado de segurança, que ordenou a reintegração dos dirigentes sindicais abaixo:

1) Francisco Rodrigues Teixeira;
2) Selinlandia  Linhares Moura Freitas e
3) Telma Maria Teixeira Pinheiro


Bem como ordenou ao Município que pague seus salários, mantendo-os em folha de pagamento e à disposição do Sindicato,  tudo no prazo de 24 horas, sob pena de multa a ser paga pelo prefeito de R$ 1.000,00, por cada dia de desobediência. Abaixo cópia da decisão judicial na íntegra, restabelecendo a liberdade sindical, dando as garantias constitucionais aos dirigentes sindicais, protegendo a autonomia sindical e restabelecendo o Estado Democrático de Direito na terra dos monarcas:





VEJA TAMBÉM E SE  MANTENHA INFORMADO:







Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails