quinta-feira, 17 de agosto de 2017

BARRAGEM DO PATU - A BARRAGEM DA MORTE - A BARRAGEM FANTASMÁTICA - A BARRAGEM DA FALTA DE TRANSPARÊNCIA - A BARRAGEM DO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO - A QUE DEVERIA TER SIDO E NÃO FOI E É COMO NÃO DEVERIA TER SIDO... 10 CURIOSIDADES SOBRE A BARRAGEM DO PATU...

Foto aérea -  Barragem do Patu - DNOCS


PEQUENAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A BARRAGEM DO PATU - EM SENADOR POMPEU - ANTES DAS 10 CURIOSIDADES: Tem o nome de Barragem ou de Açude do Patu porque barra o Rio Patu, afluente do Rio Banabuiú, que é o maior afluente da bacia hidrográfica do Rio Jaguaribe. Era pra ser inicialmente uma represa d'água para salvar vidas, foi transformado no Campo de Concentração do Patu, o único campo de concentração preservado, montado no canteiro de obras do Açude do Patu abandonado em 1923, que transformou o local inicialmente em Barragem da Morte, tudo pela irresponsabilidade do presidente da República mineiro Artur Bernardes, que fez cessar, tão logo assumiu a presidência da República todas as obras de açudagem no Nordeste, que tiveram prioridade com o presidente anterior, o paraibano Epitácio Pessoa. Muitas obras estavam perto da conclusão e ficaram completamente abandonadas por anos... transformando-se em escombros... causando prejuízos econômicos ao país e tragédias sociais ao povo. Pois se a Barragem do Patu tivesse sido concluída como planejada, concluída noas anos 20, não teria ocorrido a tragédia de 32 na região central do Ceará.  Vamos às curiosidades sobre a Barragem ou Açude do Patu:

Planta do Açude Patu - Modificada - 1987
Obra concluída  - DNOCS


CURIOSIDADE 01:  Uma vez montada toda a estrutura básica, canteiro de obras, máquinas, contratação de operários... teve início em 1921 a construção da Barragem do Patu ou Açude do Patu. Sua conclusão estava prevista para dezembro de 1924. Ano de um dos melhores invernos no Nordeste. ERA PRA TER SIDO ASSIM. Mas só foi concluída em dezembro de 1987. ACABOU SENDO O QUE NÃO DEVERIA.

CURIOSIDADE 02:  O comprimento da parede da barragem que seria construída até dezembro de 1924 seria de 560 metros. ERA PRA TER SIDO ASSIM. Mas concluída em 1987, a parede só chegou ao comprimento atual de 392 metros. ACABOU MENOR... ACABOU SENDO COMO NÃO DEVERIA TER SIDO.

CURIOSIDADE 03:  Durante o período de construção a partir de 1921 a média mensal de operários contratados era de 550. Mas a Vila Operária construída tinha a capacidade de hospedar 1.200 operários. ERA PRA TER SIDO construída até 1923... na metade do tempo se tivessem contratados os 1.200 operários. Mas graças à politicagem, contrataram menos da metade. ACABOU SENDO COMO NÃO DEVERIA TER SIDO E A BARRAGEM ACABOU, POR ISSO MESMO, NÃO SENDO CONCLUÍDA. E VIROU PALCO DO DILÚVIO DE MORTOS DA SECA DE 32 QUANDO CHOVEU RAIOS DE SOL E CALOR ESTORRICANDO TODO O SERTÃO...

CURIOSIDADE 04:  No canteiro de obra foram construídas 12 casas de alvenaria... para serem habitadas pela parte técnica da obra a serviço da empresa Dwight P Robinson & Company. Enquanto as residências dos operários eram humildes casas de taipas. ERA PRA TER SIDO TUDO DE ALVENARIA POR UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA.  Porém por uma questão de injustiça ACABOU SENDO COMO NÃO DEVERIA TER SIDO. Reinando discriminação.

Cemitério da Barragem do Patu - Foto: Valdecy Alves
Mar de mortos para onde sagrou os corpos do Campo de Concnetração


CURIOSIDADE 05:  No planta original da obra, a Barragem do Patu que deveria ter sido concluída em dezembro de 1924, deveria ter a capacidade para armazenar 200 milhões de metros cúbicos de água, ERA PRA TER SIDO ASSIM. Porém a que foi concluída em 1987, só tem a capacidade atual de armazenar pouco mais de 71 milhões de metros cúbicos de água. ACABOU SENDO O QUE NÃO DEVERIA TER SIDO, VOLUME 03 VEZES MENOR.

CURIOSIDADE 06:  A barragem ou açude do Patu foi projetado inicialmente para ser apenas reservatório de água potável, pois está no coração da região mais seca do Ceará, que é o Estado brasileiro mais afetado pelas secas. ERA PRA TER SIDO ASSIM. OÁSIS PARA OS HUMANOS. Mas tem sido usado para irrigação, mesmo colocando em risco a água necessária para consumo humano. ACABOU TENDO O DESTINO QUE NÃO DEVERIA TER TIDO, priorizando a irrigação, o lucro. E mesmo em 2017... Século XXI... pode faltar água... o flagelo tremula no horizonte...

Fundações da Barragem do Patu - Anos 20
Da Monografia de Leda Agnes Simões


CURIOSIDADE 07:  Em abril de 1932, quando milhares de flagelados se concentravam em Senador Pompeu para pegar o trem para Fortaleza, foi requerido ao Governo Federal a retomada de obras da construção do Açude Patu. ERA PRA TER SIDO ASSIM. RETOMADA A CONSTRUÇÃO. Mas o governo Federal preferiu construir apenas o Campo de Concentração do Patu e dar prioridade  à construção do Açude Lima Campos e de Choró-Limão.  NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM. CONDENANDO MILHARES DE PESSOAS À MENDIGAGEM, AO TRABALHO ESCRAVO E À MORTE, QUE MAIS TARDE VEIO EM FORMA DE EPIDEMIAS. MALES FINANCIADOS PELA OMISSÃO DO GOVERNO FEDERAL.

CURIOSIDADE 08:  O governo Getúlio Vargas, ditador que chegou ao poder com apoio de lideranças políticas do Nordeste, enfrentando guerra cotra o Estado de São Paulo, que não aceitava o fim da política da velha República, onde Minas Gerais e São Paulo tomaram de conta do Estado brasileiro, marginalizando o resto do Brasil e se apropriando das verbas públicas, FEZ DA SECA DE 1932 PEÇA DE PROPAGANDA. A META ERA REALIZAR MAIS NA SECA DE 32 DO QUE TODOS OS PRESIDENTES DA REPÚBLICA TINHAM REALIZADO PELO NORDESTE DESDE À PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA ATÉ O GOVERNO VARGAS QUE TEVE INÍCIO NOS ANOS 30. Mais do que dobraram a capacidade da açudagem no Nordeste na Seca de 32... dizem que por isso salvou-se o Governo Vargas. O governo que cuidou da salvação do Nordeste. NÃO ERA PARA PROPAGANDA DO GOVERNO SER A PRIORIDADE. NÃO DEVERIA TER SIDO ASSIM. O fator humano foi convertido em simples matéria de propaganda.  Mas nos relatórios esconderam os Campos de Concentração. NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM!

CURIOSIDADE 09:  A construção do Açude Patu demorou tanto que quando foi assinado o primeiro contrato de construção foi através da  Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas desde 1919 (IFOCS) demorou tanto.... mas demorou tanto... NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM... que quando foi concluída em 1987, que assinara o contrato foi o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS). NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM. 

Caminhada Anual da Seca - Em Memória das Vítimas do Campo de Concentração do Patu
As Almas da Barragem foram santificadas pela religiosidade popular
Foto: Jornal O Povo

CURIOSIDADE 10:  Um lugar projetado para garantir o direito á vida, através de retenção de 200 bilhões de litros de água... jamais poderia ter sido utilizado para se transformar num grande barramento de pessoas... de flagelados... de pobres retirantes... milhares deles... que pelo Campo de Concentração do Patu passaram ou nele permaneceram... chegando a ter mais de 20.000 concentrados... que viraram fácil presa para vírus... bactérias e da inanição... NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM: Campo de Concentração do Patu... ou Represa de Flagelados... ou Açude da Morte... ou Barragem do Cólera... Inverno de mortos... enchentes de corpos... que sangraram aos milhares para o Mar Santo do Cemitério da Barragem... NÃO. NÃO ERA PRA TER SIDO ASSIM...  E mesmo com o açude construído... com o açude de Quixeramobim... Com açude de Cedro...  Com o Castanhão... com Orós... O PROBLEMA DA SECA CONTINUA... POR UMA RAZÃO SIMPLES... O PROBLEMA DA SECA NÃO É NATURAL... MAS POLÍTICO E SOCIAL. Mudaram as gerações... mudaram-se os tempos... MAS A CULTURA POLÍTICA É A MESMA! PREDATÓRIA. PATRIMONIALISTA. CRUEL. IRRESPONSÁVEL. DESUMANA... UM INFERNO DE POLITICAGEM EM QUE FERVILHA UM DILÚVIO DE PARASITAS EXERCENDO O INFERNAL PODER PÚBLICO...










sábado, 12 de agosto de 2017

VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE IR À " II FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO" - SERÁ EM FORTALEZA - NA CAIXA CULTURAL - DE 17 A 20 DE AGOSTO - LITERATURA DO CORDEL UM DOS TIJOLOS DA IDENTIDADE DA CULTURA BRASILEIRA.. VAMOS CORDELIZAR!





SEGUNDA FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO - DE 17 A 20 DE AGOSTO DE 2017 - NA CAIXA CULTURAL DE FORTALEZA:  No grande muro da cultura brasileira... na memória de cada um... nas velhas lembranças das histórias... no presente... e no futuro... SEMPRE ESTARÁ PRESENTE A LITERATURA DE CORDEL. UM CORDEL.  UMA HISTÓRIA... Faz parte da formação cultural do nordestino... espalhou-se para o Brasil... o cordel é parta da construção da identidade nacional. POR ISSO NÃO DEIXE DE VISITAR A II FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO. EU IREI. ESPERO E CONVIDO QUE VOCÊ QUE ESTÁ LENDO ESTA MATÉRIA TAMBÉM COMPAREÇA. PRESTIGIE. CONHEÇA E ADQUIRA SEUS EXEMPLARES DE CORDÉIS. Com curadoria do cordelista e editor Klévisson Viana, cordelista, ilustrador, empresário, ativista, divulgador da literatura de cordel...  O  evento reúne os principais expoentes da literatura popular em versão tipicamente nordestina.  


A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 17 a 20 de agosto de 2017, a II Feira do Cordel Brasileiro, que tem o objetivo de incentivar e promover a literatura popular e as manifestações artísticas tipicamente nordestinas. Com aproximadamente 30 expositores, o evento também pretende fomentar o encontro do público geral com os artistas, como forma de conhecer melhor a expressiva produção do melhor do cordel, da cantoria e da xilogravura nacional.

Com entrada gratuita, a Feira do Cordel Brasileiro reúne vários dos principais nomes da literatura de cordel no País, além de emboladores, cantadores de viola e da música regional. Entre as atrações estão os músicos-cordelistas Jorge Mello, parceiro de Belchior em aproximadamente 40 canções; o cordelista, repentista e sambador Mestre Bule-Bule; o Mestre Valdeck de Garanhuns, bonequeiro, cordelista, repentista e xilogravador; a médica, cantora e cordelista Paola Torres; os grupos Tempo de Brincar; o jovem Rafael Brito e a Rabecaria; dos forrós Kutuca a Burra e Cacimba de Aluá. O evento conta ainda com show de repente pela dupla Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre, além de muitas declamações pelos cordelistas Chico Pedrosa, Antônio Francisco, Klévisson Viana, Evaristo Geraldo, Lucarocas, Paulo de Tarso, Raul Poeta, Paiva Neves, Arievaldo Vianna e Tiago Monteiro.
A Feira vai promover palestras, lançamentos literários, a exibição do documentário “Cego Aderaldo – o Cantador  e o Mito”, de Rosemberg Cariry, como também a exposição e venda de folhetos de cordel, livro, camisetas e CDs. A curadoria é do cordelista e editor Klévisson Viana, vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura (2015) com o livro "O Guarani em cordel" (Ed. Amarylis, baseado na obra de José de Alencar).

Além disso, os interessados poderão participar de oficinas de xilogravura e de cordel. As inscrições estarão abertas de 07 a 16 de agosto de 2017, por meio dos emails encenaproducoes@gmail.com e aestrofe@gmail.com ou pelo telefone. (85) 3023-3064. Cada oficina terá limite de 20 vagas.

Nessa edição, os homenageados serão o repentista Cego Aderaldo (50 anos de morte), os cordelistas Gonçalo Ferreira (80 anos), Arievaldo Vianna (50 anos), o Mestre Bule-Bule (70 anos), Zé Maria de Fortaleza (60 anos de viola) e o cordelista e xilogravador Mestre José Costa Leite (90 anos de vida e 72 anos de arte).

Feira de cordel


 Manifestação literária

O Ceará se perpetua como o maior polo produtor de Literatura de Cordel desde os longínquos tempos da Tipografia São Francisco, em Juazeiro do Norte, posteriormente rebatizada de Lira Nordestina. A partir da década de 1990, essa produção se acentuou na capital do Estado, sobretudo após o surgimento de associações de poetas, trovadores e folheteiros, tais como o Centro Cultural dos Cordelistas do Nordeste (CECORDEL), a Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará (AESTROFE), entre outras, além da consolidada casa editorial Tupynanquim Editora e da Cordelaria Flor da Serra.

Apesar do linguajar simples e informal, a literatura de cordel é, hoje, revista como importante manifestação literária, pois é compreendida como uma das nossas primeiras manifestações poéticas em língua portuguesa, tendo sua origem na produção oral trovadoresca. Neste sentido, a literatura de cordel vem sendo cada vez mais aceita e estudada pelas academias e já possui uma Academia Brasileira de Cordel, fundada em 07 de setembro de 1988 com sede no Rio de Janeiro.

A II Feira do Cordel Brasileiro é uma iniciativa é da AESTROFE (Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará) com patrocínio da CAIXA Econômica Federal e Governo Federal com o apoio cultural da Tupynanquim Editora, Cariri Filmes, Editora Imeph, Programa A Hora do Rei do Baião e Premius Editora.

Sobre os homenageados

CEGO ADERALDO (Aderaldo Ferreira de Araújo) – 50 anos de morte (24 de junho de 1878 + 29 de junho de 1967)
No dia 29 de julho de 2017, completaram-se 50 anos do desaparecimento daquele que é considerado um dos mais importantes poetas populares nordestinos, Aderaldo Ferreira de Araújo - o famoso Cego Aderaldo. Nascido no Crato (CE), ele veio morar muito jovem na cidade de Quixadá (CE), depois de ficar órfão de pai, empregando-se na estrada de ferro. Cegou aos 18 anos. Trabalhava abastecendo uma caldeira quando tomou um copo de água fria e os olhos estalaram imediatamente, fazendo com que perdesse a visão pelo resto da vida. Comprou então o seu primeiro instrumento e descobriu que sabia fazer versos. Achava humilhante ter que pedir esmolas por isso exerceu diversas profissões: além de cantador foi comerciante e exibia filmes num cinematógrafo lhe presenteado por Ademar de Barros, ex-governador de São Paulo.

GONÇALO FERREIRA – 80 anos

Cearense da cidade de Ipu, o poeta, contista e ensaísta Gonçalo Ferreira da Silva nasceu no dia 20 de dezembro de 1937. Aos 14 anos transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde, em 1963, publicou pela Editora da Revista Rural Fluminense o primeiro livro: “Um resto de razão”, coletânea de contos regionais do Nordeste. Em 1978 iniciou sua produção de literatura em cordel, quando, ao realizar estudos sobre cultura popular na Fundação Casa de Rui Barbosa, conheceu o pesquisador Sebastião Nunes Batista e em companhia dele passou a frequentar a Feira de São Cristóvão. Muito exigente com a forma, tem estrofes primorosas em seus mais de 200 trabalhos já publicados. Também escreveu livros em prosa, como uma biografia romanceada do cangaceiro Lampião. É fundador e atual presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel – ABLC, situada no bairro de Santa Tereza (RJ).

ARIEVALDO VIANNA (Arievaldo Vianna Lima) – 50 anos

Nascido aos 18 de setembro de 1967 na fazenda Ouro Preto (Sertão Central do Ceará), o escritor Arievaldo Vianna foi criado à luz de lamparina, em contato permanente com as cacimbas dos saberes do povo nordestino. Foi alfabetizado em meados de 1970, graças ao valioso auxílio da Literatura de Cordel. Estreou na imprensa em 1982 no Jornal de Canindé e, logo em seguida, passou a publicar seus trabalhos no Caderno de Domingo do jornal O POVO, de Fortaleza. A partir dos anos 1980 vem publicando diversos folhetos, alguns em parceria com Gonzaga Vieira, Klévisson Viana, Pedro Paulo Paulino, Jota Batista e Sílvio Roberto Santos, entre as dezenas de livros com temática diversa e mais de 120 folhetos de cordel já publicados. É também xilogravador, chargista e ilustrador. Participou, ao lado de Dominguinhos, Assis Ângelo e Sinval Sá, de documentário da TV Câmara de Brasília sobre o Centenário de Luiz Gonzaga.

MESTRE BULE-BULE (Antônio Ribeiro da Conceição) – 70 anos
Um dos mestres da cultura popular nordestina mais renomados do Brasil, Antônio Ribeiro da Conceição, cujo nome artístico é Bule-Bule, nasceu em 22 de outubro de 1947 na cidade de Antônio Cardoso (BA), uma região onde as influências culturais do sertão e do recôncavo baiano se misturam e contribuíram decisivamente para o arcabouço artístico deste grande poeta. Figura emblemática da cultura popular, também é um excelente cordelista com mais de 100 títulos publicados; um exímio sambador e tiraneiro, além de forrozeiro de grande valor, tendo todas estas virtudes comprovadas nos oito discos e dois DVDs gravados em mais de 45 anos de carreira. Já dividiu o palco com renomadas figuras como Gilberto Gil, Beth Carvalho, Gabriel o Pensador e Tom Zé, em apresentações nos Estados Unidos, na Alemanha, Espanha e em Portugal. Em 2008, Bule Bule foi condecorado com a maior premiação brasileira para a Cultura, a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura, e em 2017 foi um dos homenageados da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará.

 ZÉ MARIA DE FORTALEZA (José Maria do Nascimento) – 60 anos de viola

 Zé Maria de Fortaleza é o nome artístico de José Maria do Nascimento, nascido em Aracoiaba (CE) em 07 de agosto de 1945. É cantador, repentista, músico, ator e cordelista. Membro da Academia Brasileira da Literatura de Cordel (ABLC), cadeira nº 24, que tem como patrono o poeta Francisco Sales Areda. Vice-presidente da Academia Brasileira de Cordel (ABC), filiado à Ordem dos Músicos do Brasil, à União dos Compositores Cearenses (UCC), à Associação dos Cantadores do Nordeste (ACN), à Sociedade dos Amigos da Arte (SOAMA) e vice-presidente da Associação de Escritores Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará (AESTROFE). Também cursou Teoria Musical no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno e foi certificado nos cursos “Influência afro na cultura brasileira” e “História da música popular brasileira”.

JOSÉ COSTA LEITE – 90 anos

José Costa Leite nasceu em 27 de julho de 1927, em Sapé (Paraíba). Diz que nunca frequentou a escola tradicional, tendo aprendido a ler soletrando folhetos de cordel. Em 1938 muda-se com a família para Pernambuco, fixando residência em Condado, cidade aonde mora até hoje. Em 1947 começa a vender folhetos nas feiras do interior e, em 1949, publica os seus primeiros títulos: Eduardo e Alzira e Discussão de José Costa com Manuel Vicente. Verseja sobre praticamente todos os temas do cordel, escrevendo clássicos como A carta misteriosa do Padre Cícero Romão Batista, O dicionário do amor e Os dez mandamentos, o Pai Nosso e o Credo dos cachaceiros.
Suas xilogravuras ilustram inúmeros folhetos – tanto os seus, como os de outros poetas – e ganharam status de obra de arte a partir dos anos 1960, quando passaram a ser publicadas em álbuns e expostas em museus, no Brasil e no exterior. Em 2005, José Costa Leite foi o convidado especial de uma exposição realizada no Musée du Dessin et de l’Estampe Originale de Gravelines (França), aonde também fez ateliês de xilogravura.
Fonte: www.casaderuibarbosa.gov.br/cordel

Programação da II Feira do Cordel Brasileiro

17 de agosto (Quinta-feira)
Teatro
14h – Abertura Oficial da II Feira do Cordel Brasileiro – Recital dos Mestres
14h40min – “Bagunça dos Brinquedos” – Apresentação teatral com texto adaptado do cordel de Mariane Bigio e participação especial das crianças da cidade de Pio IX/PI

Palco Cego Aderaldo
15h – Forró de raiz: Cecília do Acordeom (Redenção/CE)
15h30min – Rafael Brito e a Rabecaria (Fortaleza/CE)
16h – Raul Poeta (Juazeiro do Norte/CE)
16h30min – Olegário Alfredo e Ricardo Evangelista (Belo Horizonte/MG)
17h – Tempo de Brincar (Sorocaba/SP)
18h – Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre (Fortaleza/CE)
19h – Mestre Valdeck de Garanhuns (Guararema/SP)

18 de agosto (Sexta-feira)
Teatro
14h – Palestra “Receitando Cordel”
Palestrantes: Paola Torres (Fortaleza/CE), Sávio Pinheiro (Várzea Alegre/CE) e Breno de Holanda (Fortaleza/CE)
         Mediador: Assis Almeida (Fortaleza/CE)

Sala de Ensaio
14h – Oficina de Xilogravura - Facilitador: Sergio Magalhães (Itapajé/CE) – para o público a partir de 14 anos
14h – Oficina de Xilogravura - Facilitador: João Pedro do Juazeiro (Fortaleza/CE) - para o público a partir de 14 anos

Palco Cego Aderaldo
16h – Recital: Evaristo Geraldo da Silva (Alto Santo/CE), Lucarocas (Fortaleza/CE) e Arievaldo Viana (Caucaia/CE)
16h40 – Lançamentos da Cordelaria Flor da Serra com os poetas Arievaldo Vianna, Evaristo Geraldo da Silva, Auri Lopes, Marco Haurélio, Paiva Neves e Orlando Paiva.
17h – Declamação: Dideus Sales (Aracati/CE)
17h30min – Embolada: Marreco e convidado (Fortaleza/CE)
18h15min –“A grande peleja de Benedito com Guilherme Nobre” Mestre Valdeck de Garanhuns (Guararema/SP)
19h15min – Mestre Chico Pedrosa (Olinda/PE)

19 de agosto (Sábado)
Teatro
14h – Palestra “A Literatura de Cordel no panorama brasileiro”
Palestrantes: Jorge Melo (São Paulo/SP), Marco Haurélio (São Paulo/SP), Oswald Barroso (Fortaleza/CE)
Mediação: Eduardo Macedo (Fortaleza/CE)
Sala de Ensaio:
14h – Oficina de Cordel - Facilitador: Rouxinol do Rinaré (Fortaleza/CE) - para o público a partir de 12 anos

Palco Cego Aderaldo:
15h – Recital: Antônio Francisco (Mossoró/RN)
16h – Tempo de Brincar (Sorocaba/SP)
17h – Declamação – Tiago Monteiro (Pocinhos/PB)
17h30min – Francine Maria (Ibiapina/CE)
18h – Show: Canto Cordel - Tião Simpatia (Fortaleza/CE)
18h50min – Eugênio Leandro (Limoeiro do Norte/CE)
19h10min – Mestre Bule-Bule (Camaçari/BA)

20 de agosto (Domingo)
Teatro
14h – Palestra “Cego Aderaldo, o trovador do Nordeste”
Exibição do Filme Cego Aderaldo – o Cantador  e o Mito – Classificação: Livre
Palestrantes: Rosemberg Cariry (Fortaleza/CE), João Eudes Costa (Quixadá/CE) e Arievaldo Viana (Caucaia/CE)
           Mediação: Poeta Orlando Queiroz (Quixadá/CE)

Palco Cego Aderaldo
16h – Chico Pedrosa (Olinda-PE) e Antônio Francisco (Mossoró/RN)
16h30min – Forró pé-de-serra: Kutuka a Burra (Fortaleza/CE)
17h – Canções de Viola: Antônio Jocélio (Fortaleza/CE)
17h30min – Marco Lucena (RJ) e Cacimba de Aluá (Fortaleza/CE)
18h30min – Show de Encerramento: Mestre Bule-Bule (Camaçari/BA)

EXPOSITORES:
1.     ABLC (Rio de Janeiro/RJ)
2.     AESTROFE (Fortaleza/CE)
3.     Arievaldo Viana (Caucaia/CE)
4.     CECORDEL (Fortaleza/CE)
5.     Chico Pedrosa (Olinda/PE)
6.     Cordelaria Flor da Serra (Fortaleza/CE)
7.     Edições Patabego (Tauá/CE)
8.     Editora Coqueiro (Olinda/PE)
9.     Eduardo Macedo (Fortaleza/CE)
10.  Evaristo Geraldo da Silva (Alto Santo/CE)
11.  Francisco Melchiades (Fortaleza/CE)
12.  Francorli (Juazeiro do Norte/CE)
13.  Geraldo Amâncio (Fortaleza/CE)
14.  Guilherme Nobre (Fortaleza/CE)
15.  João Pedro do Juazeiro (Fortaleza/CE)
16.  José Lourenço (Juazeiro do Norte/CE)
17.  Jotabê (Fortaleza/CE) 
18.  Lucarocas (Fortaleza/CE)
19.  Nonato Araújo (Fortaleza/CE)
20.  Olegário Alfredo (Belo Horizonte/MG)
21.  Regina Drozina (Guararema/SP)
22.  Ricardo Evangelista (Belo Horizonte/MG)
23.  Rouxinol do Rinaré (Fortaleza/CE)
24.  Valdeck de Garanhuns (Guararema/SP)
25.  Valentina Monteiro (Campina Grande/PB)
26.  Tupynanquim Editora (Fortaleza/CE)

Serviço:
II FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: De 17 a 20 de agosto de 2017
Horários: Quinta a sábado: 14 às 20h | Domingo: 14 às 19h
Classificação indicativa: Livre

GRATUITO

Atendimento à imprensa:
Helena Félix – (085) 99993-4920 / pontualcomunicacao@gmail.com e
Kiko Bloc-Boris – 
(085) 98892-1195 / kikobb@gmail.com

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Fortaleza (CE):
Bebel Medal – (85) 99934-0866
bebelmedal@gmail.com
www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA



www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA
Acesse o site www.caixacultural.gov.br
Siga a fanpage: facebook.com/Caixa Cultural Fortaleza
Baixe o aplicativo “Caixa Cultural”

terça-feira, 8 de agosto de 2017

COMISSÃO MISTA FORMADA POR REPRESENTANTES DOS SERVIDORES MUNICIPAIS E DO MUNICÍPIO DE ACARAÚ APROVA CRONOGRAMA DE NEGOCIAÇÃO DO PLANO DE CARGOS CARREIRA E REMUNERAÇÃO PARA OS SERVIDORES DA SAÚDE - QUE NO MÁXIMO EM 60 DIAS ESTARÁ PRONTO!

Comissão Mista formada por representantes dos Servidores Municipais e por representantes do Município de Acaraú
Debatendo cronograma de trabalho para elaboração do Plano de Carreira dos Servidores da Saúde
Reunião que ocorreu na sede do Sindicato com a presença do Prefeito e da Procuradora Geral do Município
Fotos: Ariston Lima - Mara Paula e  Valdecy Alves
UMA REUNIÃO DE SUPREMA IMPORTÂNCIA PARA OS SERVIDORES DA SAÚDE DE ACARAÚ FOI REALIZADA NA SEDE DO SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS - APROVADO CRONOGRAMA DE TRABALHO PELA COMISSÃO MISTA:  O direito de qualquer servidor público, seja federal, estadual ou municipal, a um plano de carreira, como forma de valorização e de se prestar um serviço público de qualidade, está em vários artigos da Constituição Federal, eis alguns artigos da Lei Maior  que impõe tal direito: Artigo 39 - Inciso I, do parágrafo 1  do artigo 39 - artigo 8º do parágrafo 39 - § 5º do artigo 198... além de previsões na Constituição do Estado do Ceara, na Lei Orgânica do Município e no Estatuto do Servidor.  PORTANTO O DIREITO À CARREIRA DO SERVIDOR MUNICIPAL DE ACARAÚ É DIREITO LÍQUIDO E CERTO. DIREITO DO SERVIDOR. DEVER DO MUNICÍPIO. Estava presente o Prefeito, que deixou claro que vai acompanhar todo o diálogo, acompanhado da Procuradora Geral do Município. Presente um vereador. Servidores da Saúde. membros da direção do Sindicato, capitaneados pelo presidente, bem como a assessoria jurídica do Sindicato também presentes. Foi aprovado o seguinte cronograma de trabalho:

08/08/2017: O Município repassará para o Sindicato o esboço do plano de carreira que elaborou;
15/08/2017: O Sindicato fará todas as emendas que entender necessárias ao esboço do Município;
22/08/2017: Comissão repassará ao Município esboço da proposta com todas as emendas;
Setembro: O Município Estudará todas as emendas da Comissão do Sindicato para dizer quais aceita;
Segunda quinzena de Setembro: Fechar pontos comuns e debater os pontos controvertidos;
Outubro: A fixar datas para novas reuniões entre Sindicato - Comissão e Município... e assembleia.

FUNDAMENTAL QUE TODA CATEGORIA DA SAÚDE ACOMPANHE TODO O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO E TRAGA PROPOSTAS - LEMBRANDO QUE O PLANO DE CARREIRA TEM DOIS GRANDES OBJETIVOS:

Primeiro: A valorização do Servidor da Saúde de Acaraú e

Segundo e mais importante objetivo: PRESTAR SERVIÇO DE SAÚDE DE QUALIDADE - GARANTINDO O DIREITO À VIDA COM DIGNIDADE PARA OS MUNÍCIPES.


Com os Sindicalistas Jaqueline e Ariston
Filmando e fotografando Igreja matriz de Acaraú
Foto: Mara Paula

Clique no Link abaixo e conheça um pouco da história do Município de Acaraú:


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Related Posts with Thumbnails