quarta-feira, 30 de setembro de 2015

PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA - UM TESOURO ECOLÓGICO - GEOLÓGICO E SOBRETUDO ARQUEOLÓGICO - PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE PORQUE A HISTÓRIA DA HUMANIDADE PASSA POR ELE - A AMÉRICA COMEÇOU A SER POVOADA PELO NORDESTE DO BRASIL


Arte rupestre e beleza natural
Fotos: Mara Paula - Valdecy Alves
NO BOQUEIRÃO DA PEDRA FURADA NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA - 50.000 ANOS DA HISTÓRIA HUMANA NOS CONTEMPLAM - O local em si é impressionante. Altas montanhas de puro arenito se erguem como torres de catedrais multicoloridas. Com seus milhões de anos sob as nuvens do Nordeste. Prevalecendo o vermelho, o amarelo, o branco e o ocre. Mais à frente como um espigão varando o sertão a perder-se de vista, a montanha que dá nome ao local: Serra da Capivara. A caatinga nativa e preservada, em pleno final de setembro, completamente  desfolhada, formando um conjunto a perder de vista de cor prateada. Um ar seco e puro que dá alívio. Pedras dos mais variados tamanhos e arredondadas, pois o local já foi fundo do mar, formam um tapete sem fim. Canto de pássaros, aqui e acolá sons de insetos, um calor abrasador... Por todo o tempo o vento açoitando a paisagem... um sol e calor de deserto... sequidão no ar... sede... porém a beleza... a estonteante beleza... sob um céu sem um fio de nuvem... veredas que levam ao Boqueirão da Pedra Furada, já próximo aos paredões, repletos de árvores um tanto esverdeadas, pois a terra no local é úmida... a temperatura cai... porque os longos tubos no corpo dos arenitos, por onde caem cachoeiras nas chuvas, resfriam o vento que do alto são gelados pela velocidade da descida até ao chegar ao solo... o local é como um oásis...naquele momento...em plena primavera. No sopé da montanha... por 70 metros horizontais... na base da montanha... um painel com mais de 1.000 desenhos feitos nos últimos 12.000 anos. Local em que viveram humanos, cuja datação chega a 50.000 anos. ALI. NAQUELE LOCAL. NO BOQUEIRÃO DA PEDRA FURADA, mudou-se a teoria de povoamento da América. Que não se deu apenas pelo Norte da América, através do Estreito de Bering, na última Era Glacial, há cerca de 12.000 anos. Na verdade o povoamento da América começou pela América do Sul. E A SERRA DA CAPIVARA CONTÉM OS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS QUE COMPROVAM A NOVA TEORIA. Que orgulho!


Cena de caça e do quotidiano

Apenas um dos painéis ao longo da grande painel - caça - dança - animais caçados...

Ao centro um peixe rodeado por animais terrestres



A passarela com 70 metros de comprimento ao longo de todo painel
Expedição: Mara Paula - Alciene  Araújo - Valdecy Alves

Um dos mais belos desenhos: o beijo!


Valdecy Alves na Pedra Furada


Veja vídeo sobre o Sítio Arqueológico da Pedra do Boqueirão no Facebook:
https://www.facebook.com/valdecyalves/videos/1040523409300655/?pnref=story


Torres de catedrais - Encantados Castelos - Abandonadas construções
OS MÍSTICOS ARENITOS COM MILHÕES DE ANOS E A PEDRA FURADA - MARAVILHAS: No mesmo local há a famosa Pedra Furada. Obra do vento e das águas, que  ali são poetas, escultores, artistas.  O local é um verdadeiro tesouro da humanidade. Várias trilhas que levam ao alto dos arenitos permitem uma visão simplesmente estonteante de toda a mágica e mistica paisagem. O sentimento despertado por toda beleza e forças da natureza que ali se revelam aos olhos, é místico... profundamente místico... NÃO HÁ NO MUNDO TORRES DE CATEDRAL OU BELOS CASTELOS QUE TENHAM SIDO CONSTRUÍDOS PELA ENGENHOSIDADE HUMANA, QUE ALI NÃO EXISTAM POR ACASO COMO OBRA DOS VENTOS E DAS ÁGUAS... E o silêncio... o azul do céu... perfurados pelas torres que parecem abandonadas pelo deus construtor... fascinam! Por sua importância histórica, ecológica e geológica, o Parque Nacional da Serra da Capivara é um tesouro do Planeta Terra. Tem que figurar entre os 100 locais da terra que qualquer viajante mediano não pode deixar de visitar!


Formações sagradas de tirar o fôlego - despertam sentimentos místicos

Caatinga mágica e surreal

Mara Paula entre torres encantadas

Caminhando no Desfiladeiro da Serra da Capivara
UMA CAMINHADA PELO DESFILADEIRO DA SERRA DA CAPIVARA - TRILHAS - O INFERNO PARADISÍACO E UM TEMPLO REPLETO DE ARTE RUPESTRE: No segundo dia no Parque Nacional da Serra da Capivara, que envolve área de mais de 137.000 hectares, em 05 municípios (João Costa, Coronel José dias, São Raimundo Nonato, Canto do Buriti, São João do Piauí),  foi a vez de visitar o desfiladeiro da Serra da Capivara. Importante dizer que o parque foi criado graças a uma mulher genial, admirável e especial Niéde Guidon, que trazendo à superfície do oceano do presente a história do mais profundo passado, também se tornou história. UMA SACERDOTISA DA HISTÓRIA. O desfiladeiro se situa entre a divisão da serra, por quilômetros. Como forma uma espécie de fresta que só recebe luz do sol diretamente não mais por 05 horas, o local é frio. A terra úmida. Consistindo num tipo de oásis. O vento é fresco. A temperatura agradável. Na base das montanhas árvores imensas e com folhas verdes em plena primavera. Neste local se encontra a Toca do Pajaú, uma espécie de gruta espetacular, com desenhos impressionantes que ultrapassam os 7.000 anos, datação com carbono 14. Parte do teto e das laterais desabou. Mas as pinturas que resistem são impressionantes e demonstram que o local tinha grande importância. Sobretudo religiosa. Na caminhada chama atenção a quantidade de mocós, que observam com curiosidades os estranhos turistas. Sem temer o ser humano. 


Toca do Pajaú - com centenas de desenhos com mais de 7.000 anos

Gravuras na Toca do Pajaú

Gravuras na Toca do Pajaú
Membro da Expedição Mara Paula entre desenhos milenares

Em meio ao templo da Toca do Pajaú
Mais antigo que as pirâmides - 4.000 antes do nascimento de Moisés

Um cânion chamado de Inferno
ENTRANDO NO INFERNO: Mais adiante, após sair do sítio arqueológico da Toca do Pajaú, pega-se uma trilha para visitar o local que tem o nome de " INFERNO". A nossa guia, a Cátia, não quis explicar o que era. Disse que deveríamos ver com nossos próprios olhos. Para nossa surpresa, após caminhar por grotas vazias, com suas pedras das mais variadas cores, arredondadas, chegou-se a um cânion dentro do desfiladeiro.  Inicialmente são dois paredões com dezenas de metros de altura, que depois... centenas de metros.... que vai-se estreitando até fechar... findando numa caverna escura... com morcegos... e um enorme caldeirão sob um tubo no interior da montanhas... iluminado por frestas de luz... criando um ambiente de penumbra e mistério... o local é frio... o tubo... no final da caverna... cavado pelas águas da cachoeira invernal... o nome é inferno... porque de fora... todo som retornava em forma de eco... as pessoas imaginavam que eram produzidos pelas almas condenadas... Fauna... flora... desfiladeiro... um espetáculo à parte. Sem dúvida o inferno mais paradisíaco que visitei em toda minha vida.


Alciene Araújo - Membro da expedição - na Caverna do Cânion


No Cânion do Sítio Arqueológico do Baixão da Vaca
NO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DO BAIXÃO DA VACA NUM CÂNION DE TIRAR O FÔLEGO: Mais adiante, a partir da própria trilha do desfiladeiro tomamos uma vereda para chegar ao Baixão da Vaca, local de importante Sítio Arquelógico. O local é de acesso um pouco difícil. Pois se localiza no alto. No meio do paredão que forma o Cânion. Mocós dominam a paisagem... pássaros... o vento fresco... mesmo próximo ao meio dia... que vai sumindo à medida que se sobe o paredão... peles de cascavel na caatinga dançando ao vento são avisos... cactos belíssimos... até que se chega ao Sítio Arqueológico... mais um paredão enorme... com dezenas de metros... que pode ser visitado através de segura passarela de madeira. Tipos diferente de desenhos... outra escola artística... de outra era...chamando atenção o tamanho dos animais... Bem maiores que noutros sítios e as cenas do quotidiano do povo que viveu ali. Até mesmo cena de parto existe, Um painel riquíssimo. Do local, seguindo a trilha, é possível chegar-se ao alto do cânion... de onde a visão é incomparável... digna dos deuses.

Beleza de um cânion fascinante

Uma outra escola de arte rupestre

Beleza - precisão - preenchimento das gravuras por inteiro

O Cânion é um espetáculo

Membros da expedição ao Parque Nacional da Serra da Capivara
Alciene Araújo - Mara Paula - Valdecy Alves 

Veja vídeo sobre o Baixão da Vaca no Facebook:
https://www.facebook.com/valdecyalves/videos/1041120609240935/?pnref=story


Interior do Museu
NO MUSEU DO HOMEM AMERICANO - UMA SURPRESA E TANTO: Após o almoço, bom e barato, ao lado da fábrica de cerâmica, interessante projeto para manter o povo da região na própria região, como alternativa de renda e para evitar que tentem viver da caça, fomos visitar o Museu do Homem Americano. Nome que exclui a mulher americana. Uma surpresa. Simples. Belo. Com suas peças e explicações em vídeo. Pena que as Itacoatiaras, riscos nas pedras, estejam fora do museu, largadas e sem a devida importância em suas laterais.

VALE A PENA VISITAR O MUSEU DO HOMEM AMERICANO. DE PRIMEIRO MUNDO. SEJA PELO ACERVO, SEJA PELA EXPLICAÇÃO EM AUDIOVISUAL. DEVERIA MUDAR O HOME PARA: " MUSEU DO SER HUMANO AMERICANO" para não parecer que é somente do homem que não tem como nascer sem que seja do útero de uma mulher... a mulher americana... a Iracema americana...

Assim explicam-se os vários tipos de pinturas no museu

Equipe da expedição no interior do museu
Mara Paula - Valdecy Alves - Alciene Araújo

Contemplando uma das mais belas pinturas: O Beijo

Diante da enorme tela do museu

Parte do acervo do Museu



As andorinhas chegam em bando e em revoada
NO BAIXÃO DAS ANDORINHAS NA SERRA VERMELHA - ENTRE O BALÉ DO SOL E DA LUA: De um lado nascendo uma lua cor de sangue entre os galhos ressequidos de uma caatinga que parece uma pintura surrealista... do outro lado o sol se pondo com um espetáculo de 1.000 cores em todo o poente... acima no azul sem fim... andorinhas voando em bando... preparando-se para descer para seus ninhos no Baixão das Andorinhas... Cânion com cerca de 100 metros de profundidade...em pleno coração da Serra Vermelha... que de tão vermelha... parece feita de sangue... como a gema de sol vermelha... rubi aceso descendo no horizonte...antes de irem para seus ninhos elas voam num ritual de minutos, cantando belamente e em coro... que dura até o pôr do sol e até chegar de uma brisa fria... vinda dos confins do sertão... então em voos rasantes de segundos, como aviões caça, descem... ouve-se o som de suas asas cortando o vento...como facas amoladíssimas que bem demonstram sua maestria em voar... e desaparecem na profundidade do cânion. Uma poesia da União da fauna, flora, paisagem, céu, sol e lua... Sem dúvida que o Parque Nacional da Capivara é um lugar especial, um legado descoberto por nossos antepassados, cujo DNA está em nosso sangue. Há milhares de anos capaz de fascinar... há milhões de anos uma maravilha no coração do Nordeste do Brasil. Outrora habitat da fauna gigante... tigres dentre de sabre, tatus e preguiças gigantes... fósseis podem ser vistos no museu...um lugar abençoado no passado... no presente e com certeza, no futuro. Pois parece palco destinado a grandes eventos de fenômenos naturais e a fatos antropológicos.



Um Cânion com mais de 100 metros de profundidade

Lua nascendo além do Cânion da Andorinhas

Magnífico cânion no crepúsculo

COMO CHEGAR AO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA A PARTIR DA CIDADE DE FORTALEZA - HOSPEDAGEM - ACESSO AO PARQUE - ALIMENTAÇÃO: Não é muito difícil chegar ao Parque Nacional da Serra da Capivara a partir da cidade de Fortaleza -Estado do Ceará. Pegamos um avião às duas da madrugada. Chegamos a Teresina por volta das 03h. recebemos o carro alugado. Em seguida demos continuidade à viagem. 520 quilômetros. Estrada excelente. Pegamos a BR 316... cerca de 70 km depois pegamos a BR 343 até Floriano... em seguida a estrada estadual PI 140... passando por Canto de Buriti até chegar a São Raimundo Nonato.  Uma vez no hotel é fácil pedir aos funcionários da recepção que chamem um guia, com quem pode-se acertar o tour. Por dia, até um grupo de 08 pessoas, um guia cobra R$ 120,00. Os hotéis são bons. A comida na cidade é boa e barata. Com R$ 50,00 come-se uma gostosa picanha, capaz de alimentar 03 pessoas. No hotel o café da manhã é razoável e onde há almoço ou janta, em média com R$ 25,00 por pessoa, almoça-se bem.  O acesso ao parque nacional é fácil. Em média de 30 km da cidade de São Raimundo Nonato. Cidade polo da região e sede do Museu do Homem Americano. A entrada nos parques é barata, em média R$ 14,00. Há lojinhas em tais locais onde se podem comprar lembrancinhas. A BR 020, a mesma que saindo de Fortaleza, passa por Canindé, atravessa a Serra da Capivara e passa ao largo do parque. De carro saindo de Fortaleza, chega-se a São Raimundo Nonato, numa viagem de menos de 1.000 km. O Parque Nacional da Serra da Capivara é um local, que nenhum brasileiro que goste de viajar, pode deixar de visitar.

Diante das inscrições e na Pedra Furada
Visitar é preciso
IMPRESSÕES E CONCLUSÕES: A impressão inicial que fica é que o que o Parque Nacional da Serra da Capivara superou, e em muito, qualquer expectativa. O melhor adjetivo a exclamar é: IMPRESSIONANTE! A caatinga bem preservada é um espetáculo magnífico, sem folhas, em plena primavera, com temperaturas de 40 graus à tarde, com seus galhos retorcidos, fantasmagóricos... PARECEM PAISAGEM DE UM SONHO. O vento que sopra incessantemente, senhor escultor das paisagens com as águas de inverno... impera... sob o céu sem nuvens e um sol de estorricar a alma... os paredões de arenitos com milhões de anos... fundo do mar que se ergueu abruptamente quando a placa tectônica do Oceano Pacífico chocou-se com a Placa da América... dando origem à Cordilheira dos Andes... num momento de extrema violência das forças da natureza... hoje calmas torres... que chegam a centenas de metros de altura... formando estranhos castelos e catedrais que rimam com a agonia da caatinga no clima desértico... fácil ao fim do dia avistar jacus... caititus... veados... mocós... aves de toda cor e espécie... o lugar é um paraíso...  fotogênico como uma bela modelo... na foto fica ainda melhor... parece que na foto a essência da beleza do parque é captada em sua totalidade. A beleza... o exótico... NÃO FICA ATRÁS DO DESERTO DO ATACAMA.  Os sítios arqueológicos emocionam. Pela beleza, pelo tamanho, pela singeleza... pela arte... pela fé... pelos detalhes... pelo poético... pelo movimento das figuras onde restou gravado o espaço e o tempo... pelo tentativa do ser humano dizer: ESTAMOS AQUI! VIVEMOS ASSIM! SOMOS! EXISTIMOS! FOI ASSIM QUE VIVEMOS! SOMOS VOCÊS! ACREDITEM NA VIDA! VIVAM! FAÇAM! CONSTRUAM! RESISTAM! ESCREVAM SUA HISTÓRIA... VAMOS ACREDITEM! OLHEM... SOMOS PROVAS DE QUE VALE A PENA ACREDITAR! ... !!! ...  E o mais importante.... o povoamento da América começou pela América do Sul...  o documento fundamental que comprova tal teoria está lá... nos paredões rochosos da Serra da Capivara... que de dia é um paraíso... um sonho... que à noite...com lua e estrelas é uma cachoeira de poesia temperada pela história humana gravada há milênios nas escarpas montanhesas.

Passarela ao longo das inscrições do Boqueirão da Pedra Furada
Aqui começou o povoamento da América

A CONCLUSÃO: é que esse paraíso ainda não foi descoberto devidamente nem pelos brasileiros, nem pelo mundo. Embora tenha sido declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco e patrimônio nacional pelo IPHAN. Que seja preservado, conhecido, compreendido. Que seja um orgulho para América, um tesouro para o Brasil, uma joia para o Nordeste, o mais precioso bem para o povo do Piauí. POIS A HISTÓRIA DA AMÉRICA E DE PARTE DA HUMANIDADE COMEÇOU AQUI!

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails