quinta-feira, 26 de maio de 2016

DEZ CURIOSIDADES SOBRE O AÇUDE DO CEDRO NO CEARÁ QUE VOCÊ PRECISA SABER - CONSTRUÍDO PARA RESOLVER O PROBLEMA DA SECA NO CEARÁ - MAS NÃO RESOLVEU NEM O PROBLEMA DE QUIXADÁ - UMA MENTIRA DO IMPÉRIO QUE CONTINUOU NA REPÚBLICA - PROVANDO QUE MUDA SISTEMA DE GOVERNO - MUDA PARTIDO NO PODER... MAS O POVO SEMPRE NA PEIA E A SECA SEMPRE ALIADA DOS PODEROSOS...


Foto do DNOCS 
CURIOSIDADES SOBRE O AÇUDE DO CEDRO EM QUIXADÁ UM FRACASSO CONTRA AS SECAS QUE COMEÇOU NO IMPÉRIO - CONTINUOU NA REPÚBLICA E PERDURA ATÉ OS DIAS ATUAIS: Uma cortina de fumaça inventada pelo Imperador Dom Pedro II para enganar os nordestinos. O Açude do Cedro uma mentira que continuou na República. Motivado pela terrível seca dos três setes (1877 - 1878 - 1879), que foi notícia até internacional. As obras só começaram em 1884. Acabou o Império com a proclamação da República, em 1889 e o império não concluiu a construção do Açude. Quando em 1888, aconteceu outra terrível seca, a seca dos três oitos, o Açude do Cedro estava muito longe, longe mesmo de ser construído. As obras quase paradas... Com o advento da República, a mentira e a enganação continuou. MOSTRANDO QUE TUDO MUDOU, MENOS A CULTURA DOS POLÍTICOS E DOS GOVERNANTES BRASILEIROS, que se apropriam da máquina pública e num carrossel, ora como situação, ora como oposição, nivelam-se nos atos de maldade, incompetência e corrupção... e o povo sempre levando a pior: pagando a conta. Vamos às 10 curiosidades sobre o Açude Cedro, sendo que a maior parte delas foi fruto de pesquisa do livro que me foi dado de presente pelo historiador, professor e blogueiro Robério Fernandes: AÇUDE DO CEDRO - MITOS E VERDADES - da Historiadora Elisângela Martins. Eis as curiosidades: 

Foto do blog: Tribuna da Serra


PRIMEIRA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro levou 22 anos para ser construído. do ano de 1884 ao ano de 1906. 05 anos da incompetência da Monarquia e 17 anos de incompetência da República somados, resultando em ineficácia. Mostrando que de nada adiante mudar o sistema de governo se não mudar a cultura irresponsável, insensível, patrimonialista e imoral dos que governam. A SECA CONTINUOU MATANDO DURANTE E DEPOIS DA CONSTRUÇÃO DO CEDRO E ATÉ OS DIAS ATUAIS;

SEGUNDA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro já nasceu para não funcionar. O estudo hidrológico da região foi um erro terrível. O Rio Sitiá, principal alimentador do Açude corre com pouca água, no local chove pouco, o Açude fica próximo à nascente. Concluído em 1906 levou 18 anos para sangrar pela primeira vez, em 1924. Sangrou novamente em 1925, depois levou 50 anos para sangrar pela terceira vez. UM AÇUDE PARA RETER MAIS VENTO QUE ÁGUA;

TERCEIRA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro não serviu para nada na terrível Seca de 15. Seca que inspirou o livro de Raquel de Queiroz,  O Quinze, que conta exatamente a saída de uma família de Quixadá para o Campo de concentração do Matadouro, em Fortaleza. O que mostra que o governo republicano conseguiu copiar o governo imperial, mantendo políticas de campos de concentração. Que se diga que até o Sítio Histórico do Matadouro, atual Otávio Bonfim, sequer está sendo preservado. A União nada faz para preservar. O prefeito Roberto Cláudio tudo faz para destruir em pleno 2016;

QUARTA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro fracassando na Seca do Quinze levou o Governo Republicano a construir a Barragem do Patu em Senador Pompeu, em 1919. Mais uma mentira do Estado brasileiro. A obra mal começou foi suspensa em 1923. Concluída apenas em 1984 e apenas com 1/3 da capacidade de armazenamento inicialmente projetada. MAIS UMA VITÓRIA PARA SECA. O canteiro de obras da Barragem do Patu, abandonado, em 1932, serviu para construir o Campo de Concentração do Patu, na terrível Seca de 32, que era o quarto ano de Seca. OS NAZISTAS TINHAM COM QUEM APRENDER SEUS FUTUROS MÉTODOS;

QUINTA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro não foi construído por escravos. Mas por pessoas pagas a um salário vil. Parte paga em comida, parte em dinheiro. MAS NÃO FOI TRABALHO DOS ESCRAVOS. MITO QUE DEVE SER COMBATIDO;

Planta do Açude do Cedro - Dnocs
SEXTA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro é mais visitado atualmente pela sua beleza e por sua história que por sua eficácia. Além de se localizar numa bela região de monólitos, próximo à famosa pedra da Galinha Choca.  Continua tão ruim como reservatório de água, que há um projeto de trazer água de Quixeramobim para que possa ter mais água. Sangrar é outra coisa. QUE ENGENHEIROS E ESTUDIOSOS FORAM TÃO INCOMPETENTES QUE NÃO SABIAM QUE HAVIA MAIS ÁGUA NO RIO SALGADO, NO RIO BANABUIÚ, NO RIO JAGUARIBE... que numa mísera bacia hidrográfica  como a do Rio Sitiá... ??? Dizem que o engenheiro hospedou-se em Quixadá, na época dos estudos, após um encontro com o gestor do Município na época... amanheceu com a conclusão que Quixadá seria o melhor lugar do mundo para construção do Açude que libertaria todo o Ceará do flagelo das secas... adivinha o que pode ter acontecido nessa noite de dormida do engenheiro em Quixadá... quando o pesadelo de sua conclusão ficou para o povo...

SÉTIMA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro  em média empregava menos de 500 trabalhadores. A maioria de Quixadá e do Sertão Central. A primeira comissão que começou a construção em 1884, após a autorização do Império em 1880, enfrentou secas, recebendo no canteiro de obras até 1.500 famílias, cerca de 10.000 pessoas. Flagelados da Seca.Que em muito auxiliaram na construção das bases do Açude do Cedro. Ganhando salário, política melhor que dar esmolas e prender em campos de concentração, que ocorrera em 1877-1879, repetiu-se em 1915 com a República, que aperfeiçoou tal técnica na Seca de 32, desta feita construindo 07 campos de concentração de verdadeiro extermínio;

OITAVA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro é composto por 05 barragens em todo o seu perímetro, incluindo a parede central. Sendo três de terra e duas de alvenaria. Houve época que a obra quase parou. Num período faltou cimento, noutro período mão de obra, em virtude dos péssimos salários, que não atraíam muito trabalhadores em épocas normais... pois era mais lucrativo plantar.

NONA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro, segundo a historiadora Elisângela Martins, autora do livro AÇUDE DO CEDRO - MITOS E VERDADES, tinha poucos livros a seu respeito. Mas para surpresa da historiadora, quando o DNOCS permitiu que ela pudesse fazer a pesquisa no seu acervo, ela encontrou 26 livros sobre o açude. Que nem o Dnocs conhecia ou sabia da existência. Alguns sendo devorados pelos cupins.  Sobretudo relatórios, folhas de pagamento, projetos. O que demonstra que muitas vezes mais do que pesquisar, no Brasil, os historiadores acabam fazendo um trabalho de arqueologia, com interessantes descobertas. QUE OS JOVENS HISTORIADORES EM SUAS PESQUISAS NUNCA DESISTAM DE PROCURAR PROVAS E DOCUMENTOS, COMO SE FOSSEM TESOUROS, POIS O PODER PÚBLICO É PÉSSIMO EM PRESERVAR E EM CATALOGAR DOCUMENTOS DO PASSADO COMO É PÉSSIMO EM PRESERVAR A MEMÓRIA, SOBRETUDO QUE PERMITA COMPROVAR SUA INCOMPETÊNCIA E GENOCÍDIOS;

DÉCIMA CURIOSIDADE: O Açude do Cedro ao qual pode-se adicionar a barragem de Quixeramobim, o Açude Patu de Senador Pompeu, o Boqueirão de Lavras da Mangabeira, o Açude do Orós, o Açude Araras, a Barragem de Banabuiú, o Barragem do Castanhão e tantos outros... formam um complexo que ainda se demonstra ineficaz para o enfrentamento das secas mesmo nos dias atuais.  A SECA CONTINUA VENCENDO A INCOMPETÊNCIA DOS GOVERNANTES BRASILEIROS, SOBRETUDO PREFEITOS, GOVERNADORES E PRESIDENTES. Eternos pais da política da seca e aliados da miséria que tanto os têm ajudado a se manterem no poder, pelo poder... O POVO COMO SEMPRE ESCRAVIZADO PELA NECESSIDADE... AINDA NO NÍVEL ANIMAL DE SONHAR COM MORADIA, ALIMENTO, ÁGUA E TER O QUE VESTIR. Para vocês uma bela canção de Luiz Gonzaga, falando das secas, ACAUÃ:
  



Um comentário:

Anônimo disse...

Tira o açude e terás o Saara...

Related Posts with Thumbnails