domingo, 15 de dezembro de 2013

DIALOGANDO EM POESIA COM FERNANDO PESSOA ATÉ CHEGAR AO RECREIO DO PRAZER ENTRE O FIM DE UMA DOR E O COMEÇO DE OUTRA....


Poeta Português Fernando Pessoa
Foto: Google
DIALOGANDO COM  FERNANDO PESSOA
                                               De: Valdecy Alves
                                   Para: Soren Kierkegaard
                                         Fortaleza (CE) - 15/12/2013
O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a sentir a dor
A dor que deveras não sente...

Pode ser a dor do corpo
Pode ser a dor da mente
A dor do prazer ou da ausência da dor...
Uma ou outra sempre se sente
Negar a dor... Afirmação de quem mente!

Só após morte não haverá dor
Uma vez morto nada se sente
Pois a vida é dor
Que se vive imortalmente...


Valdecy Alves -  Foto: Mara Paula
A vida é o grande oceano
Onde cada um é gota somente!




Efeito das forças do mundo
É a dor que o ser  sente
Enquanto houver seres
Enquanto houver forças no mundo
Vida e dor eternamente
Nas encostas do tempo
Rolarão incessantemente...

Como sobre o solo
A água e a semente
.... Que em batalhas possantes
Agora... o depois ... o antes
Dão luz à floresta
Que ao vento responde
Dançando ternamente...

...Não há como nadar rio acima
Sem o quase afogar-se
Sem resistir desesperadamente...





Mas ao se perseverar à dor
Sempre... sempre... resistentemente
Há de se chegar à fonte calma do rio
Que o alimenta serenamente

Mesmo vencendo tudo...
E vencendo... triunfalmente
Ao recuperar-se o fôlego nas alturas
Novos desafios acordam a mente

Rios acima a ser enfrentados
Viver é sempre vencer a dor
Seja a do corpo, seja a da mente...
Sentir da vitória a sensação transcendente...

Então nadar correnteza acima
Quando em jornada novamente
Escolhendo a que destino chegar
E vencer... vencer triunfalmente...

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails