domingo, 6 de novembro de 2011

BRASIL UM SÓ POVO – UM SÓ PAÍS – UMA SÓ FEDERAÇÃO – UM SÓ MERCADO ECONÔMICO INTERNO – SEPARATISMO UMA INSANIDADE E DISCRIMINAÇÃO É CRIME HEDIONDO! SOMOS UMA GRANDE NAÇÃO!


Bandeira Brasileira Tremulando na Praça dos 03 Poderes em Brasília

Foi com muito orgulho que todos os brasileiros viram a Presidenta Dilma na Europa, cortejada pelos grandes países em crise, que pediram ajuda ao Brasil e apoio econômico  para não quebrarem. A grande explicação para o êxito do Brasil, como potência econômica, cultural, ecológica: O SEU MERCADO INTERNO GIGANTESCO! Capaz de manter o Brasil economicamente equilibrado. A EUROPA TENTA CRIAR UM MERCADO CONTINENTAL ÚNICO, O MESMO NA ÁSIA, COM OS TIGRES ASIÁTICOS. Mas chega a ser risível a minoria no país, que tem como exemplo mais extremo a estudante Mayara Petruso (http://valdecyalves.blogspot.com/2010/11/discriminacao-contra-nordestino-mayara.html)  que defendeu a morte de nordestinos. A discriminação burra e cega é seguida pela idéia de separatismo. Há poucos dias, mais uma vez, uma minoria desinformada, de forma discriminatória,  atacou os nordestinos.

Essa história de separatismo no Brasil não é nova, mas antigamente tinha explicação política. O Uruguai era parte do Brasil, tornou-se país independente. O Rio Grande do Sul já tentou separar-se do Brasil, o mesmo fez São Paulo, Pernambuco, Ceará.. Mas tinha motivações políticas. NÃO DISCRIMINAÇÃO OU A TESE DO SEPARATISMO PELO SEPARATISMO. Só que cindir o mercado interno seria levar o Brasil à falência, para satisfazer o delírio imbecil de uma minoria de  fanáticos, ao mesmo tempo alienados esquizofrênicos.

CHINA, BRASIL, ÍNDIA, AS GRANDES E NOVAS POTÊNCIAS, TURBINADAS PELA UNIDADE DO SEU MERCADO INTERNO GIGANTESCO E UNO! O Nordeste representa cerca de 1/3 do Mercado brasileiro.  O Brasil é um só povo, um só idioma, uma só cultura, um só mercado, uma só nação! O QUE NOS TORNA FORTE. Do contrário seremos como formigas isoladas do formigueiro, ou abelha isolada da colméia. FÁCIL EXTERMINAR UMA FORMIGA, FÁCIL EXTERMINAR UMA ABELHA, TENTE ATACAR UM FORMIGUEIRO OU UMA COLMÉIA! Que os ignorantes aprendam com formigas e abelhas! Que sequer são racionais!

Por que o Brasil é uma Federação??? Influenciado pelos Estados Unidos da América, de 1787, ao proclamar a República, adotou-se no Brasil o sistema federativo. Assim, seria possível atender aos interesses regionais, concedendo-se autonomia aos Estados federativos, mas mantendo-se a soberania com o Poder Federal. Desde então, todas as Constituições têm mantido a forma federativa.  A atual Constituição trata do tema em seu artigo 1º:
       
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos.

Eis o embasamento do sistema federativo. Municípios, Estados, Distrito Federal constituem a República Federativa, que é indissolúvel. Pois cláusula pétrea, nos termos do artigo § 4º, do artigo 60, da mesma Constituição:

§ 4º - Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: I - a forma federativa de Estado;


Portanto a forma federativa do Estado não pode ser modificada por emendas constitucionais. Só um novo poder constituinte originário terá tal competência. Importante destacar que a escolha do sistema federativo teve muito a ver em contentar as forças políticas, entrando em sintonia com a realidade da República inicial, fato que perdura até os dias atuais. Razão por que não apenas nos últimos 20 anos da nova Constituição, como nas demais constituições, tal sistema tem sido mantido. Devendo continuar mais como imposição da realidade política, que pelo contido nos textos da Constituição.

Alguns fatos que podem ameaçar a forma federativa facilmente controláveis  por mecanismos contidos na própria Constituição. Leis municipais não podem violar a Constituição Estadual, nem a Constituição Federal; a Constituição Estadual não pode violar a Constituição Federal; tampouco as leis ordinárias federais podem violar a Constituição Federal.  Pois todos estão sob a égide da mesma Constituição, a Lei Mãe, a Lei Fundamental, a Lex Legum. Tratando o mecanismo das ADIN´s de uniformizar todo o ordenamento jurídico com a Constituição vigente.

Lei fundamental que estabelece a autonomia dos Estados-membros, Distrito Federal e Municípios, mas mantém a soberania com a União, que representa o Brasil internacionalmente: Art. 21. Compete à União:I - manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais; Constituição que prevê o patrimônio de cada ente, a competência legislativa, modos de auto-organização, auto-legislação e auto-administração; cuidando inclusive de estabelecer os tributos que cada uma delas pode arrecadar e os repasses constitucionais. Autonomia, que quando coloca em perigo a indissolubilidade da Federação, tem o sistema de intervenção como garantia de proteção e de sua manutenção. Seja a intervenção federal, seja a intervenção estadual.

CONCLUSÃO:  A DISCRIMINAÇÃO E A TESE DO SEPARATISMO BURRO QUE DELA ADVÉM É DELÍRIO DE ALGUNS ESQUIZOFRÊNICOS QUE TÊM O DIREITO DE CONVIVER EM LIBERDADE COM OS DEMAIS. Mas quando exagerarem há ferramentas eficazes e democráticas que têm o poder de freios. Sempre através do devido processo, com respeito à defesa e ao contraditório.

O sistema federativo, como especificado acima, interessa às forças políticas internas do País, sendo muito mais uma imposição sociológica que formal, tem sobrevivido ao logo da história. Pois o sonho de tais forças, que assim se equilibram mantendo uno o Estado, é ampliar os poderes, jamais abrir mão deles.

Logo o sistema federativo está firme, forte, tem-se fortalecido e a tendência é fortalecer-e mais ainda, para MANTER VIVO E FORTE O MERCADO INTERNO, QUE MUITO INTERESSA AO PODER ECONÔMICO. Basta observar a pressão dos prefeitos e governadores por mais repasses dos tributos arrecadados.  Sendo quase impossível haver uma fragmentação como a que ocorreu com a União das Repúblicas Socialista Soviéticas, a antiga Iugoslávia, etc.

A idéia de separatismo que vem em maior parte do Sudeste, equivocadamente encontra, como resposta, tese de separatismo dos radicais  equivocados do Nordeste. , POIS O SEPARATISMO DE UM SÓ POVO, DE UMA SÓ CULTURA E DE UMA SÓ NAÇÃO, NÃO TEM PORQUE VINGAR, POIS SERIA O COMEÇO DO FRACASSO DO BRASIL COMO POTÊNCIA EMERGENTE. Observe esses versos de uma música cantada por Elba Ramalho, de Ivanildo Vila Nova e Bráulio Tavares, que na época foi proibida de tocar em rádios, que não tem porque se tornar realidade:



4 comentários:

Robério Fernandes disse...

A discriminação a que faz menção a excelente matéria trazida aqui não se combate somente com ações judiciais, embora elas tenham seu efeito benéfico. Há um emaranhado de motivos sociológicos que podem explicar o porquê dessa mazela, que lamentavelmente ainda corrói e macula as relações humanas. Para se explicar satisfatoriamente sua existência e seu relutar, é preciso adentrarmos profundamente na história do ser humano, notadamente na história do Ocidente. O mundo compreendeu de forma bastante equivocada o conceito de evolução. A humanidade precisa voltar no tempo e repensar tal conceito, de sorte que temas como progresso, evolução, educação e ascensão social estão tão relacionados entre si que qualquer descuido em sua análise poderia nos levar a uma falsa explicação. Diante de tal cenário, seríamos negligentes, por exemplo, se ignorássemos (1) parte da filosofia grega (Sócrates, em ato discriminatório, afirmou convictamente que só a Capital teria a ensiná-lo, e não o Interior); (2) o casamento entre o positivismo de Comte e o pensamento burguês pós-Revolução Industrial, através do qual o mundo absorveu a ideia de que o progresso econômico e científico fariam do homem seres mais evoluídos e felizes; (3) o evolucionismo de Darwin e o darwinismo social de Herbert Spencer, através dos quais se estimulou o mundo a crer que a humanidade caminha num sentido evolutivo, mesmo com as mazelas sociais existentes (guerras, fome, etc.); (4) a eugenia, fenômeno existente já na velha Grécia (Platão foi e de seus representantes), que traz, em seu bojo, a ideia de que existem grupos de raças que são geneticamente mais evoluídas, de cuja fonte Hitler bebeu, o que culminou na idelogia nazista. Misturem-se todos esses elementos e vejamos o que dá!! O tema é sério e a humanidade não tem tempo para debater o tema. As faculdades pouco exploram o tema, o que dirá dos demais segmentos que lidam com as dicussões sociais. O mundo corre velozmente e a luta pela sobrevivência não nos permitem racionar com lucidez. Hoje muitos acadêmicos e estudiosos já colocam em dúvida a ideia de que estamos evoluindo, de que o progresso econômico e científico são demonstrações reais do que seria o literal significado de evolução. A imprensa, os cursinhos pré-vestibular, os pais, a escola, todos esses segmentos têm cooperado com a sobrevivência de muitas mazelas, pois, inocentementes ou por má-fé, fazem os filhos/alunos/sociedade acreditar que o bom emprego, a fama e a cidade grande são o último bem de consumo da humanidade. Parabéns por instigar os leitores à reflexão!

Anônimo disse...

Prezado,
Na tentativa de combater a discriminação voc~e discrimina outros povos dos Brasis ao não aceitar a sua diversidade. perdoe, mas seu artigo não serve nem para panfleto de porta de banheiro, pois é a apoteose da discriminação contra os povos. Esta tal Mayara nunca foi separatista e não pode ser separatista, por que ela não gosta dela mesma, imagine gostar de outros que lhe são diferentes. Com esta sua gonorreia discriminatória contra povos diferentes que pretendem separar-se desta podridão chamada Brasília e seu estado nacional neocolonista, você simplesmente deixa claro que a julgar pelos seus argumentos. esta mais do que na hora de cairmos fora do que voc~e chama de "federação". Et Caterva!!!

Valeska da Silva Iunceck
Foz do Iguaçu - PR

Anônimo disse...

Alienavel é o corenelismo imposto por brasilia, extorquindo os tributos das federações em utopicas gastanças desmedidamente inconstitucionais a moralidade do Pais. O estigma do separatismo atual é fundamentado nos recursos confiscados intolerantemente nos desvios incriminaveis de brasilia. O pragmatismo racista que é posto dos não separatistas é puramente infamatorio é expõe justamente um contra preconceito ao que não lhe agrada, fazendo assim racista o racista, que não respeita o ponto de vista e os fundamentos do seu semelhante. Separatimo é um forma de preservar o direito constitucional da boa aplicação dos imposto em beneficio da sociedade, e não da mancha corruptosa de brasilia.

João Paulo disse...

Creio que você falhou demais em suas colocações em vários aspectos:
-As mais estridentes na questão de achar que o separatismo se baseia no ódio (o que uma pessoa diz, não representa as posições ideológicas dos movimentos independentistas).
-Achar que a Constituição é a norma máxima. Quando na hierarquização das normas esqueceu de citar a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, que se equivale (ou esta acima) da CF88, e que expressamente diz sobre a auto determinação dos povos. Sem falar que a norma de qualquer país não deve ser considerada dogmatica, e muito menos mais importantes que qualquer direito natural.
-O Brasil não é uma federação de fato, pois a autonomia regional é muito limitada e as intervenções federais são constantes.
-O Brasil não representa uma nação,nem um povo. No sentido original da palavra o Brasil possui vários povos distintos culturalmente, ou seja, várias nações com diferenças notórias de realidade, pensamento, folclore e etc.
-Realmente o Brasil cresce economicamente, no entanto, leva-se em conta um retrocesso ou estagnação nos aspectos sociais, políticos e culturais. É a única explicação para uma instituição política que se apresenta como o 7º maior PIB do mundo, e um IDH abaixo de países similares a Cazaquistão, Bósnia e Jamaica. (Brasil na 84º colocação no ranking mundial).
-Se enganas ao afirmar que o separatismo é uma ameaça a um Brasil emergente. Uma Confederação de países independentes supre muito bem as necessidades brasílicas. Garante a união economica que o Sr. tanto preza, e a sobernania política que os separatistas sonham. Isso significa a continuidade do crescimento econômico, e o início dos crescimentos socias, políticos e cuturais na ordem regional.
.
Espero que minhas considerações e de tantos outros separatistas sejam levadas nesse comentário. E que pelo ideal de liberdade de expressão (contrariando qualquer forma de censura), você irá aprovar esse comentário.

Related Posts with Thumbnails