quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

DOCUMENTÁRIO SOBRE CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NO CEARÁ - AUSCHWITZ - RAÇÃO - NAZISMO - ESCRAVIDÃO - De Valdecy Alves - FOI LANÇADO COM SUCESSO NO AUDITÓRIO DO DNOCS - EM FORTALEZA (CE) - MUITO APLAUDIDO E SEGUIDO DE PARTICIPATIVO DEBATE COM O PÚBLICO PRESENTE - PRÓXIMA EXIBIÇÃO DEVERÁ SER NA UECE FORTALEZA


O auditório do Dnocs ficou lotado - mesmo colocando cadeiras extras - pessoas sentaram no chão
Fotos: Mara Paula - Atma Gita - Valdecy Alves

O DOCUMENTÁRIO É OBRA INDEPENDENTE E AUTORAL: O Documentário dirigido por Valdecy Alves:

Campos de Concentração no Ceará - Auschwitz - Ração - Nazismo - Escravidão)


É obra autoral, financiada pelo próprio autor, para que pudesse realizar a obra com autonomia e liberdade. Foram 06 anos de pesquisa, incluindo viagem ao Campo de Concentração de Auschwitz, na Polônia, e a locais onde funcionaram campos de concentração nas secas do Ceará, a saber: a) Seca de 1877/1879; b) Seca de 1915 e Seca de 1932. Fotos inéditas do Campo de Concentração do Crato (Buriti), Campo de Concentração do Patu (Senador Pompeu) e do Campo de Concentração do Urubu, no Pirambu, em Fortaleza estão no documentário, que tem imagens também inédita de Auschwitz, Polônia,  local também de holocausto e genocídio.

Mara Paula apresentou o evento

Representante e diretor do Dnocs Roberto Otto deu as boas vindas ao público presente

CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DE HITLER E CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DAS SECAS DO CEARÁ TÊM A MESMA MATRIZ IDEOLÓGICA: Euclides da Cunha abre sua obra “OS SERTÕES”, um dos maiores livros da literatura brasileira, que narra a Guerra de Canudos, cidade fundada por mestiços nordestinos, liderados pelo cearense Antonio Conselheiro, chamando os nordestinos de sub-raça, prevendo que seria varrida do mapa por raças superiores da Europa. Euclides da Cunha, republicano, que a exemplo dos monarquistas, viam os nordestinos como raça inferior. Racista. Influência da tese da eugenia e do darwinismo social, que previa que raças misturadas geram uma espécie de mestiço degenerado. Assim eram vistos e assim foram tratados os tidos como molambudos, famintos, flagelados, retirantes das secas do Nordeste, que a exemplo de judeus, negros, gays e ciganos... eram tidos como raças inferiores. Hitler com seus campos de concentração levou a tese da eugenia ao extremo, com a eliminação de judeus. Eis a origem ideológica dos campos de concentração nazistas e das secas do Ceará. Lembrando que Getúlio Vargas era racista e defensor da eugenia. 

Professor Humberto Cunha foi um dos debatedores
Uma das maiores autoridades em direitos culturais do Brasil

Público atento ao documentário e ao final aplaudiu com muito entusiasmo

APÓS A EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO HOUVE DEBATE: Após o documentário teve início o debate com o público. O debate foi mediado por Ana Norões do Iprede, tendo como debatedores o professor e doutor em direitos culturais e direitos humanos, Humberto Cunha, uma das maiores autoridades em direitos culturais do Brasil; Evandro Bezerra, engenheiro agrônomo, jornalista, que falou representando o DNOCS e Valdecy Alves, diretor do documentário. O debate foi participativo e avaliou toda a história do campos de concentração, políticas da secas, controle social, eugenia, enfraquecimento do Dnocs, a relação dos campos do Ceará com os campos de concentração nazistas. O que mais chamou atenção do público foi que tais fatos não constam nos livros de história do Ceará. Houve cobertura da mídia na divulgação do evento e durante o evento. Sem dúvida que importante parte da memória da história do Ceará, das políticas do Brasil para secas, desde o império e durante a República, foram resgatadas e um importante debate está lançado. O Estado brasileiro anda longe ainda de ser o estado do bem-estar social, onde a dignidade humana e os direitos mínimos garantidores do direito à vida, fundamentais, estão distantes de serem resolvidos. O debate está lançado, só conhecendo verdadeiramente a história do povo cearense e do povo brasileiro, será possível compreender o presente e projetar um novo futuro, pois os erros de séculos têm-se repetido pelo Poder Público desde o império. Hora de mudar o rumo da história do Brasil e da história do convívio com as secas. Assim como a Europa nunca mais aceitará campos de concentração, também no Brasil, no Ceará e no Nordeste, Campos de Concentração: NUNCA MAIS!



ABAIXO MAIS FOTO DO LANÇAMENTO DO DOCUMENTÁRIO:


Momento do debate da mesa com o público

Matéria do jornal Diário do Nordeste sobre o evento
Foto e texto - exceto o quadro com o nome outros olhares

Ana Norões - Da ONG Teia da Vida - Mediou o debate com o Público presente

Público presente atento

Uma platéia de alto nível e interessada no tema

Ana Norões - Da ONG Teia da Vida - abrindo o debate

Evandro Bezerra debatedor representando o Dncs e a Assecas


Professor Humberto Cunha falando sobre a memória - direitos humanos e direitos culturais

Poeta Geraldo Pereira da Costa - da Assecas - Declamando poesia sobre as secas para o público

Abertura com poesia do poeta Geraldo Pereira

Um público atento


Um público que buscava informações
Produção do lançamento do documentário
Alciene Araújo - Valdecy Alves - Mara Paula e Andressa Veríssimo

Produção de lançamento do documentário
Orion Zarathustra - Khayyam Perseu e Bruno


Membros do Dnocs que trabalharam em parceria com o diretor do documentário
Anézia - Ilmaci - Eduardo Segundo e Raimundo


Valdecy Alves - Poeta e ativista - debatendo com o público


Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails