domingo, 5 de março de 2017

Nuvens Negras de Chuva no Sertão do Ceará - De Valdecy Alves

Foto do Blog do Walter Lima - Engenheiro José Lopes



Nuvens Negras de Chuva no Sertão do Ceará

Não são apena nuvens negras de chuvas
Que vejo nesta manhã que virou noite
Nos confins do sertão do Ceará...

Vejo o anúncio da vida
A certeza que a fome será saciada
O pedido de cada oração que se concretiza...

Não vejo apenas castelos e torres
De escuras nuvens
Com esses ventos com cheiro de cio...
Sobre a sedenta caatinga e o seco rio...

Vejo rios de barreira à barreira
Gemendo furiosos em busca do mar...
O clarão de relâmpagos
Iluminando milharais, folhas de batata, flores de feijão...
Dançando com o som de murmúrios de gotas
De estrondo de trovões como se fossem canhões...

Vejo espelhos de lagoas refletindo estrelas
Com sinfonias de sapos cantores com paixão
Vejo peixes subindo correntezas
Esgueirando-se de tarrafas
Sinto cheiro de milho assado
O odor de feijão verde cozido...
De tapioca branquinha
Com o mestiço café com leite
No desjejum da manhã...

Vejo a vitória da vida
A colheita da esperança
A certeza que a perseverança
E a crença no justo trabalho
Pode fazer sempre paraíso
Nosso dia de amanhã...

E se o ser humano
Não abandonar a si mesmo
Pode ficar certo que  a Natureza
Como não abandonou no passado
Jamais o abandonará seja hoje....
Seja depois de amanhã...
Pois o nosso trabalho... com nossa luta
Há de suprir a lacuna
Do que parece as forças do mundo nos negar

E minha esperança se renova no futuro
E minha perseverança é combustível
Para que faça minha parte
Fazendo a plantação para colheita
Nos dourados e verdejantes campos roçados
Certeza de mesa farta de alegria e glória...

Não são apena nuvens negras de chuva
No céu carregado de ventanias e raios
Sobre o sertão do meu Ceará...
Vejo ventos da esperança que sopra
Vejo gotas de vida, mãe de grotões e de fontes
Ouço cantos de pássaros... vejo ovos nos ninhos
Certeza de riqueza... de fartura e de vida
Que vão provocar milhões de suspiros e sorrisos
Nas pessoas e em toda natureza feliz
Nas noites, e tardes vindouras... do sempre amanhã!

A todos que nunca perderam a esperança e sempre renovam a perseverança para nunca cessar de lutar! Pois quem quer o milagre tem que fazer parte de sua construção.

                                                                                            Fortaleza (CE) - 05/03/2017 - De:Valdecy Alves

Um comentário:

weslley barros disse...

Bela poesia. Faltou algo sobre as borboletas e a grande incidência de lagartas geradas pelas mesmas, que trazem prejuízos nessa época para a agricultura, mas em recompensa com tanta fartura de lagartas os pássaros fazem a festa e com seus cânticos expressos em forma de poesias encantam o sertão.
É nessa nessa época do ano que os pássaros criam sustância e passam a se acasalar.

Related Posts with Thumbnails