quinta-feira, 31 de julho de 2008

DA TUA RELAÇÃO COM DEUS

Nicolas Poussin - 1635

Fragmento da Peça: DEMIURGO DEUS CRIATURA DOS HOMENS, de Valdecy Alves. Em processo de montagem. Onde se discute a religião, a fé, a religiosidade e a relação das pessoas com a divindade. Boa leitura. MAS QUAL É MESMO A SUA RELAÇÃO COM A RELIGIÃO E COM O SEU DEUS. Reflita um pouco após a leitura.
...................................................................
...................................................................
DA TUA RELAÇÃO COM DEUS
...................................................................
...................................................................
PERSONAGEM NIHIL: Em Qual Deus tu creres ??? Qual é a tua relação diária com Deus ??? Por acaso o teu amor e respeito ao teu Deus é proporcional às concessões que acreditas te são feitas ou que te são negadas ??? Glorificas Deus por achares que é digno de glórias e aleluias ou por mera subserviência, como a presa diante do predador que espera o momento de ser morta, rendida, num olhar onde não é possível distinguir o que é maior se o sentimento de medo ou de ser objeto de piedade. Clamando pela vida ??? Acreditas no teu Deus por medo de perderes o passaporte para o paraíso prometido, para pasárgada sabe se lá onde fica entre as estrelas, que aos mais incultos, no sertão perto do equador, parecem pairar acima das nossas cabeças... ???? Pasárgada para qual nada fizeste para edificá-la perto de ti... para ti...e para os outros !!! O paraíso... paraíso que telescópio algum localizou ??? Fosse o paraíso acima dos homens, sobre suas cabeças, o primeiro que o teria divisado seria Galileu, quando apontou seu telescópio para os céus. Creres em Deus para agradecer o patrimônio, o emprego alcançado, a sorte no jogo... etc... etc... etc e tal..... ???? Acaso não terias mais se utilizasses o tempo para agradecer... para desejar... desejar para planejar, planejar para agir... agir para tornar real o sonhado......... ??? O conhecimento nasce da dúvida como a planta nasce do chão... como nossas obras nascem dos sonhos... Quem mais pode colher ? Aquele que perde as chuvas agradecendo-as ao céu ou o que prepara a terra antes ??? planta durante e continua aingo para bem aproveitar cada gota de chuva ???? Parece ser mais verdadeiro o ditado que diz que Deus ajuda a quem madruga, não a quem reza de madrugada !!! És o que reza na madrugada ou és o que madruga... Crê ! se tua crença é a de que teu deus se encontra fora de ti... então estarás sempre sozinho... nasceste... vives e morrerás sozinho !!!! Até porque te vês a si como autônomo e além o resto do universo.

Qual a tua relação com Deus ??? De onde ela parte ? Ela termina em Deus ou passa pelo teu Deus ? Quais os teus motivos onde estão alicerçadas tua crença e fé ??? Talvez seja possível conhecer o homem melhor pelas razões que o levam a acreditar no divino que pelos seus sonhos, que pelo próprio deus em que crer... São tantos os deuses, que é possível qualificá-los, tal qual se classificam as espécies de plantas ou animais da natureza... Na verdade há mais deuses que as próprias necessidades e temores dos homens juntos..... AFINAL: Sabes qual é a verdadeira relação que tens com o divino ??? Hein, tu sabes ??? Talvez seja possível conhecer-te mais a ti mesmo através do teu Deus e das razões que o levaram até tua fé, que conhecendo a ti mesmo... Pois os seres humanos escondem-se até de si mesmos, enquanto que através da fé, revela-se intensamente... É hora de saberes, qual é afinal a tua verdadeira relação com Deus... com o divino... É ora de enxergar-te pelas lentes de tua religião...... !!!!

JORNAL SINDICAL


JORNAL SINDICAL :
NECESSIDADE, FORTALECIMENTO E LIBERDADE DE EXPRESSÃO


Um dos maiores defensores da liberdade de expressão dos tempos modernos foi o grande filósofo e pensador francês VOLTAIRE. Em certo episódio, mesmo discordando das teses de Rousseau, chegou a dizer-lhe: “ Não concordo com uma palavra do que você disse, mas morro lutando pelo seu direito de dizê-lo.” TODAVIA, QUAL A IMPORTÂNCIA DE JORNAL SINDICAL COMO FERRAMENTA DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO E FORTALECIMENTO DO PRÓPRIO SINDICATO ???

Platão dizia que antes de tudo está a idéia. Kant afirmava que todo o mundo em volta que entendemos e compreendemos não passa de um fenômeno inventado por nós, completamente diferente da coisa em si. Isto é: o que definimos por mar só é mar para nós, sendo o mar outro objeto completamente diferente numa visão cósmica alheia á cultura humana. Logo como a nossa realidade é uma grande invenção, A PALAVRA TORNA-SE FUNDAMENTAL COMO FERRAMENTA DE CRIAR VERDADES, MITOS E MENTIRAS. Todos, pois, tentando controlar os instrumentos por onde vão as palavras, através das quais navegam as idéias. Sobretudo, os poderosos querem controlar os meios de comunicação, principalmente por ser meio de exercício de poder, de alcance de poder, de manutenção do poder.

Perceba: os principais jornais do Ceará e canais de TV pertencem a famílias com enorme poder econômico e político. Em sua cidade, certamente, as rádios pertencem a políticos e a informação não é dada conforme os fatos, mas conforme os interesses pessoais e de grupos. Mesmo as rádios comunitárias devem pertencer a entidades não governamentais só de fachada. São raras as exceções. Logo a Liberdade de Expressão só é possível se também tiver uma ferramenta que permita que a mesma chegue ao público desejado. No caso dos Sindicatos, um jornal escrito para categoria, impresso ou eletrônico, faz-se necessário para categoria ter acesso às informações que lhe interessem, mormente que digam respeito aos seus direitos, à cidadania.

Na Idade Média a igreja queimou Giordano Bruno, calou Galileu, prendeu Da Vinci, proibiu livros e mais livros. Voltaire teve inúmeros livros queimados em praça pública. Nos dias atuais poucos podem ter um canal de tv, uma rádio, um jornal. Os que detêm o poder não admitem, não conseguem conviver com a liberdade de expressão. UM JORNALZINHO SINDICAL, não apenas é uma ferramenta confiável de informação, como elo de ligação com a categoria.

A Constituição Brasileira garante a livre manifestação de pensamento, o acesso á informação e que se diga: ACESSO À INFORMAÇÃO DE QUALIDADE. Um jornal se faz necessário a um Sindicato, que realmente pretende ter eficácia no seu trabalho e ser levado a sério. Importante criar e-mail para cada membro da categoria, para também o jornal chegara te eles de forma eletrônica. Não é possível abrir mão da internet nos dias atuais.

No jornal, além das notícias, dos fatos sociais, dos aniversários, da agenda cultura, artigo e criação dos trabalhadores e trabalhadoras, que exercerão sua liberdade de expressão, um dos mais importantes direitos humanos, que era sonho na Idade Média. Está anunciado no artigo XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos, bem como o artigo 5º, inciso IV e IX, da Constituição Brasileira. Artigo contido no capítulo dos DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS.

Chegou o momento de criar o jornal se não tem. Se tem é chegada a ocasião para incrementar sua confecção e distribuição. Distribuí-lo eletronicamente, criar e-mail para os trabalhadores que não tem e assim agir para construção da verdadeira democracia, ao tempo que fortalecer a entidade, permite a criação, circulação e acesso às idéias. Então: mãos à obra !

quarta-feira, 23 de julho de 2008

CAMINHADA DA SECA

Foto: Pe. João Paulo


A exemplo das romarias que ocorrem em Juazeiro, da cavalgada que ocorre em São José do Belmonte (PE), das visitas a Caldeirão no Crato (CE), todo mês de novembro ocorre a caminhada da seca em Senador Pompeu (CE), em memória aos mortos do Campo de Concentração da Barragem do Patu, na Seca de 1932.
Em homenagem aos milhares de mortos e a seus descendentes escrevi a poesia que segue:


Ao rés, ao rés, ao rés, ao rés do chão...
dois pés... três pés... quatro pés...
ao rés, ao rés, ao rés do chão
Dez pés, cem pés, mil pés...
pés ... pés... incontáveis pés...
ao rés do chão....


uma rede... um corpo.... passos arquejantes
subindo a ladeira
rumo ao cemitério
que se aproxima dos pés no chão


É o décimo... não..... o vigésimo!
não... é mais ... é mais...
o valado está cheio
cheio de corpos
alimentos do chão... !!!
Num faz diferença
o ontem, o anteontem...
O hoje, o amanhã
a sempre realidade do sertão........

A ÉTICA NAS NOVELAS DA GLOBO


Saturno devorando seu filho - 1820-1823
Francisco Goya


Andei analisando um pouco as novelas da Globo, sobretudo das 20 h. Da reflexão eis a crônica:

A vida do homem consiste numa milícia conta a malícia do homem”
(Baltasar Gracián – Filósofo Espanhol)


A grande escritora cearense Raquel de Queiroz falando de sua infância e juventude declarava que uma das diversões preferidas da família, à noite, era ler romances. O mesmo dizia José de Alencar que se tornou famoso com sua obra O Guarani, publicada capítulo por capítulo em jornais do Rio de Janeiro, fazendo tal sucesso que os capítulos eram lidos à luz de lampiões, por grupos de pessoas nas praças do Rio. Com a invenção do rádio, tal costume deu lugar às rádios-novelas, que se tornaram febres nacionais, acabando por serem substituídas pelas novelas televisivas, de sucesso estupendo na cultura brasileira.

Ninguém pode negar a importância de uma Odisséia, de uma antígona, obras monumentais da cultura grega, pelo que podem ensinar, além de divertir. O mesmo vale para Hamlet, de Shakespeare, Dom Quixote, de Cervantes, Os Miseráveis, de Victor Hugo, Dom Casmurro, de Machado de Assis e tantas outras obras. Mas, no campo ético, que contribuição, pode dar as novelas das 20h da Globo, herdeira ameaçada pela Record da tradição das rádios-novelas? Bom dizer que ética está ligado ao que é bom para todos, à moral, ao bem, ao bom caráter.

Na antepenúltima novela: o par principal e os vencedores da preferência nacional foi o casal de pilantras da Novela, interpretados por Wagner Moura e Camila Pitanga. Ele um estelionatário, com tendência assassina, ela prostituta escandalosa, analfabeta e sua cúmplice.

Na penúltima novela, a trama centrou-se nos personagens mais imorais da novela: Juvenal Antena, um gângster moderno, um coronel de favelas, com exército particular. Ferraço, empresário estelionatário, que teve até direito ao perdão, pata terminar com a mocinha.

Na última novela, ainda em cartaz, A Favorita, as atrizes que fazem os papéis principais, Patrícia Pillar e Cláudia Raia, utilizam de todas as táticas criminosas numa guerra pessoal, que gira em torno da vingança barata. Cercadas de outros personagens não menos lúgubres: O Silveirinha uma espécie de mordomo, especialista em golpes baixos, sem falar nos pilantras coadjuvantes. Há ainda um repórter idiota, um falso ecologista e o Tarcísio Meira que é um sindicalista, sem sindicato e sem categoria de sua base sindical.

ONDE ESTÃO OS PERSONAGENS QUE PODEM TRANSMITIR A IDÉIA DE ÉTICA ? DE JUSTIÇA ? DE VALORES ? Não existem. Não se sabe se pelo fato da novela ser um retrato do Brasil, se o Brasil em parte ser produto da novela ou se o Brasil e a novela das 20h, montanha abaixo, transformam-se numa avalanche de lama, onde a maior vítima realmente é a ética.

De uma coisa podemos ter certeza: Nenhuma das 03 últimas novelas da Globo será um clássico da humanidade como obra audiovisual. Ainda bem ! Menos Mal ! Roque Santeiro paira como exemplo de novela que divertiu, sem apelar, debatendo temas profundos como a religião e a política. O mesmo se pode dizer com séries como o Bem Amado. Fica uma pergunta no ar: SERÁ QUE NO BRASIL SÓ TEM LADRÕES, PICARETAS, PROSTITUTAS, DROGADOS, CORRUPTOS,EMPRESÁRIOS DESONESTOS, CANALHAS, MENTIROSOS........ ???

domingo, 20 de julho de 2008

A VIOLÊNCIA DO ESTADO E DE CADA UM


Pablo Picasso, Guernica, 1937


- REFLITA: A não implementação dos direitos sociais fundamentais: educação, saúde, trabalho, moradia, lazer, segurança, previdência social... é um tipo de violência ??? A família, a sociedade e o Estado estão cumprindo o seu papel ???
- REFLITA: A política carcerária no Brasil é uma solução, pune, previne e ressocializa o criminoso ??? Cumpre seus objetivos ???
- VOCÊ SABIA QUE: O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê a aplicação das seguintes penas ao menor: ADVERTÊNCIA/REPARAÇÃO DE DANOS/PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS/LIBERDADE ASSISTIDA/SEMI-LIBERDADE/INTERNAÇÃO;
- SAIBA QUE Os crimes com violência contra pessoa praticados por adolescentes mal chegam a 1% do total de delitos de tal natureza praticados. Não se pode legislar para todos tendo como parâmetro a exceção;
- A VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO resulta em 750 mil acidentes por ano, 27 mil mortos no local do acidente, incluindo os que morrem depois no hospital são 45 mil mortos, custando aproximadamente R$ 5,5 bilhões como prejuízo ao país. Crescendo os acidentes de moto;
- A VIOLÊNCIA CONTRA MULHER tomou proporções tão sérias no Brasil, que foi necessário criar uma lei especial disciplinando a violência doméstica, A LEI MARIA DA PENHA. Dois terços dos homicídios cometidos contra mulheres são cometidos pelo marido ou companheiro;
- VOCÊ SABIA QUE a terceira maior causa de morte no Brasil é o homicídio. Só perdendo para doenças cardiovasculares e o câncer?
- O BRASIL é campeão mundial de violência contra homossexuais. A cada 02 dias um é morto;
- 36.000 pessoas são mortas anualmente com armas de fogo. A maioria das vítimas tem entre 15 e 24 anos. A polícia é bem paga, bem treinada, tem meios adequados para trabalhar ???
- No Brasil há cerca de 17,5 milhões de armas de fogo. Só 10% pertencem ao Estado. 63,9% dos homicídios são praticados com armas de fogo, 18,8% com armas brancas;
- A primeira causa de homicídio é a vingança., 5% é para prática de roubo, o latrocínio;
- QUE TAL cada um procurar conhecer os direitos humanos contidos na Declaração Universal, os Direitos e Garantias Fundamentais contidos no artigo 5º da Constituição Federal e se aprofundar no que seja cidadania e ética ??? CONHECER E PRATICAR !
- QUE TAL ENTENDER E LUTAR PELO QUE ESTÁ CONTIDO NO ARTIGO 3º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL: “ Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil – I) construir uma sociedade livre, justa e solidária; III- Erradicar a pobreza e a marginalização...; IV- promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação;”

- Uma sociedade que escolhe fórmulas pseudo-milagrosas para combater a violência (Pena de Morte, Prisão Perpétua, Redução da Maioridade...), acabará mergulhada num mar de sangue !!! VOCÊ ESTÁ PREPARADO(A) PARA ISSO ???

SOIPTOUSAIÇÃO



Claro que a esperança do mundo e de cada um individualmente não repousam no Estado. Todavia, sem dúvida, que o Estado pode fazer muito. Então a oposição tem que ser mais do que aquilo que é oposto ao que não está no poder. Tem que ser uma alternativa real dee mudança. Não apenas a outra face da mesma moeda. Em ano eleitoral eis uma poesia do meu Livro Embrionária:


O cão ladrava
mais furioso
cada vez que ouvia
o próprio furioso eco
do próprio furioso latido...

ódio do outro cão
ódio de si mesmo
no espelho de sons...

Igualmente na politicaria
é a situação e a oposição...
lados da mesma moeda
estado e cidadão: as presas !

sábado, 19 de julho de 2008

DIREITOS HUMANOS


CANDIDO PORTINARI, Retirantes - 1944


I N T R O D U Ç Ã O - D I R E I T O S H U M A N O S

O homem como animal que construiu a mais complexa convivência social edificou também as mais complexas regras de convivência, estabelecendo códigos de conduta visando à harmonia relação indivíduo x indivíduo, indivíduo x instituições, indivíduo x Estado. No meio dessa teia jurídica, para evitar-se abusos, surgem os direitos humanos, que são direitos básicos garantidos a qualquer cidadão, para que tenha no mínimo uma vida digna, para que racionalmente possa ficar claro que vivemos em civilização, embasada na razão, na Justiça, na inteligência, buscando a perfeição, no sentido de se alcançar a felicidade individual e coletiva, com total respeito ao estado democrático e à justiça social. Os menos informados resume direitos humanos como direito de bandido. Isso é como avaliar a sinfonia por apenas uma nota musical !

Os direitos humanos são então direitos básicos, garantidores do mínimo que permitam viver com dignidade. Direitos que podem ser civis, políticos, sociais, culturais, econômicos. Direitos que são perseguidos desde os primórdios da humanidade, tendo como exemplo: O direito de ir e vir, pelo qual Moisés tanto lutou, buscando abolir a escravidão; O respeito ao direito à vida e à propriedade defendidos no Código de Hamurabi; A condenação á pena de morte no caso de Jesus defendendo a Prostituta; O respeito aos mais idosos presentes nas tribos americanas; Acesso à Justiça garantido em todos os povos, em todas as civilizações com seus juízes, conselhos, etc; direito à segurança, direito á integridade física e moral do preso, direito á participação política com o advento do voto; a criação do Mandado de Segurança e do habeas corpus. Enfim o direito é inerente ao homem, os direitos humanos também, pois são mecanismos necessários à busca pela felicidade, sonhada por todo ser vivo.

Com a revolução Francesa há uma sistematização dos direitos humanos, contida nos idéias revolucionários, que ganha forma definitiva com a Declaração universal dos Direitos Humanos, QUE EM DEZEMBRO PRÓXIMO COMPLETA 60 ANOS, uma carta de intenção que passa a ter garantias de tornar-se realidade através dos pactos internacionais, dos quais o Brasil é signatário dos mais importantes, muitos princípios adotados pela Constituição de 1988, a constituição Cidadã. BOM QUE TODO BRASILEIRA LEIA NO MÍNIMO: A Declaração universal dos Direitos Humanos, o artigo 5º da Constituição Federal, 6º, 7º, 205, 215, 225... no mínimo. Eis um resumo dos direitos humanos:

MECANISMOS DE DIREITOS HUMANOS

Internacionais

Declaração Universal dos Direitos Humanos
(Aprovada Pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 10/12/48)
Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos
(Ratificado pelo Brasil em 24/01/1992)
Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais
(Ratificado pelo Brasil em 24/01/1992)
Pacto de San José ou Convenção Americana Sobre Direito Humanos
(22/11/69 – Promulgada pelo Brasil em 06/11/92)
Convenções da OIT

Nacionais

Constituição Federal
( Artigo 5º e Incisos)
Eca
Estatuto do Idoso

LIMITES DOS DIREITOS HUMANOS

Os direitos humanos abrangem todos os campos, não se restringindo aos direitos do preso, assim entendido pela imprensa desinformada e pessoas alienadas quanto à abrangência dos direitos humanos. Não se poderia falar de direitos humanos sem falar de importante pacto, feito, sobretudo, pelo Ocidente, na busca de obrigar os países do antigo bloco comunista a respeitar direitos civis do cidadão. Um dos principais estudos sobre direitos humanos divide-os em 05 classes constituídas por 16 grupos:

Os direitos humanos são divididos também em gerações. Na primeira geração o estado devendo se abster de violar os direitos na relação com o cidadão, coibindo-se o abuso, buscando-se corrigir e as distorções, representados por instrumentos corretivos como o MANDADO DE SEGURANÇA E O HABEAS CORPUS. TRATAM DA LIBERDADE;

Na segunda geração de direitos humanos são contemplados os direitos coletivos e difusos, envolvendo questões que atingem interesses de toda nação ou homogêneos, determinada camada da sociedade, determinada região. Sendo exemplo de ferramentas para garantir tais direitos a AÇÃO POPULAR, A AÇÃO CIVIL PÚBLICA, CÓDIGO DO CONSUMIDOR... TRATAM DA IGUALDADE.

Havendo ainda uma terceira geração (FRATERNIDADE) e já se falando numa quarta geração de direitos humanos . O que demonstra que a idéia e noção dos direitos humanos só têm avançado ao longo da história, o que sem dúvida, demonstra um avanço da humanidade., que precisa evitar os erros, padronizar os acertos, colocar a felicidade acima de tudo, não só a própria felicidade, am\s a felicidade dos outros, o que justifica a existência do Estado, a Vida em Sociedade, a existência dos direitos humanos, cujo desafio atual, para sua evolução é a sua globalização, a exemplo do que tem ocorrido no mundo econômico.

Deixando-se as seguintes perguntas: O QUE SEI DE DIREITO HUMANO ? TENHO VIOLADO DIREITOS HUMANOS ? QUE DIREITOS HUMANOS TENHO VISTO SEREM VIOLADOS ? O QUE TENHO FEITO PARA QUE RESPEITEM OS MEUS DIREITOS E OS DIREITOS DOS OUTROS ??? É POSSÍVEL ACREDITAR NUMA SOCIEDADE QUE NÃO INSTITUA DIREITOS HUMANOS BÁSICOS ??? A VIIOLÊNCIA PODE SERVIR DE ALICERCE PARA CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE REALMENTE COM JUSTIÇA SOCIAL ???


EXEMPLOS DE CLASSES DE DIREITOS HUMANOS


Direitos Econômicos

Alimentar-se, Moradia Trabalho
Direitos Trabalhistas

Direitos Sociais

Direito à Segurança Social
Direito das Famílias, Mães e Crianças
Direito à Saúde Mental e Física

Direitos Culturais

Direito à Educação
Direito à Cultura e Acesso ao Progresso
Direitos das Minorias

Direitos Civis

Direito à igualdade
Direitos dos Presos
Direito ao Julgamento Justo
Direito de Ir e Vir
Direito à Liberdade de Opinião

Direitos Políticos

Liberdade de Reunião
Liberdade de Associação
Direito à Participação na Vida Política


1a Geração
Liberdade
Direitos negativos (não agir)
Direitos civis e políticos: liberdade política, de expressão, religiosa, comercial


2a Geração
Igualdade
Direitos a prestações
Direitos sociais, econômicos e culturais


3a Geração
Fraternidade
Direito ao desenvolvimento, ao meio-ambiente sadio,direito à paz


4a Geração
Democracia e Tecnologia
Direito à informação, à democracia direta e ao pluralismo cultural, ao conhecimento tecnológico e científico.

terça-feira, 15 de julho de 2008

20 ANOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL


Eugène Delacroix
La Liberté guidant le peuple -
1830

DA CIDADANIA – DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS
NOS 20 ANOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL


Não há cidadania se não houver cidadão. Só há cidadão se houver pessoas conscientes dos seus direitos. Previstos nas normas. Principalmente seus direitos contidos na Constituição Federal. Destaque para os direitos contidos no Título II, DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS, do artigo 5º ao artigo 11 DA Lei Maior do Brasil. O nome já diz SÃO FUNDAMENTAIS. Mais do que simples direitos, base de outros direitos, que deles nascem como a árvore nasce do chão.

Conclui-se, pois que: IMPOSSÍVEL HAVER CIDADANIA SEM CONHECIMENTO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS, CONTIDOS NA LEI MAIOR, A CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Constituição que em outubro de 2008 completa 20 anos de Idade. Necessitando que os sindicatos, cidadãos, cidadãs e trabalhadores reflitam se estão sendo respeitados, se não estão sendo respeitados o que fazer para cessar as violações e lutar para implementá-los, se não, antes de conhecê-los serão extintos.

No sentido de contribuir para formação política, para difusão dos direitos humanos e para construção da cidadania, em comemoração ao ano em que a Constituição Federal completa 20 anos, já com mais de meia centena de emendas, DIVULGA-SE, NESTE ESPAÇO, para apropriação e ação, os DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

1ª - Os direitos contidos no Capítulo I DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS: Direitos e Deveres Individuais e Coletivos. Contidos no artigo 5º e seus 78 incisos. Muitos tendo protegido vários servidores, por exemplo: igualdade de gênero – Direito de Resposta – Dano Moral – Liberdade de Expressão – Direito de Defesa – Mandado de Segurança, etc....


Segue adiante ao artigo 5º completo, possível de ser lido em cerca de 20 minutos. A idéia é que seja lido, em seguida o leitor faça uma reflexão. SOBRETUDO PARA ENCONTRAR 05 RAZÕES QUE REDUZEM OS DIREITOS FUNDAMENTAIS A MERA INTENÇÃO. Por que não são realidade ? O que cada um poderia fazer individualmente ? A Sociedade ? Os poderes Constituídos, etc.


TÍTULO II

Dos Direitos e Garantias Fundamentais

CAPÍTULO I

DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS


Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;
XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial;
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal; (Vide Lei nº 9.296, de 1996)
XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;
XV - é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens;
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;
XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar;
XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento;
XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por decisão judicial, exigindo-se, no primeiro caso, o trânsito em julgado;
XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado;
XXI - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente;
XXII - é garantido o direito de propriedade;
XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;
XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta Constituição;
XXV - no caso de iminente perigo público, a autoridade competente poderá usar de propriedade particular, assegurada ao proprietário indenização ulterior, se houver dano;
XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde que trabalhada pela família, não será objeto de penhora para pagamento de débitos decorrentes de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre os meios de financiar o seu desenvolvimento;
XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação ou reprodução de suas obras, transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar;
XXVIII - são assegurados, nos termos da lei:
a) a proteção às participações individuais em obras coletivas e à reprodução da imagem e voz humanas, inclusive nas atividades desportivas;
b) o direito de fiscalização do aproveitamento econômico das obras que criarem ou de que participarem aos criadores, aos intérpretes e às respectivas representações sindicais e associativas;
XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégio temporário para sua utilização, bem como proteção às criações industriais, à propriedade das marcas, aos nomes de empresas e a outros signos distintivos, tendo em vista o interesse social e o desenvolvimento tecnológico e econômico do País;
XXX - é garantido o direito de herança;
XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no País será regulada pela lei brasileira em benefício do cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que não lhes seja mais favorável a lei pessoal do "de cujus";
XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor;
XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado; (Regulamento)
XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas:
a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
b) a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal;
XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito;
XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada;
XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a organização que lhe der a lei, assegurados:
a) a plenitude de defesa;
b) o sigilo das votações;
c) a soberania dos veredictos;
d) a competência para o julgamento dos crimes dolosos contra a vida;
XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal;
XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu;
XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais;
XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei;
XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia a prática da tortura , o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como crimes hediondos, por eles respondendo os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los, se omitirem;
XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático;
XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendidas aos sucessores e contra eles executadas, até o limite do valor do patrimônio transferido;
XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adotará, entre outras, as seguintes:
a) privação ou restrição da liberdade;
b) perda de bens;
c) multa;
d) prestação social alternativa;
e) suspensão ou interdição de direitos;
XLVII - não haverá penas:
a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX;
b) de caráter perpétuo;
c) de trabalhos forçados;
d) de banimento;
e) cruéis;
XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos distintos, de acordo com a natureza do delito, a idade e o sexo do apenado;
XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral;
L - às presidiárias serão asseguradas condições para que possam permanecer com seus filhos durante o período de amamentação;
LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum, praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei;
LII - não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião;
LIII - ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente;
LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal;
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;
LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos;
LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;
LVIII - o civilmente identificado não será submetido a identificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em lei;
LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal;
LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos processuais quando a defesa da intimidade ou o interesse social o exigirem;
LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente, salvo nos casos de transgressão militar ou crime propriamente militar, definidos em lei;
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família do preso ou à pessoa por ele indicada;
LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência da família e de advogado;
LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório policial;
LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridade judiciária;
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela mantido, quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou sem fiança;
LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a do responsável pelo inadimplemento voluntário e inescusável de obrigação alimentícia e a do depositário infiel;
LXVIII - conceder-se-á "habeas-corpus" sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder;
LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por "habeas-corpus" ou "habeas-data", quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do Poder Público;
LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por:
a) partido político com representação no Congresso Nacional;
b) organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus membros ou associados;
LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania;
LXXII - conceder-se-á "habeas-data":
a) para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público;
b) para a retificação de dados, quando não se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou administrativo;
LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência;
LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos;
LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro judiciário, assim como o que ficar preso além do tempo fixado na sentença;
LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente pobres, na forma da lei:
a) o registro civil de nascimento;
b) a certidão de óbito;
LXXVII - são gratuitas as ações de "habeas-corpus" e "habeas-data", e, na forma da lei, os atos necessários ao exercício da cidadania.
LXXVIII a todos, no âmbito judicial e administrativo, são assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 1º - As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata.
§ 2º - Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte.
§ 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas constitucionais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado adesão. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

Aguardo seus comentários e que divulgue o máximo possível os direitos e garantias fundamentais. Pois se é difícil tornar realidade todos os direitos acima, impossível será caso não conhecidos. Não há cidadania sem conhecimento, sem ação, sem, participação...

segunda-feira, 14 de julho de 2008

CARTA ABERTA DE JUÍZES E PROMOTORES FEDERAIS CONTRA O PRESIDENTE DO STF



Abaixo CARTA ABERTA AOS BRASILEIROS de juízes federais e procuradores federais, pela atitude do Ministro Presidente do STF Gilmar Mendes, que soltou o acusado de lavar milhões e mandou processar o juiz que decretara a prisão preventiva do banqueiro Daniel Dantas. precisamos em muitas cidades distribuir cartas abertas contra atitudes de alguns membros do Poder Judiciário, que deixam de ser guardiões do estado democrático de direito e se tornam algozes dos princípios constitucionais e dos direitos humanos fundamentais. Eis as cartas:

Dia de luto para as instituições democráticas brasileiras

1.Os Procuradores da República subscritos vêm manifestar seu pesar com a recente decisão do Presidente do Supremo Tribunal Federal no habeas corpus nº 95.009-4, em que são pacientes Daniel Valente Dantas e Outros.As instituições democráticas brasileiras foram frontalmente atingidas pela decisão liminar que, em tempo recorde, sob o pífio argumento de falta de fundamentação, desconsiderou todo um trabalho criteriosamente tratado nas 175 (cento e setenta e cinco) páginas do decreto de prisão provisória proferido por juiz federal da 1ª instância, no Estado de São Paulo.
2.As instituições democráticas foram frontalmente atingidas pela falsa aparência de normalidade dada ao fato de que decisões proferidas por juízos de 1ª instância possam ser diretamente desconstituídas pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal, suprimindo-se a participação do Tribunal Regional Federal e do Superior Tribunal de Justiça.Definitivamente não há normalidade na flagrante supressão de instâncias do Judiciário brasileiro, sendo, nesse sentido, inédita a absurda decisão proferida pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal.


3.Não se deve aceitar com normalidade o fato de que a possível participação em tentativa de suborno de Autoridade Policial não sirva de fundamento para o decreto de prisão provisória. Definitivamente não há normalidade na soltura, em tempo recorde, de investigado que pode ter atuado decisivamente para corromper e atrapalhar a legítima atuação de órgãos estatais.
4. O Regime Democrático foi frontalmente atingido pela decisão do Presidente do Supremo Tribunal Federal, proferida em tempo recorde, desconstituindo as 175 (cento e setenta e cinco) páginas da decisão que decretou a prisão temporária de conhecidas pessoas da alta sociedade brasileira, sob o argumento da necessidade de proteção ao mais fraco.Definitivamente não há normalidade em se considerar grandes banqueiros investigados por servirem de mandantes para a corrupção de servidores públicos o lado mais fraco da sociedade.
5.As decisões judiciais, em um Estado Democrático de Direito, devem ser cumpridas, como o foi a malsinada decisão do Presidente do Supremo Tribunal Federal. Contudo, os Procuradores da República subscritos não podem permanecer silentes frente à descarada afronta às instituições democráticas brasileiras, sob pena de assim também contribuírem para a falsa aparência de normalidade que se pretende instaurar.Brasil, 11 de julho de 2008.
Sérgio Luiz Pinel Dias – PRES, Paulo Guaresqui – PRES, Helder Magno da Silva – PRES, João Marques Brandão Neto – PRSC, Carlos Bruno Ferreira da Silva – PRRJ, Luiz Francisco Fernandes - PRR1, Janice Agostinho Barreto - PRR3, Luciana Sperb - PRM Guarulhos, Ramiro Rockembach da Silva Matos Teixeira de Almeida- PRBA, Ana Lúcia Amaral - PRR3, Luciana Loureiro – PRDF, Vitor Veggi – PRPB, Luiza Cristina Fonseca Frischeisen - PRR3, Elizeta Maria de Paiva Ramos - PRR1, Geraldo Assunção Tavares – PRCE, Rodrigo Santos - PRTOEdmilson da Costa Barreiros Júnior – PRAM, Ana Letícia Absy – PRSP, Daniel de Resende Salgado – PRGO, Orlando Martello Junior – PRPR, Geraldo Fernando Magalhães - PRSPSérgio Gardenghi Suiama – PRSP, Adailton Ramos do Nascimento – PRMG, Adriana Scordamaglia – PRSP, Fernando Lacerda Dias – PRSP, Steven Shuniti Zwicker - PRM Guarulhos, Anderson Santos – PRBA, Edmar Machado – PRMG, Pablo Coutinho Barreto – PRPE, Maurício Ribeiro Manso – PRRJ, Julio de Castilhos – PRES, Águeda Aparecida Silva Souto – PRMG, Rodrigo Poerson – PRRJ, Carlos Vinicius Cabeleira – PRES, Marco Tulio Oliveira – PRGO, Andréia Bayão Pereira Freire – PRRJ, Fernanda Oliveira - PRM IlhéusLuiz Fernando Gaspar Costa – PRSP, Douglas Santos Araújo – PRAP, Paulo Roberto de Alencar Araripe Furtado – PRR1, Paulo Sérgio Duarte da Rocha Júnior – PRRN, Cristianna Dutra Brunelli Nácul - PRRS.
121 Juízes Federais da Magistratura Federal da 3ª Região (SãoPaulo e Mato Grosso do Sul) divulgaram carta aberta àpopulação para protestar contra Gilmar Mendes:MANIFESTO DA MAGISTRATURA FEDERAL DA 3ª REGIÃO

Nós, juízes federais da Terceira Região abaixo assinados, vimos mostrar, por meio deste manifesto, indignação com a atitude de Sua Excelência o Ministro Gilmar Mendes, Presidente do Supremo Tribunal Federal, que determinou o encaminhamento de cópias da decisão do juiz federal Fausto De Sanctis, atacada no Habeas Corpus n. 95.009/SP, parao Conselho Nacional de Justiça, ao Conselho da Justiça Federal e à Corregedoria Geral da Justiça Federal da Terceira Região.

Não se vislumbra motivação plausível para que um juiz seja investigado por ter um determinado entendimento jurídico. Ao contrário, a independência de que dispõe o magistrado para decidir é um pilar da democracia e princípio constitucional consagrado. Ninguém nem nada pode interferir na livre formação da convicção do juiz, no direito dedecidir segundo sua consciência, pena de solaparem-se as próprias bases do Estado de Direito.
Prestamos, pois, nossa solidariedade ao colega Fausto De Sanctis e deixamos clara nossa discordância para com este ato do Ministro Gilmar Mendes, que coloca em risco o bem tão caro da independência do Poder Judiciário.Até às 17 horas de hoje, 11 de julho, os Juízes Federais abaixo identificados manifestaram-se conforme o presente manifesto, sem prejuízo de novas adesões.

1 - Carlos Eduardo Delgado, 2 - José Eduardo de Almeida Leonel Ferreira, 3 - Katia Herminia Martins Lazarano Roncada, 4 - Raecler Baldresca, 5 - Rubens Alexandre Elias Calixto, 6 - Claudia Hilst Menezes, 7 - Edevaldo de Medeiros, 8 - Denise Aparecida Avelar, 9 - Taís Bargas Ferracini de Campos Gurgel, 10 - Giselle de Amaro e França, 11 - Erik Frederico Gramstrup12 - Angela Cristina Monteiro, 13 - Elídia Ap Andrade Correa, 14 - Decio Gabriel Gimenez, 15 - Renato Luis Benucci, 16 - Marcelle Ragazoni Carvalho, 17 - Silvia Melo da Matta, 18 - Isadora Segalla Afanasieff, 19 - Daniela Paulovich de Lima, 20 - Otavio Henrique Martins Port, 21 - Cristiane Farias Rodrigues dos Santos, 22 - Claudia Mantovani Arruga, 23 - Paulo Cezar Neves Júnior, 24 - Venilto Paulo Nunes Júnior, 25 - Rosana Ferri Vidor, 26 - João Miguel Coelho dos Anjos, 27 - Fabiano Lopes Carraro,28 - Rosa Maria Pedrassi de Souza,29 - Sergio Henrique Bonachela, 30 - Rogério Volpatti Polezze, 31 - Wilson Pereira Júnior, 32 - Nilce Cristina Petris de Paiva, 33 - Cláudio Kitner, 34 - Fernando Moreira Gonçalves,35 - Noemi Martins de Oliveira36 - Marilia Rechi Gomes de Aguiar, 37 - Gisele Bueno da Cruz,38 - Gilberto Mendes Sobrinho39 - Veridiana Gracia Campos, 40 - Letícia Dea Banks Ferreira Lopes, 41 - Lin Pei Jeng, 42 - Luiz Renato Pacheco Chaves de Oliveira, 43 - Fernando Henrique Corrêa Custodio, 44 - Leonardo José Correa Guarda, 45 - Alexandre Berzosa Saliba, 46 - Luciana Jacó Braga, 47 - Marisa Claudia Gonçalves Cucio, 48 - Carla Cristina de Oliveira Meira, 49 - José Luiz Paludetto50 - Carlos Alberto Antonio Júnior, 51 - Márcia Souza e Silva de Oliveira, 52 - Maria Catarina de Souza Martins Fazzio, 53 - Nilson Martins Lopes Júnior, 54 - Fabio Ivens de Pauli, 55 - Mônica Wilma Schroder, 56 - Louise Vilela Leite Filgueiras Borer, 57 - José Tarcísio Januário58 - Valéria Cabas Franco, 59 - Marcelo Freiberger Zandavali, 60 - Rodrigo Oliva Monteiro61 - Ricardo de Castro Nascimento, 62 - Luciane Aparecida Fernandes Ramos, 63 - José Denílson Branco, 64 - Paulo César Conrado, 65 - Alexandre Alberto Berno, 66 - Luciana Melchiori Bezerra, 67 - Mara Lina Silva do Carmo, 68 - Raphael José de Oliveira Silva69 - Anita Villani, 70 - Higino Cinacchi Júnior, 71 - Maria Vitória Maziteli de Oliveira ,72 - Márcio Ferro Catapani, 73 - Silvia Maria Rocha, 74 - Luís Gustavo Bregalda Neves, 75 - Denio Silva The Cardoso, 76 - Fletcher Eduardo Penteado, 77 - Leonardo Pessorrusso de Queiroz, 78 - Carlos Alberto Navarro Perez, 79 - Renato Câmara Nigro, 80 - Ronald de Carvalho Filho, 81 - Luiz Antonio Moreira Porto, 82- Hong Kou Hen, 83- Pedro Luís Piedade Novaes, 84- Flademir Jerônimo Belinati Martins, 85- Luís Antônio Zanluca, 86- Omar Chamon, 87- Sidmar Dias Martins, 88- João Carlos Cabrelon de Oliveira ,89- Antonio André Muniz Mascarenhas de Souza , 90- Marilaine Almeida Santos, 91-Alessandro Diaféria, 92- Paulo Ricardo Arena filho93- Hélio Egydio de Matos Nogueira, 94- Ricardo Geraldo Rezende Silveira, 95 - Cláudio de Paula dos Santos, 96 - Leandro Gonsalves Ferreira , 97 - Caio Moysés de Lima ,98 - Ronald Guido Junior, 98 - Clécio Braschi, 99 - Roberto da Silva Oliveira ,100 - Vanessa Vieira de Mello101 - Ivana Barba Pacheco, 102 - Simone Bezerra Karagulian, 103 - Gabriela Azevedo Campos Sales, 104 - Kátia Cilene Balugar Firmino, 105 - Fernanda Soraia Pacheco Costa, 106 - Leonora Rigo Gaspar, 107 - Marcos Alves Tavares, 108 - Jorge Alexandre de Souza, 109 - Anderson Fernandes Vieira, 110 - Raquel Fernandez Perrini, 111- Adriana Delboni Taricco Ikeda, 112 - Tânia Lika Takeuchi, 113- Janaína Rodrigues Valle Gomes, 114- Fernando Marcelo Mendes, 115- Simone Schroder Ribeiro, 116- Nino Oliveira Toldo, 117 - João Eduardo Consolim, 118 - Raul Mariano Júnior, 119 - Mônica Aparecida Bonavina, 120 - Dasser Lettiere Júnior, 121 - Renato de Carvalho Viana.

POLÍTICA E POLITIQUEIRO





Nada melhor que começar o blog com arte. A arte faz sonhar, tem o belo, fala ao sentimento. Segue uma poesia do meu livro Embrionária. Política e Politiqueiro. Afinal estamos em ano Eleitoral. Boa leitura. Aguardo os seus comentários e que envie para os seus contatos.


A política é a beleza
O politiqueiro a monstruosidade
A Política é a solda do coletivo
O politiqueiro exemplo de egoísmo extremo
A política é o sonho
O politiqueiro o pesadelo
A política tem o sabor do prazer do amor
O politiqueiro o sabor do amor pago
A política borbulha dos profundos ideais humanos
O politiqueiro é o fruto máximo da mediocridade
A política palmilha as sendas do caráter
O politiqueiro caminha nas veredas do oportunismo
A política busca o bem individual
A partir da felicidade geral
O politiqueiro busca apenas o bem dele, um!
Sacrificando o interesse comum

A política é arauto do futuro
O politiqueiro não vai além do agora
A política vem a cavalo na libertação
O politiqueiro é profeta da escravidão
A política é intenção saudável em toda plenitude
O politiqueiro o tumor maligno da perdição

A política deve ser cultivada
É a semente da utopia
O politiqueiro deve ser extirpado
É o foco da metástase da não esperança !









Related Posts with Thumbnails