domingo, 24 de setembro de 2017

CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NO CEARÁ E OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NAZISTAS... O QUE TAIS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO TÊM EM COMUM???


Foto do Relatório da Comissão Médica de 1932 - Visitados todos os Campos de Concentração da Seca de 32
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO PATU - SENADOR POMPEU - CEARÁ - Do Médico: José Bonifácio P Costa
Livro do acervo: Dnocs - Foto: Acervo Valdecy Alves

A TESE DA EUGENIA É O TRONCO DE ONDE NASCERAM OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DAS SECAS DO CEARÁ E OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NAZISTAS - IRMÃOS SIAMESES AUTÔNOMOS: Para explicar e tornar aceitável a miséria dos operários após a Revolução Industrial, foi criada a tese do Darwinismo Social, que concluía de uma forma simplista: O POBRE É O MENOS APTO. O RICO, O EMPRESÁRIO É O MAIS APTO. Logo a diferença social  entre o operário miserável e o dono da empresa era fruto de uma lei da natureza, não era culpa da sociedade humana, nem da fraqueza do Poder Público. Depois Francisco Galton, inglês, criou a tese da eugenia, que Hitler levaria ao extremo, com extermínio de judeus, ciganos, homossexuais nos seus campos de concentração. A tese da eugenia teve ampla aceitação no Brasil. Tese que basicamente defende que há raça superior a outra raça. A eugenia positiva defende a procriação da raça superior e a eugenia negativa defende que a raça inferior não deve se procriar. Darwin publicou a sua obra " Da Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta Pela Vida"  em 1859. Nesse tempo o Brasil era governado por Dom Pedro II. Tal tese foi facilmente adotada no Brasil. Caiu como uma luva para justificar desigualdades políticas, desigualdade sociais, desigualdades econômicas, por que não a tomada de certas medidas prescritas pela eugenia? SEM DÚVIDA, NINGUÉM PODE NEGAR A PRESENÇA DA EUGENIA COMO DOUTRINA JUSTIFICADORA DOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NAZISTAS E DOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NAS SECAS DO CEARÁ, como restará demonstrado adiante.

Foto do Relatório da Comissão Médica de 1932 - Visitados todos os Campos de Concentração da Seca de 32
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO PIRAMBU - FORTALEZA - CEARÁ - Do Médico: José Bonifácio P Costa
Livro do acervo: Dnocs - Foto: Acervo Valdecy Alves
O BRASIL DE EUCLIDES DA CUNHA QUE ERA O BRASIL DOS PODEROSOS POLÍTICOS E DO PODEROSO EXÉRCITO BRASILEIRO: O grande escritor Euclides da Cunha, autor de um dos mais importantes livros da literatura brasileira " Os Sertões", que narra o maior encontro entre a população dos sertões (mestiços, negros e índios) e o poder constituído, revelando a cara do Brasil, sendo o livro apenas um meio, bem mostra como havia como ainda há no Brasil, A IDEIA DE RAÇA SUPERIOR E RAÇA INFERIOR. Euclides da Cunha, como não poderia deixar de ser, naturalmente traz a visão da elite política, econômica e militar, QUE SE JULGAVA SUPERIOR AO MESTIÇO, AO NEGRO E AO ÍNDIO. Assim como o português colonizador se julgava superior aos negros e índios, que escravizaram, bem como superior aos mestiços. E a elite brasileira descendia e descende desses portugueses.  DISCRIMINAR NEGRO E ÍNDIO ERA E AINDA É FÁCIL. O PROBLEMA MAIOR ERA COMO ENQUADRAR O MESTIÇO, FOSSE MISTURA APENAS DE DUAS RAÇAS OU AO MESMO TEMPO DAS TRÊS RAÇAS. Escreveu Euclides da Cunha, na abertura do seu livro os Sertões, nas notas preliminares, sobre os mestiços brasileiros:

O jagunço destemeroso, o tabaréu ingênuo e o caipira simplório serão em breve tipos relegados às tradições evanescentes, ou extintas. Primeiros efeitos de variados cruzamentos, destinavam-se talvez à formação dos princípios imediatos de uma grande raça. Faltou-lhes, porém, uma situação de parada, o equilíbrio, que Ihes não permite mais a velocidade adquirida pela marcha dos povos neste século. Retardatários hoje, amanhã se extinguirão de todo. A civilização avançará nos sertões impelida por essa implacável "força motriz da História" que Gumplowicz, maior do que Hobbes, lobrigou, num lance genial, no esmagamento inevitável das raças fracas pelas raças fortes. 

Algumas coisas já ficam claras, ATENTE PARA O QUE FOI GRIFADO EM COR DIFERENTE, na tese que defendia Euclides da Cunha, que era a tese adotada pelo Exército brasileiro, pela elite política e econômica, observe:

I- O mestiço é definido como jagunço, tabaréu ou caipira. Conceitos carregados de discriminação;
II- O destino desse povo é a EXTINÇÃO, o que inclui negros e índios;
III- Fruto de vários cruzamentos genéticos. UMA RAÇA QUE NÃO DEU CERTO;
IV- Retardados que serão completamente extintos;
V-  Os sertões não tinham civilização. Esta avançaria ainda pelos sertões;
VI- Os sertanejos eram a raça fraca (negros, índios e mestiços). Seriam extintos pela raça forte. Os brancos. A civilização. Os que tinham poder econômico, político e militar. Que se sentiam com raízes na Europa. nada tinham com o Índio, nativo, nem com o africano, traficado. O MESTIÇO ERA UMA RAÇA INFERIOR. 

O que Euclides da Cunha não contava, nem os brancos superiores do Brasil, muitos de sangue mestiço que se diziam brancos, como ocorre ainda hoje, ERA QUE OS MESTIÇOS INFERIORES DE CANUDOS DERROTASSEM VÁRIAS EXPEDIÇÕES DO EXÉRCITO BRASILEIRO, TIDO COMO INSTRUMENTO DA CIVILIZAÇÃO QUE AVANÇAVA NOS SERTÕES PARA MATAR... COM ARMAS MODERNAS... PARA EXTERMINAR A RAÇA INFERIOR... E FORAM MORTOS... COM FOICES... ESPINGARDAS E FACÕES... FUGINDO... DEBANDANDO DE VOLTA PARA O LITORAL MESMO TENDO OS FUZIS, METRALHADORES E CANHÕES MAIS MODERNOS... Canudos mostrou o encontro desses dois brasis, até hoje por consolidar sua identidade de Norte a Sul. De Leste a Oeste.  POIS BEM... O POVO DE CANUDOS... DE TODOS OS SERTÕES DO NORDESTE... ERA COMPOSTO PELOS MESMOS RETIRANTES DAS SECAS DE 1877/1879... 1915... 1932... e todas as secas desde o Século XVII. OS MESTIÇOS SEM TERRA... OS MESTIÇOS SEM ACESSO À EDUCAÇÃO... OS MESTIÇOS SEM NADA...  A RAÇA INFERIOR... OS DEGENERADOS QUE NA VISÃO DA ELITE POLÍTICA, ECONÔMICA, RELIGIOSA  E MILITAR... TINHAM O PIOR DO BRANCO, O PIOR DO ÍNDIO E O PIOR DO NEGRO... QUE CAMINHAVAM PARA VOLTAREM A SER MACACOS... Como disse Arthur Gobineau, embaixador da França no Brasil e um dos melhores amigos de Dom Pedro II. 

Foto do Relatório da Comissão Médica de 1932 - Visitados todos os Campos de Concentração da Seca de 32
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO BURITI - CRATO - CEARÁ - Do Médico: José Bonifácio P Costa
Livro do acervo: Dnocs - Foto: Acervo Valdecy Alves

OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO E O SERTANEJO TRATADO COMO GADO - O NAZISMO EUGÊNICO DA ELITE CEARENSE: Esse povo sertanejo (mestiço, negro, índio)... esse povo em sua quase totalidade mestiço... cuja força de vontade e valentia... num paradoxo genial... fez Euclides da Cunha afirmar que "o sertanejo é antes de tudo um forte". É o mesmo povo que fez o cearense e um dos maiores historiadores do Brasil Capistrano de Abreu declarar que " O sertanejo foi capado e recapado, sangrado e ressangrado" pela exploração do reino de Portugal. O grito da Independência, a Proclamação da República... APENAS MUDARAM A MÃO DO RESSANGRADOR E DO RECAPADOR... Brasileiro passando a ressangrar e a recapar o brasileiro tido como raça inferior.

O mestiço é o agrupamento de gente, sem terra, sem acesso a nenhum direito civil e político... pessoas que acabavam sendo definidas nas secas... sobretudo quando abandonavam as casas das fazendas onde moravam... levando tudo que tinham, como: RETIRANTES - MOLAMBENTOS - FLAGELADOS - CASSACOS... HORDA DE FAMINTOS...  Tão imortalizados na família da Fabiano, no livro Vidas Secas... , de Graciliano Ramos... Chico Bento, no livro O Quinze,  de Raquel de Queiroz... Manuel de Freitas, no livro A Fome, de Rodolfo Teófilo... na retirada... alguns levando seu jumento e o cão... Fundamental lembrar que a Fortaleza, capital do Ceará, afrancesada, já tinha seu passeio público, dividido em 03 partes, três classes sociais, que não se misturavam nem na Praça Pública. NESSA FORTALEZA, DA SECA DE 1877/1879, ocorreu o encontro do sertanejo do interior, que veio pedir comida, os sem nada... sem teto... sem terra... mestiços... com os cearenses que falavam francês... que moravam em prédios com arquitetura neoclássica e se vestiam conforme a moda em Paris.  

Ao contrário de Canudos, os retirantes é que invadiam a cidade... invadiam o litoral... famintos... Calcula-se que no Ceará, que não era tão francês, como alguns imaginavam, 500.000 pessoas morreram de fome na grande seca de 1877/1879...  Fortaleza teve a população aumentada de 20.000 almas para 120.000...  e quase que se acabou o rebanho bovino do Estado... o gado... gado.. Pois o povo gado... o povo retirante... o povo inferior... foi colocado aos milhares em abarracamento na Jacarecanga... depois chamado de Concentração... O famigerado Alagadiço... não foram necessárias câmaras de gás... quem escapou da fome... foi presa fácil para o sarampo (crianças) tifo... varíola... cólera... Houve um dia, registrado por Rodolfo Teófilo... que morreram 1.004 pessoas... a grande Seca de 1877/1879, a exemplo de Canudos, colocava a raça tida como inferior diante da elite que se tinha por raça superior. A cultura dos campos de concentração seriam aperfeiçoados na Seca de 1915, quando reabriram o Campo de Concentração do Alagadiço e um novo, agora o Campo de Concentração do Matadouro, ao lado do local em que desembarcavam gado... afinal tudo era gado mesmo...   

Matéria do Jornal " O Povo' - De 20 de junho de 1932 - No futuro os campos teriam muito mais gente
Foto e acervo: Valdecy Alves

NA SECA DE 1915 NASCEU A TERMINOLOGIA CAMPO DE CONCENTRAÇÃO, muito criticada por Rodolfo Teófilo. Na grande seca de 1932 a experiência dos campos de concentração no Ceará foi aperfeiçoada. Desta feita, criaram 07 campos de concentração: 02 em Fortaleza, um chamado de Urubu, perto do lixão, no Pirambu, e reabriram o Campo do Matadouro agora com o nome de Otávio Bonfim. Criaram um na região Norte do Ceará, na cidade de Ipu e 04 campos de concentração ao longo da via férrea Fortaleza a Crato, a saber: Quixeramobim, Senador Pompeu (Campo do Patu), Carius e em Crato ( Campo do Buritis).

ASSIM COMO A DISCRIMINAÇÃO JUSTIFICARA A ESCRAVIDÃO DO NEGRO E POR MUITO TEMPO JUSTIFICARA A ESCRAVIDÃO DO ÍNDIO NO BRASIL COLONIAL...  PARA OS COLONIZADORES NÃO ERAM GENTE... A MESMA DISCRIMINAÇÃO JUSTIFICAVA A CONCENTRAÇÃO DE PESSOAS NUM ESPAÇO MÍNIMO... SEM HIGIENE... RECEBENDO COMIDA INSUFICIENTE... UM LOCAL MALDITO... ONDE APENAS OS CARIDOSOS COMPARECIAM... E MESMO AS RAÇÕES DISTRIBUÍDAS... ANTES DE CHEGAR AOS CAMPOS... ERAM DESVIADAS PELA CORRUPÇÃO... DISCRIMINAÇÃO QUE PERDURA ATÉ OS DIAS ATUAIS... SOBRETUDO NO SUDESTE DO BRASIL...

Foto do Relatório da Comissão Médica de 1932 - Visitados todos os Campos de Concentração da Seca de 32
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO BURITI - CRATO - CEARÁ - Do Médico: José Bonifácio P Costa
Livro do acervo: Dnocs - Foto: Acervo Valdecy Alves
A EUGENIA ADOTADA PELA SOCIEDADE CIVIL DE FORMA CLARA E NA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO: A tese da eugenia, depois de trazerem levas de italianos, alemães, bem como outro povos... até japoneses... PARA BRANQUEAR O BRASIL... limpando o país da mancha negra e índia... fortaleceu-se como nunca. Em 1918 foi criada a Sociedade Eugênica de São Paulo e outras em várias capitais da República.  No artigo 138, da Constituição de 1934, da Era Vargas, a eugenia tornava-se obrigatória, adotada pelo Estado Brasileiro, com o seguinte comando para municípios e estados da Federação:


Art 138. Incumbe á União, aos Estados e aos Municípios, nos termos das leis respectivas:
      b) estimular a educação eugênica;
    
Retirantes na Estrada - Seca de 1979/1983
Foto: Júlio Jacobina/Folha Imagem

DO TRABALHO ESCRAVO NAS GRANDES SECAS E DO EXTERMÍNIO DOS SERTANEJOS: As grandes obras no Estado do Ceará, as estradas que passaram a ligar todos os pontos em virtude do interesse econômico, a estrada de ferro... EM SUA MAIOR PARTE CONSTRUÍDAS PELA MÃO DE OBRA DE FLAGELADOS A PARTIR DA GRANDE SECA DE 1877/1879... concentrados em torno dessas grandes obras... outras vezes deslocados dos campos de concentração para as obras. A estrada terrível que atravessa a Chapada da Ibiapaba,  foi cavada na serra, a mão e chibanca, por flagelados.   O mesmo que se diga dos grandes açudes. Trabalho escravo em troca de comida. Mas nem todos tinham esta sorte, muitos foram colocados em navios, com objetivo de ser mão de obra barata no Sudeste do Brasil, de  povoar o Maranhão, Pará e Amazonas... sem falar nos soldados da borracha... milhares sobreviveram... outros morreram vitimados pela malária... no paraíso das águas da região amazônica. Os retirantes dos quais os governos se livraram com a expatriação e o exílio... foram incontáveis... não se têm tais estatísticas. Fundamental salientar, que na história de todas as secas, muito mais gente morreu nas estradas... de fome... ou em suas casas no sertão... pois nem todos abandonavam o sertão para aventurar-se sem destino... nômades... herança da cultura indígena... que no passado colonial migrava para serras e para onde havia água... e comida... de todos e para todos. Segundo alguns historiadores, se juntar todas as vítimas das grandes secas, desde os primeiros registros no Século XVII, morreu mais sertanejo nas secas de fome e vitimados por epidemias, que judeu na Segunda Guerra Mundial.

SEMELHANÇAS ENTRE OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DAS SECAS E OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DE HITLER: 1) Discriminação pela eugenia. O concentrado era raça inferior; 2) Mão de obra escravizada; 3) Alimentação insuficiente em forma de ração; 4) Nos anos 15 e em 1932, trem como forma de transporte dos concentrados para as concentrações; 5) Condições de higiene péssima; 6) Prisão, uma vez dentro, não poderia mais sair; 7) Castigo para os indisciplinados; 8) Morte por inanição; 9) Praga de piolhos, raspagem de cabelos; 10) Com o tempo todos fardados, os retirantes vestidos em roupas brancas, dos sacos de mantimentos, estranho fardamento.

PRINCIPAL DIFERENÇA ENTRE OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NAZISTAS E OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO CEARENSES: enquanto na guerra, o racismo e a discriminação eram praticados entre povos de diferentes culturas e nacionalidades, nos campos de concentração do Ceará, brasileiro matou brasileiro, cearense matou cearense. AS POLÍTICAS DE ASSISTÊNCIA NUNCA PROCURARAM LIBERTAR O SERTANEJO DA MISÉRIA, MAS MANTER VIVA A MÃO DE OBRA NECESSÁRIA ÀS LAVOURAS DOS CORONÉIS, À INDÚSTRIA DO SUDESTE E AO POVOAMENTO DO NORTE DO BRASIL. Políticas geralmente improvisadas, que priorizavam a indústria da seca. Do império à República. Da Era Vargas aos tempos atuais, prevaleceu o assistencialismo ineficaz, alienante e nunca libertador. O SERTANEJO CONTINUA DE PROPÓSITO ESCRAVO DA  NECESSIDADE, SEM ACESSO AOS DIREITOS CIVIS, SOCIAIS E POLÍTICOS, COMO ESTÁ PREVISTO NA CONSTITUIÇÃO E NOS PRINCIPAIS TRATADOS INTERNACIONAIS RATIFICADOS PELO BRASIL. POIS NÃO É GENTE. CONTINUA SENDO TRATADO COMO GADO. Como bem cantou Geraldo Vandré, em sua música: Disparada.

Cozinha num abarracamento - higiene mínima
CONCLUSÃO: Há uma nação de refugiados dentro do Brasil, sem destino, sem terra, mestiços, sempre tratados como raça inferior até os dias atuais. Mesmo sem ter guerra civil interna, embora Canudos tenha sido uma guerra civil localizada e o cangaço uma forma de resistência, onde quem era bandido para o governo, ainda hoje é lendário para o povo, caso de Lampião. A exemplo de Robin Hood. Há uma nação de expatriados, utilizados como ferramenta para indústria da seca, como mão de obra escrava, usados como massa para povoar regiões inóspitas do Brasil, onde também foram abandonados sem qualquer assistência. Uma nação de refugiados que com a possibilidade do voto, passaram a vender o voto por comida... até mesmo adotando tais estratégias eleitorais a falsa esquerda socialista... que em nome do poder aliou-se ao que havia e há de mais atrasado em cultura política no Brasil. Há uma nação de refugiados que fundou a Comunidade de Caldeirão de Santa Cruz de Deserto, no Crato, bombardeada pela Aeronáutica brasileira... nação que forma o povo devoto de Padre Cícero... santificado pela religiosidade popular e recebe a visita anual de mais de 2 milhões de devotos... mesmo excomungado pela Igreja...  sorte do poder político que esta nação de refugiados não entendeu que sua situação é e sempre foi fruto de toda a política adotada pelo Estado brasileiro na mão dessa suposta raça superior... ou mais que simples saques em armazéns... nas grandes secas... ou mesmo Canudos e Caldeirão... ESSA LEVA DE SERTANEJOS TERIAM AVANÇADO EM DIREÇÃO AOS SEUS ALGOZES QUE DESVIARAM A FUNÇÃO DA POLÍTICA E DO ESTADO... PARA SEUS ETERNOS INTERESSES... O QUE PERDURA ATÉ OS DIAS ATUAIS. COMO O POVO FRANCÊS AVANÇOU SOBRE PALÁCIOS E NOBRES NA REVOLUÇÃO FRANCESA... Pois continua capagem e a recapagem... a sangria e a ressangria... do povo humilde brasileiro... dos mestiços... dos expatriados... dos sem nada... da ração inferior.

Uma nação cuja miséria vivida no único campo de concentração preservado da história de todas as secas do Ceará e do Brasil... a Auschwitz das secas... pode ter sua história compreendida... visitando-se o Campo de Concentração do Patu, em Senador Pompeu, Sertão do Ceará, criado num canteiro de obras, que serviria de campo base para construção da Barragem do Patu, cujas obras tiveram início em 1920 e só foram concluídas em 1987...  com capacidade de armazenamento de água 03 vezes menor...  sendo tal canteiro de obras... abandonado por décadas...  composto por 12 casarões e 160 casas de taipa. Irônico, que um local que teoricamente foi criado para libertar o povo da fome e da miséria, inverteu seu fim... FOI TRANSFORMADO EM CAMPO DE CONCENTRAÇÃO... ONDE OS HORRORES DA SECA FORAM VIVIDOS... OS PAVORES DA DESUMANIDADE E DA CORRUPÇÃO... MILHARES EXTERMINADOS PELA FOME... PELO ABANDONO... PELO TRABALHO ESCRAVO... POR EPIDEMIAS... A PONTO DE NO LOCAL HAVER UM CEMITÉRIO... ONDE MILHARES DE VÍTIMAS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS GOVERNAMENTAIS FORAM ENTERRADOS EM VALAS... TIDO COMO LOCAL SANTO... ONDE ROMEIROS PAGAM PROMESSAS ÀS SANTAS ALMAS DA BARRAGEM... PARA ONDE ATÉ OS DIAS ATUAIS OCORRE A CAMINHADA DA SECA...  EM HOMENAGEM AOS MORTOS E SANTIFICADOS VITIMADOS PELO ÚNICO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO CUJOS REGISTROS FORAM REMONTADOS POR DOCUMENTOS E A ORALIDADE POPULAR... POIS O PODER PÚBLICO - ENVERGONHADO COM OS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DE HITLER - MADE IN BRASIL/CEARÁ - DEU FIM A TUDO - DA MESMO FORMA QUE OS NAZISTAS TENTARAM APAGAR DA HISTÓRIA TODAS AS PROVAS QUE DEPOIS COMPROVARAM OS HORRORES DA EUGENIA.. DA DISCRIMINAÇÃO E DO RACISMO EM SEUS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO... MÁQUINAS DE DOR... INJUSTIÇA E MORTE...

Clique na imagem abaixo e veja vídeo sobre o mesmo tema desta postagem: 



Caminhada da Seca - Em homenagem aos Mortos do Campo de Concentração do Patu - Santificados pela religiosidade popular:










Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails