sábado, 13 de fevereiro de 2010

Pesquisa explica porque ninguém quer ser professor - A Profissão mais Desprestigiada do Brasil

Suplício de Sísifo

Segundo recente pesquisa encomendada pela Fundação Victor Civita e realizada pela Fundação Carlos Chagas, apenas 2% dos alunos do segundo grau, atualmente, pensam um dia em ser professor. Pesquisa acessível em: http://revistaescola.abril.uol.com.br/politicas-publicas/carreira/ser-professor-escolha-poucos-docencia-atratividade-carreira-vestibular-pedagogia-licenciatura-528911.shtml.

E qual o perfil desses 2%? Minoria suprema, que ainda tem coragem de querer ser profissional da educação no Brasil? Segundo a mesma pesquisa os 2% tem o mesmo perfil dos atuais universitários que cursam Pedagogia ou outra licenciatura voltada para sala de aula, a saber:

1) 80% cursaram nível médio em escola pública;
2) 30% deles estão entre os que foram aprovados com as piores notas;


A conclusão é que: aqueles que serão professores são mal qualificados. Respondendo ainda a pesquisa, a área de Pedagogia ficou em 16% lugar na preferência dos alunos da escola pública. Já para os alunos das escolas particulares ainda mais distante, como desejo, ocupa o 36º lugar. Os pesquisadores fizeram a seguinte pergunta: Por que você não quer ser professor? Eis as razões, senhores prefeitos, senhores governadores, senhores secretários de educação:

1) É desgastante;
2) Desvalorizado socialmente;
3) Mal remunerado.

Para piorar, nem os alunos querem ser professores, nem a família quer que sejam professores. DESSA FORMA QUAL SERÁ O FUTURO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL? QUE FUTURO TERÁ O BRASIL? Segundo os especialistas, urgentes medidas devem ser tomadas. Entre elas apontam:

1) Melhor remuneração, para atrair os melhores;
2) Bons planos de Carreira;
3) Investir na formação dos profissionais;
4) Resgatar a importância do professor para sociedade;
5) Tratar o professor como profissional;
6) Entre outros.

O que temos visto no Estado do Ceará, que não é diferente do resto do Brasil? Mesmo com o advento da Lei do Piso salarial para os profissionais da educação: Conseguiram reduzir a remuneração em alguns municípios; as propostas de planos de carreira são vergonhosas; os profissionais da educação são tratados como despesa; não há investimento na formação dos profissionais; o professor é cada vez mais humilhado e ridicularizado, mesmo quando no desespero faz greve; quando falta ao trabalho com várias doenças que variam de problemas vocais, depressão e até problemas mentais, pelo desgaste e desilusão com a profissão, são tratados pela mídia como irresponsáveis e pelo Ministério Público como criminosos; não são tratados como profissionais, tanto que até o instituto do concurso é sabotado e passam a contratar por politicagem, por apadrinhamento, não por critérios objetivos, pois o concurso selecionaria os melhores, mas qual melhor quer ser professor? A pesquisa apontou que é profissão que atrai uma minoria entre os piores alunos. No Ceará educação de qualidade é um sonho de uma noite de verão.

Como paradoxo, os repasses do FUNDEB, de janeiro de 2008 até janeiro de 2010, tiveram um aumento em média, em se tratando de mais recursos, da ordem aproximada de 70%, considerando a atualização do valor aluno para o ano de 2010. PARA ONDE ESTÁ INDO TODO ESSE DINHEIRO NINGUÉM SABE. Mas ninguém vê a mídia escrita ou televisiva investigando os desvios, muito menos o Ministério Público.


CASOS REAIS NO CEARÁ:

1º) No Município de Tabuleiro do Norte, há mais professores contratados que concursados;
2) No Município de Bela Cruz a proposta de Plano de Carreira previa que a formação contínua seria contada apenas como ponto para progressão da avaliação de desempenho;
3) No Município de Apuiarés o prefeito transferiu professores para escolas muito distantes, só porque votaram em outro candidato;
4) No Município de Fortaleza um professor leva anos para ter atendido um simples requerimento de progressão funcional ou um simples pedido de concessão de licença prêmio;
5) No Município de Ocara o prefeito lotou a mesma professora pela manhã numa escola e à tarde noutra escola a quilômetros de distância, sendo impossível mesmo em veículo motorizado chegar a tempo de dar aula e sem pagar auxílio transporte;
6) No Município de Itapajé, chamaram de plano de carreira, um projeto de lei onde só havia previsão de classe única. Como pode existir carreira onde há apenas uma classe se as classes são os degraus da carreira? Devendo no mínimo existir uma classe para nível médio, uma para nível superior e outra classe para especialista;
7) No Município de Quixeré, para cumprir a lei do piso nacional para os profissionais da educação, o Município cassa direito adquirido como o qüinqüênio;
8) No Município de Mucambo, o sindicato da categoria chegou a sofrer perseguição, porque ousou mobilizar a categoria para debater o plano de carreira e apresentou emendas;
9) No Município de Jijoca, a presidente do Sindicato teve retirada metade da jornada, perdendo metade do salário, por ousar mobilizar a categoria da educação para debater o seu plano de carreira;
10) Nenhum Município do Ceará, em suas propostas de planos de carreira, compradas de forma caríssima de assessorias da Capital do Estado, em alguns casos chegando ao valor de R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais), prevê política para formação contínua dos profissionais da educação, eleição para núcleo gestor das escolas, condições adequadas de trabalho, número de alunos por professor, atos que redundem em gestão realmente democrática...

Para finalizar, 03 perguntinhas, que você pode responder em forma de comentário:

I- Se é professor ou professora municipal, você é feliz com a sua profissão? Por quê ?
II- Se ainda cursa o segundo grau, sonha em ser professor(a) no seu Município?
III- Você deseja que um filho, uma irmã ou outro parente que você gosta venha a ser professor(a) municipal?

No dia que as três perguntas acima forem respondidas positivamente, cursar Pedagogia ou outras licenciaturas terá o mesmo Status que Direito, Engenharia e Medicina, os cursos mais desejados por aqueles que cursam atualmente o segundo grau, sejam em escolas públicas, sejam em escolas particulares. Segundo a citada pesquisa. Ah! Você viu quanto ganha um procurador municipal, um médico no Município, um engenheiro? Então compare com o piso de um professor. Depois avalie e reflita: EDUCAÇÃO DE QUALIDADE É UM DIREITO HUMANO FUNDAMENTAL? TERÁ QUALIDADE SE CONTINUAREM TRATANDO OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO COMO OS TRATAM HOJE?

Refletir... entender... para agir... para mudar...

29 comentários:

Manoel Messias Pereira disse...

Ser professor é a melhor profissão do ponto da satisfação pessoal, porém quando voce pensa na remuneração, no tratamento dado pelo Estado as condições de um efetivo exercício de sua profissão e como o profissional é tratado até mesmo com as mudanças comportamentais da sociedade. Essa é uma profissão de risco. A mudança deve ser uma ação coletiva de um processo, do contrário só estamos brincando de escolinha, e entendendo como é bom ser escravizado.

Anônimo disse...

Ceará(será)possível que isso só aconteça no nordeste? Obviamente que não! Não sou profissional da área de ensino, lamento que a qualificação dos futuros mestres, lentes(sem grau) seja retrato dessa realidades, os piores alunos serão num futuro próximo aqueles forjadores do nada!
Valdecy para você tem um vaga ideia de como as coisas andam: dias desses o Jornal OGLOBO do Rio de Janeiro, publicou que fora inaugurado o site http://www.portaledumusicalcp2.mus.br/, assim que consegui acessá-la está ainda lá para quem quiser conferir Bem Vindo. Imediatamente entrei em contato com a suposta responsável alertando que a grafia correta é "bem-vindo" pelo menos a palavra não sofreu alteração como o novo acordo ortográfico. Recebi a resposta no dia seguinte agradecendo e dando conta de que seria feita a devida correção. Passado mais de um mês nada. Se professores de uma renomada instituição de ensino, patrocinador que é a Petrobrás, ignora que aquele erro possa influenciar de forma negativa, o que prestígio pode realmente tem a grande maioria dos professores. E te digo mais, entrei pela primeira vez na PUC/RIO, zona sul, localizada na Marquês de São Vicente, e me deparei com idêntica situação, a faixa desejando as boas-vindas, ora tinha o hifén apagado e ora repintado. Confesso que fiquei frustrado, doutores da língua português, a nata do cadeira de português reunida na Pontifícia Universidade Católica, não chegara a conclusão se deria desejar Seja Bem Vindo ou Seja Bem-Vindo.
Durma com um barulho desses e acorde bem humorado.
Adalberto Freire@ig.com.br

Evandro disse...

Olá Valdecy, ótima reflexão a que você propõe com este texto, parabéns! Os pontos principais que devem ser avaliados e repensados estão ai... O que deixa nós educadores apreensivos é que o tempo vai passando e gerações vão sendo deixadas de lado, a margem do sistema e pouco se modifica...
Mais deixa estar... o desafio é grande é só grandes lutadores (professores) pra encarar-lo!!! Parabéns pelo Blog!

Damásio disse...

Valdecy, o teu blog é excelente! Irei seguir e adicionar aos meus preferidos.

Ronaldo Faria Lima disse...

Verdade seja dita: vivemos em um país que sucateou a educação. A falta de interesse na carreira docente é apenas um reflexo do quanto a educação é importante para a nossa nação.

A falta de importância dada à educação faz com que países muito mais pobres, como a Índia, ultrapassem o Brasil em termos de tecnologia.

Se quisermos nos tornar uma potência, tecnologicamente falando, precisamos investir na educação e na pesquisa tecnológica. Mas não fazemos isso.

Um Poema disse...

....

Infelizmente os interesses dos políticos espelham - quantas vezes - um absoluto desprezo pela educação. Daí a situação de desrespeito pelos professores que a agenda dos políticos (maus políticos, diga-se) revela.
Um povo que não respeita os seus professores é um povo condenado à ignorância.
O Brasil tem todas as condições para ser um país de nível intelectual acima da média. Assim o queiram os políticos e o povo lhes saiba exigir o acesso à educação. À verdadeira educação, não ao "deixa passar" por facilitismo.

Obrigado pela visita.

Um abraço

Blog do professor Toinho disse...

O Senhor tem um maravilha de blog e bela matéria. Alás, belas matérias. Se me permite vou reproduzir essa no meu blog. Encantado.

Antonio Fernandes.

turquinho disse...

Meu Caro, exelente artigo para refletirmos sobre o que estamos fazendo, como educadores, para transformar eesa realidade que não é somente do nordeste mas de todo nosso pais.Aqui nos pampas gauchos, a situação é muito similar.Graças ao poder de nosso sindicato(CPERS)conseguimos, por dois anos seguidos, travar alterações significativas e contrárias aos nosso interesses, por parte do governo do PSDB(Yeda e sua quadrilha de ladões> Eles queriam retirar avanços do nosso plano de carreira, conquistados ao longo do tempo, promovendo alterações para satisfazer o banco mundial que "emprestou muitos dólares" para esse (des)governo.Com relação ao desânimo por parte de nosso professores realmente é um caso para se pensar e refletir muito.Um grande abraço...Vou seguir teu blog...parabéns.

Valdecy Alves disse...

Professor Toinho, não só vc pode publicar em seu blog, como qualquer outro que acredite que educação é coisa séria e que a realidade não pode continuar como está, em se tratando da valorização do profissional da educação e do modo como elaboram dos planos de cargos e carreira. PARA NÃO FALAR DO DESVIO DESLAVADO DO DINHEIRO DO FUNDEB.

Professor Paiva disse...

Casos semelhantes aos relatos desses municípios citados serão encontrados em praticamente todos os municípios do Brasil. Aqui em João Pessoa, os relatos são os piores possíveis, mas a prefeitura não para de construir novas escolas. Por que será ?
Parabéns pelo blog. Abraço.

"Neo Fuxico" disse...

Obrigado por visitar nosso Blog Mari Fuxico.

Conforme sua recomendação, acessamos o texto e por ser de bastante interesse da classe docente, com sua permissão, iremos publicá-lo em: www.marifuxico.blogspot.com.

Fiquem à vontade e visitem sempre:
www.marifuxico.blogspot.com

Washington Pereira disse...

Valdecy,

Agradeço vosso comentário, ousando-me a reproduzir a matéria do seu blog no Blogão do Pereira (Blogs em Revista)
www.blogaodopereira.blogspot.com

Toxina disse...

Obrigado pelos eligios ao blog. Gostei muito do seu e já sou um seguidor. Um abraço.

Damásio disse...

Gosto de ser professor, mas lamentavelmente a profissão sempre foi e continua sendo desvalorizada. Agora, devemos nos unir para mudar a situação, porque a maioria dos gestores não sabem da importância, ou não desejam melhorar, ou desviam os recursos destinados à educação para outros fins e somando a tudo isso temos uma categoria normalmente covarde ou omissa por motivos pequenos de favorecimentos individuais.

Mário Augusto disse...

Caro Valdecy,
Obrigado pela visita ao blog Alagoas Real.
Quanto a ser professor não existe interesse nenhum do governo para criar uma política salarial digna para a classe.Sabe o motivo ? Não ?
Pois bem enquanto existir o apagão da cultura, a manipulação da massa eleitoral é mais fácil e favorece a manutenção dos políticos de carteirinha no poder !

Um abraço e parabéns pelo exemplo de cidadania presente em seu blog.

Mário Augusto

cremilda disse...

Então...
O meu comentário não teve espaço.
Normal...
Só chorumelas de uma categoria mimada.
Querem ser vítimas, e no escondidinho da escola, terra onde a fiscalização não chega, na maioria das vêzes são algozes crueis.
A única corporação que os bons se omitem e os maus nunca são cobrados....
Sei que não vai divulgar este comentario, assim como não divulgou o outro.
Eu também modero os comentários do meu blog, portanto acho normal
Note que esses discursos estão esfarrapados, e não colam mais.
Professor é a profissão mais bem avaliada pela população só perde para os Bombeiros.
Prestem atenção e note a quantidade de blogs que estão aparecendo na Net e estão cobrando muito severamente os professores.
Muito em breve o povo vai se levantar e começar a cobrar de todo mundo, inclusive dos professores, a sua parcela de culpa na má qualidade do ensino.

Valdecy Alves disse...

Cremilda, o seu outro comentário foi publicado na matéria em que vc comentou. A matéria anterior: AS MAIORES MALDADES CONTRA OS PROFESSORES. É só conferir no blog. Vc tem direito de falar o que quiser, mesmo que equivocada. Você é professora? Seria com o salário que pagam? Vc já verificou as condições de trabalho dos professores do seu município? Vc tem filhos na escola pública? Vc faz parte do conselho do FUNDEB? O núcleo gestor da escola dos seu município é eleito democraricamente? Vc acha que o professor, que nunca recebeu uma bolsa para aperfeiçoamento, é o único culpado pelo fracasso da educação no Brasil? É verdade que o professor tem que melhorar, mas primeiro tem que ser tratado com dignidade e profissionalmente. OBRIGADO POR VISITAR O MEU BLOG. FELICIDADES

Valdecy Alves disse...

Cremilda, o seu outro comentário foi publicado na matéria em que vc comentou. A matéria anterior: AS MAIORES MALDADES CONTRA OS PROFESSORES. É só conferir no blog. Vc tem direito de falar o que quiser, mesmo que equivocada. Você é professora? Seria com o salário que pagam? Vc já verificou as condições de trabalho dos professores do seu município? Vc tem filhos na escola pública? Vc faz parte do conselho do FUNDEB? O núcleo gestor da escola dos seu município é eleito democraricamente? Vc acha que o professor, que nunca recebeu uma bolsa para aperfeiçoamento, é o único culpado pelo fracasso da educação no Brasil? É verdade que o professor tem que melhorar, mas primeiro tem que ser tratado com dignidade e profissionalmente. OBRIGADO POR VISITAR O MEU BLOG. FELICIDADES

armando.duj disse...

Parabéns pelo Blog, Valdecy. Tem muita informação importante por aqui. Sou jornalista em Londrina/PR e estou retribuindo sua visita ao meu Blog "ADJCOMUNICAÇÃO". Atuo na área sindical há cerca de 23 anos e também fui professor provisório na Univesidade Estadual de Londrina entre 2007 e 2008. Meu salário era R$ 700,00 por mês por 20 horas/aula, que em certas ocasiões chegou a 30 horas/aula para a mesma remuneração. Apesar da experiência que tenho na produção de jornais, não tenho mestrado e não pude continuar lecionando, pois contrataram uma jovem professora com esse título. Hoje em dia os títulos valem mais do que o conhecimento empírico. Por isso, muitos bons profissionais preferem atuar no mercado a repassar aos estudantes um pouco do que acumularam ao longo da vida. Mesmo com mestrado ou doutorado, o salário nem sempre é compensador. Torço para que um dia a Educação seja tratada com investimento e não como despesa por nossos governantes.

Um abraço.

Armando

JAIME BATISTA DA SILVA (Blumenau - SC) disse...

Parabéns pelo blog, gostei muito. E achei muito interessante est a pesquisa sua.

PALAVRAS ACESAS disse...

Camarada, sua publicação sobre "porque ninguém quer ser professor" é realmente brilhante. Uma constatação óbvia salta os olhos de quem quer ver: a Educação é hostilizada pelos péssimos governantes que temos no Brasil , independente da região.
Na verdade, essa é maneira que estes encontraram para aumentar a cada ano os números de uma população alienada e dependente do assistencialismo.

Colégio Toledo disse...

Olá professor. Texto interessante e que nos faz refletir sobre essa realidade que infelizmente não é das melhores para os professores.

Obrigado pela visita em nosso blog.

Abraço

Cremilda disse...

Caro Professor.
Sei que a escola pública está mal das pernas, mergulhada na corrupção e na impunidade no Brasil inteiro. Contudo São Paulo parece ser uma das piores.
No último levantamento era o pior estado, só perdia para a Bahia.
Não, eu não faço parte do FUNDEB.
Desde 1997 quando criei o NAPA núcleo de apoio a pais e alunos, que acompanhamos de perto do que acontece nas escolas públicas
Muitos de nossos associados e membros da nossa diretoria fazem parte do Conselho de Escola e da APM, para justamente poder avaliar de perto.
Conhecemos e acompanhamos cada denúncia que recebemos, e não tem exceção.
Um dos fatores que determinam que a escola vá por água a baixo, é um fenômeno que só ocorre entre os professores.
Em outra corporaçao, quando um dos membros comete um crime, os companheiros abominam e públicamente rejeitam aquela conduta.Os profesores, não. Eles defendem sempre os colegas em quaisquer situações.
No estado de São Paulo o que mais se fez foi dar curso de graça para os professores. A penúltima secretária deu curso para professores aprenderam a dar banho e tosas cachorros, e agora me diz que efeito prático pode ocorrer nas salas de aula ?
O Chalita mandou centenas de professores para o Japão, França e Salamanca para aprender e não aprenderam nada...
Em São Paulo a remuneração dos professores é uma das melhores em relação a outros profissionais com a mesma qualificação....
E sslário não vai resolver o problema da escola de qualidade.
Sendo a mais importante profissão do planeta, normal que seja a profissão mais bem paga, mas primeiro temos que receber qualidade
Tivemos um governador que disse:
"PARA O BOM PROFESSOR TODO SALÁRIO É POUCO, PARA O MAU PROFESSOR TODOS SALÁRIO E´MUITO"
Esse governador foi agredido pelos professores em frente a Secretaria de Educação
Aqui os professores entre outras gracinhas, fizeram uma fogueira com livros didáticos em frente a Secretaria de Educação em protesto...
Eram apostilas onde orientavam os professores, no sentido de unificar a matéria, para evitar que cada um atirasse pra um lado...
Então é isso.
São Paulo, está saindo pelo ralo.
Obrigada mais uma vez por publicar meu comentário...

Anônimo disse...

Ìnfelizmente Dr Valdecy é exatamente como disse; professor é considerado por estes gestores Brasil a fora, com algumas excessões, como despesa.Esta situação vivenciamos aqui em Apuiarés; quando o Sindicato entrou com pedido administrativo solicitando Licença premio e quinquenio, o Gestor através da assessoria do Sr Arnon(carrasco dos professores) tiveram logo a preocupação de colocar no novo PCCR a revogação destes direitos contidos no Estatuto do Magistério e dos Servidores;Além de reduzir as classes e retirar a progessão por merecimento. Isto tudo regado a muitas orações. Aqui os recursos do FUNDEB tem como finalidade o empreguismo. A valorização dos professores realmente não é a prioridade.Um exemplo disto é a retirada de 100 horas de professores com varios anos de serviço( alguns deles ainda transferidos) e a contratação de outras pessoas para ocupar estas 100 horas retiradas. Os orgãos fiscalizadores nada fazem.
A folha de pagamento que vai para o TCM é uma verdadeira bagunça, onde a maioria dos códigos que representam os valores estão errados, com a folha dos 60% misturado com a folha dos 40%, numa clara manobra de dificultar a fiscalização por parte das entidades sindicais e outros orgãos fiscalizadores.

Anônimo disse...

Infelizmente falta justiça nesse país.Como o Valdecy bem colocou, esse concurso do estado é uma fraude do começo ao fim, pois não saõ bem esclarecidos os critérios dessas avaliações principamente os da 2ª fase.Isso merece investigação do MP.É preciso.MP, por favor, investigue esse concurso.

Igor Leal Pena disse...

Companheiro, parabéns pelo blog.
Já sou seu seguidor.
Infelizmente é um descaso dos governantes com a classe dos professores.
Minha mãe exerce a função de professora no estado de Minas Gerais. 32 anos de serviço com salário de 1,300 reais com todas as qualificações profissionais exceto o mestrado.
É uma sacanagem o que fazem com nossa classe. A educação, saúde e segurança é a matriz de uma sociedade. Devem ter salários dignos..
Abraço, saudações socialistas.

japm disse...

Valdecy Alves,

Gostei muito do seu blog!

Vejo que na área da educação no Brasil existem muitos problemas tal como em Portugal.

José Marques
(http://japm-pe-ante-pe.blogspot.com)

Anônimo disse...

Ubajara está começando a acordar apesar de haver ainda muitos professores alienados que caiem na conversa dos diretores vamos a luta!

João disse...

Sou professor da rede Estadual de São Paulo e não sou nada feliz. Primeiro que com o salário que ganho só dá para ficar endividado com o banco onde recebo meus proventos, proventos que quando caem na conta bancario desaparece como fumaça. Só dá para cobrir uma parte do limite de crédito, pagar empréstimo consignado, etc, etc. Mas por que tanta divida assim voce pode estar perguntando. È que com um salário de 1.500 reais não dá para fazer muita coisa não é mesmo? Não abro mão de pagar a escola do meu filho que estuda em escola particular. Colocá-lo no estado, nem por cima do meu cadaver. Trabalho lá, mas não coloque meu filho para estudar numa escola pública nem por decreto lei. Eu sei do que estou falando. Tenho que pagar a prestação da minha casa financiada em 20 anos. Acabou o salário. E a conta de luz, gás, telefone, remédio, médico, supermercado? Roupa e lazer é um sacrilégio, nem pensar. Nós, os professores, somos humilhados na sala de aula e fora dela. Não temos reconhecimento do nosso trabalho em parte alguma. As condicões de trabalho são péssimas, é como se fossemos todos os dias para o front de batalha, não se sabe o que vai acontecer e aconteça o que acontecer estamos sempre errados e ainda somos taxados de incompetentes. É uma lástima. Enquanto isto o nada saudoso Mario Covas, Alckmin e mais recentemete o Sr. Serra gosta de dizer que nas escolas públicas está tudo bem, o ensino é maravilhoso os professores estão felizes e que nós os amamos. Gostaria de entender porque estes políticos odeiam tanto os professores. Aliás já sei, acho que eles foram do tipo que levaram muitas reguadas na cabeça, usaram chapéu de burro, ajoelharam na tampinha de garrafa quando foram alunos e agora querem descontar.

Related Posts with Thumbnails