segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

AMORES ROUBADOS - UMA ANÁLISE NECESSÁRIA - NATURALISMO x SOCIEDADE CIVIL - O INSTINTO x RAZÃO - O PARADOXO DA SÉRIE E DA VIDA REAL NO CASO CAUÃ REYMOND E ISIS VALVERDE - E ENTÃO... O QUE SOMOS AFINAL??? ...


Antonia e Leandro - por que foram infelizes na série e na vida real???
Foto: ForbesbBasil
A série da Globo, AMORES ROUBADOS, tem como tema velhos dilemas humanos que remetem a milhões de anos atrás. A série foi baseada num livro chamado ' A EMPAREDADA DA RUA NOVA. Livro escrito por Carneiro Vilela. Segundo consta na Wikipedia. TRATA-SE DE UMA OBRA NATURALISTA.

O que é uma obra naturalista? É qualquer obra, que trate o ser humano como um animal que age conforme os instintos naturais. O SER HUMANO, VISTO PELO NATURALISMO, NÃO TEM VONTADE PRÓPRIA, quando age é por força dos mandamentos da natureza.  LOGO DE NADA PODE SER CULPADO, TAMPOUCO SENTIR CULPA. Afinal só cumpre os desígnios da mãe natureza. Tal escola surgiu sobretudo a partir da teoria da evolução de Charles Darwin. AMORES ROUBADOS, em sua primeira semana foi fiel ao naturalismo. PREVALECEU O INSTINTO SEXUAL, O DESEJO, O SEXO. As mulheres se entregavam ao personagem Leandro sem pensar em nada. Vivendo só o presente. Pouco refletindo sobre as consequências disso. Da mesma forma o Leandro, que chegou a ter caso com a mãe e com a filha. MAS O SER HUMANO NÃO É SÓ INSTINTO. Tanto é que na semana em que a série foi sensual, já estava caindo no tédio. PASSANDO A TER EMOÇÃO quando os casos são revelados, sobretudo as traições. Quando o próprio Leandro se descobre apaixonado, algo além do mero instinto. Quando a razão chega à superfície da mente de todos os personagens. Ganhando na parte psicológico. Ai começou o drama.

O ser humano, diferentemente dos animais, criou as leis humanas, a moral, a cultura. DEIXANDO DE VIVER COMO MANDA A NATUREZA. Criando seu próprio mundo com suas próprias regras. MANTENDO SUA PARTE NATURAL SUBMISSA AOS VALORES CULTURAIS CRIADOS. Um misto de natureza e animal social. Uma mistura de instinto e razão.  Assim, o que é normal na natureza, não é normal no mundo dos humanos. 

POR EXEMPLO: o ABANDONO MATERIAL DE MENOR é crime no mundo humano. no mundo animal, o filhote do Gnu que não conseguir acompanhar o rebanho será abandono e caçado; O ABANDONO DE IDOSO é crime no mundo humano, no mundo animal os animais velhos são abandonados pelo bando e são os primeiros a serem caçados. Não há num rebanho de antílopes animais velhos. Só os que conseguem fugir dos predadores; Um leão quando vence o macho líder de um grupo de leões, ela mata todos os filhotes do macho derrotado. NO MUNDO HUMANO ISSO SERIA HOMICÍDIO. Assim, não haverá dois galos no terreiro, dois touros no curral, dois lobos capazes de se reproduzirem na mesma alcateia. SE HOUVER DOIS, LUTARÃO ATÉ A MORTE. Se necessário. Bom ainda dar como exemplo que os animais na natureza transam entre si independentemente de parentesco, NÃO RESPEITAM O TABU DO INCESTO que os humanos criaram. A moral humana não aceita filho transar com mãe, irmã com irmão, pai com filha... GENRO COM NORA COMO FOI O CASO DE LEANDRO EM AMORES ROUBADOS.  São apenas exemplos básicos. Mesmo quando há exceções  na natureza, elas são radicais, fruto não da vontade do animal, MAS DE UMA IMPOSIÇÃO EXTERNA QUE VEM DA NATUREZA. O ser humano é capaz de avaliar, de decidir, de escolher uma opção, exercendo a liberdade, seu livre arbítrio. Daí bem o sentimento de culpa, daí vem a responsabilidade e sendo o caso, a punição civil ou criminal. O SER HUMANO É ESSA SOMA DE RAZÃO E INSTINTO, DE OBJETO DAS LEIS DA NATUREZA AO MESMO TEMPO SUBMISSO A NORMAS SOCIAIS. UM SER PERANTE A VONTADE DA NATUREZA E PERANTE A VONTADE DA SOCIEDADE, QUE O PRÓPRIO SER HUMANO CRIOU.

FICA CLARO QUE NA SÉRIE AMORES PROIBIDOS HÁ ESSE CLARO CONFLITO ENTRE OS PERSONAGENS SEGUIR A VONTADE DAS LEIS  DA NATUREZA REPRESENTADAS PELO INSTINTO EM FORMA DE DESEJO SEXUAL

OU

SEGUIR A VONTADE DAS LEIS E DA MORAL SOCIAL IMPOSTAS PELOS VALORES CULTURAIS CRIADOS PELO SER HUMANO, REPRESENTADOS PELA FAMÍLIA, PELO DEVER DE FIDELIDADE, PELA ÉTICA.

Bom que se diga que a adaptação para série pela Globo não é assim tão fiel ao livro em que se inspirou. A não ser no desejo sexual... Por outro lado, a edição, a direção, a fotografia, a trilha sonora são magistrais. Grandes atores, com excelente desempenho.  Mas ficaram algumas lacunas inexistentes no livro. Muitas incoerências.

AS TRÊS MULHERES AMANTES DE LEANDRO: Patrícia Pilar a beleza europeia, que comprova que beleza não tem idade. Dira Paz a beleza mestiça bem típica do Brasil. Com DNA das três raças. Isis Valverde, bela e sensual. AMANTES DESEJADAS POR QUALQUER HOMEM. Que sorte a do Cauã Reymond. Mas vejamos uma por uma:

IZABEL: puro instinto. Fervia de desejo. Faz o papel da sonsa. A ponto de não tendo transado com Leandro, chegou a transar com a primeira pessoa que encontrou à noite numa estrada: UM RAPAZ QUE ATROPELOU, ENTREGADOR DE ÁGUA. Mas achava que era Leandro. QUAL MULHER FARIA ISSO NA VIDA REAL? MESMA CHEIA DE DESEJO? 

CELESTE: essa era selvagem! Amante e possessiva. Com o diabo nos couros! Embora se entregasse ao desejo, esquecendo-se de todas as consequências. O que rendeu R$ 500 mil a chantagista, que incrivelmente ficou com cópia da prova do adultério, para quando gastar o dinheiro chantagear novamente. Em nenhum momento preocupou-se com o filho, com a família. Só depois de descoberta e de saber que Leandro tinha mais duas amantes, mãe e filha, descobre que ama o marido e que precisa da família. UM AMOR QUE CUSTOU AO MARIDO R$ 500 MIL REAIS. Um amor relativizado pela necessidade de riqueza. CONTINUOU COM O MARIDO QUE NÃO AMAVA, POR DINHEIRO. Deixou de ser amante e tornou-se prostituta. Quando poderia separar-se, ser livre, com autonomia, viver, ser ou não ser amante de quem quer que seja.  NÃO REPRESENTA E MULHER MODERNA. Com certeza mais cedo ou mais tarde, quando aprontar de novo, vai ter que contar com a Lei Maria da Penha.

ANTONIA: a que veio da Europa, consciente e com formação... e no segundo encontro já se entregou ao Leandro. O galã irresistível. Uma verdadeira chave do desejo. O homem de açúcar! DIANTE DELE, AS TRÊS ERAM PURO INSTINTO. Transava por transar.  MAS EIS QUE SE APAIXONA PELA ANTONIA. Na natureza não há paixões. Só puro instinto. AO SE APAIXONAR POR ANTONIA, O PERSONAGEM LEANDRO TIRA A SÉRIE DO NATURALISMO E A SÉRIE TOMA OUTRO RUMO MAIS REALISTA. Antonia serviu para essa passagem. Embora se afigure impossível uma patricinha rica, formada na Europa, preparada para assumir uma empeesa, voltar para sua terra natal, esquecer-se da empresa, entregar-se tão rapidamente, transar sem camisinha e engravidar. Sem saber nem quem era o pai de seu filho.

LEANDRO: o Dom Juan, o sedutor clássico. Filho de uma prostituta, o que parece discriminação às prostitutas. NA VERDADE A SÉRIE FOI ESCRITA PARA PROJETAR O ATOR GLOBAL CAUÃ REYMOND. Para que ele possa invadir o universos feminino, seu imaginário e se firmar com mais um investimento da Globo. Pois os atores estão para Globo, como os atletas para os times de futebol. Até o direito à imagem é da emissora. Assim UNINDO NUMA SÓ SÉRIE A BELEZA DOS DOIS JOVENS E POLÊMICOS ATORES (Cauã e Isis) aos demais talentosos atores do segundo círculo da trama tem-se uma receita quase certa de sucesso.

E O INSTINTO EM FORMA DE DESEJO EXPLODIU - MAS ENCONTROU FREIO NA CULTURA DOS TRAÍDOS E DOS TRAIDORES - DEPOIS ESTOUROU EM EXAGERADA VIOLÊNCIA QUE FEZ DA SÉRIE QUASE UMA TRAGÉDIA GREGA - AMOR OU AMORES É O QUE MENOS EXISTIA - SE HUUVESSE AMOR A SER ROUBADO NÃO HAVERIA A PREVALÊNCIA DO INSTINTO:

1) O Marido de Isabel resolve matar o sedutor. Esquecendo-se que a mulher poderia sair com muitos outros. Se tivesse que matar todos teria que andar com uma metralhadora e cometer um genocídio;

2) Izabel, Patrícia Pilar, enlouquece, pois não consegue se ver nem como a mãe de família clássica, cuidando do seu projeto familiar, nem se vê como amante, ainda mais como amante traída. Então enlouqueceu e vai ajudar a criar o neto, que poderia ser seu filho com Leandro, que a seduziu por puro instinto, não como um projeto de vida a viver com ela;

3) Celeste, vivida por Dira Paz, comporta-se como mercenária. Não ama o marido, ama o amante, que a exemplo dela segue só o instinto. Mas descobre que ama o marido quando teme ser largada. papel de mercenária. Uma espécie de Leandro de saias, que se sai melhor que Leandro na série. Pois traiu e não foi largada. Embora seu futuro ninguém saiba. Pois perdeu a confiança do marido. Seu desejo voltará novamente. Se chifrou e deu certo, pode repetir a dose. Mas no Nordeste do Brasil, com a cultura vigente, ela poderia ser morta. Embora no Brasil onde mais se mate mulher é no Espírito Santo. Seu futuro uma incógnita.  O futuro com seu marido pode encontrar resposta em clássico como Otelo, Dom Casmurro ou Madame Bovary, onde o tema é a traição e o ódio causado pela traição. Temas universais. Em todas há tragédias.

4) JAIME - LEANDRO IZABEL E ANTONIA FAMÍLIA IMPOSSÍVEL:  pai de Antonia e o sedutor não poderiam ter fim diferentes. Pois um se tornara assassino da pior espécie. Como iria dizer para o neto que matara seu pai. Se Leandro sobrevivesse como ficariam os quatro juntos, Leandro, Antonia, Isabel e Jaime?  O que dirá o menor quando ficar adulto e saber de toda a história? Imagine-se que Leandro sobrevivesse depois da morte de Jaime. Moraria com mãe e filha? As famílias das duas e do falecido Jaime aceitariam os 03 juntos e com a fortuna deixada pelo morto! E se Leandro vivendo com as duas tivesse um filho com Izabel: Os meninos seriam irmãos por parte de pai; o filho de Izabel seria irmão de Antonia e tio ao mesmo tempo do irmão... QUEM FICOU FRUSTRADO POR LEANDRO NÃO REAPARECER precisa entender que a dinâmica da série não seria diferente. AS MORTES FORAM A SOLUÇÃO DA CHARADA. A série foi mais realista que as novelas, onde tudo é possível. Basta ver o personagem Felix, da novela das 09h. Praticou tentativa de homicídio, sequestro, furto, calúnia, difamação, injúria... e ainda acabará como herói. Depois esse mesmo povo reclama dos políticos brasileiros. Quando mostra que ama vilões? Que basta ser engraçado para virar heroi!

CAUÃ REYMOND E ISIS VALVERDE E O CASO QUE TIVERAM - UM PARADOXO: aqui reside o paradoxo. Os dois atores se entregaram na vida real a um CASO EXPLOSIVO DE PAIXÃO MOTIVADO PELO DESEJO E PELAS LEIS DA NATUREZA e pagaram caro. Mulheres no Brasil começaram a fazer uma campanha contra a série, com raiva de Isis Valverde, que saiu com um homem casado. A atriz teve que desmentir e até hoje desmente o caso. Cauã, o galã sedutor e desejado por todas as mulheres do Brasil ,foi largado pela mulher que o tinha, mesmo sendo Cauã Reymond. TUDO MOTIVADO pelo caso que teve com a bela atriz. PARECE QUE OS ATORES NA VIDA REAL ACABARAM PUNIDOS POR SEGUIREM SEUS INSTINTOS E A LEI DA NATUREZA. Eis o paradoxo!!! Fruto dessa mistura de animal e racional, das leis da natureza e das leis sociais humanas... NESSE ESPAÇO OCORRE O JOGO DA VIDA. ENTRE A VONTADE DA NATUREZA E A VONTADE DA SOCIEDADE CIVIL SE ESPREME O INDIVÍDUO E SOBRAM REGRAS... E emerge o que parece impossível, e surgem os paradoxos... é o jogo! Maior e mais doloroso e dramático que o mais cruel dos vídeos games...

CONCLUSÃO: A série  foi boa por ser tecnicamente perfeita, pela beleza da fotografia, pela direção magistral, pela música maravilhosa, pelas magníficas paisagens ao longo do Rio São Francisco... e continua boa porque foi polêmica... porque pode suscitar tanto debate... pelos paradoxos que nos deu... pela confusão que causa nas cabeças dos fãs... mesmo na cabeça dos atores... a Globo tentou mudar o casal que polarizou a série LEANDRO x ANTONIA para LEANDRO x CELESTE, para salvar a imagem dos jovens atores, que corresponde a um pesado investimento que darão muito LUCRO e retorno à Globo. A POLÊMICA, A DÚVIDA... deixadas é que fazem a série valer à pena, embora ninguém queira ser nenhum dos personagens da série... ou você quer ser algum personagem da  série? ...??? Se assim, qual dos personagens da série você gostaria de ser???


Um comentário:

geraldo inácio botão disse...

SÉRIE GLOBAL “AMORES ROUBADOS”


Caro Amigo e Ilustre Conterrâneo Valdecy Alves:


Permito-me fazer breve comentário para registrar que, no meu ponto de vista, a análise por você elaborada acerca da minissérie global Amores Roubados, de grande audiência, muito me agradou por haver acrescentado à minha compreensão aspectos ainda impensados a respeito da produção, tanto na perspectiva da trama quanto na dos personagens, levando-me, pois, a possibilidades múltiplas de reflexão.

Na verdade, Valdecy, no seu trabalho – digno de verdadeiro crítico de arte – está embutido um olhar antroposociológico, tentando desvendar um pouco os elementos humanos nas suas dimensões natural e social, onde se inclui o cultural.

Fiquei feliz também em relembrar conceitos das escolas do pensamento como Naturalismo, Realismo, etc., puxando marcadores outros como Paixão, Cultura, Instinto, Desejo, etc., etc.

Pude, assistindo aos capítulos televisivos e me detendo no seu estudo, chegar às seguintes conclusões:

1) O ser humano natural, que age apenas por instinto ou desejo, de modo inconsequente e sem responsabilidade de ser cultural, paga o preço de sua irracionalidade;
2) Para a Sociedade, como existe um padrão comportamental a partir de um conjunto de regras aceitas de convivência e costumes solidificado ao longo do tempo (MORAL), quando a pessoa quebra essa regra é IMORAL ou ANTIÉTICO;
3) Para a Religião, se a pessoa transgride por atos, pensamentos ou ações a Doutrina da sua Igreja e, no caso particular do Cristianismo, a Moral e a Ética Cristãs contidas nos ensinamentos bíblicos, tal pessoa é PECADORA;
4) Para a Justiça Humana, se a pessoa, na convivência em sociedade, comete ações que atentam contra a dignidade ou integridade física, moral ou psicológica do seu semelhante, transgride as leis; é, portanto, CRIMINOSA;
5) Para a família, se a pessoa casada (homem ou mulher), movida por puro desejo ou impulso momentâneo, numa aventura irrefletida – muitas vezes, um prazer de minutos que gera infelicidade de toda uma vida --, trai sexualmente a outra a quem jurou amar até o fim, tal pessoa é INFIEL, ADÚLTERA E TRAIDORA.


Obviamente que os adjetivos parecem duros e cruéis. Claro que, em cada transgressão acima, existe a possibilidade de reexamine do “delito” e até de perdão em cada instância ...

O que está em jogo aqui é a sábia conclusão do estudioso Valdecy ao declarar, em sua percuciência, que sempre o homem natural (portador de desejos, impulsos, instintos) estará, ao longo de sua existência, se debatendo, em maior ou menor intensidade, com o homem racional (realista, cônscio de seu papel social e da responsabilidade em todos os níveis dos atos praticados ou omitidos).

Por fim, cabe dizer que, quando o ser natural (homem ou mulher) prevalece sobre o ser racional – mesmo paralelo que podemos traçar entre EMOÇÃO e RAZÃO – muitos desatinos podem acontecer com desastrosas e inesperadas consequências!

Parabéns!

Um grande abraço,

Geraldo Botão - Fortaleza (CE)

Related Posts with Thumbnails