sábado, 7 de maio de 2016

III SEMINÁRIO SERTÃO - SECA- MEMÓRIA E CIDADANIA - CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NUNCA MAIS! FOI UM SUCESSO - TANTO NA MÍDIA QUANTO NAS PALESTRAS E DEBATES! PELA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL E DA MEMÓRIA - UMA QUESTÃO DE IDENTIDADE!


Participantes do III Seminário - Artistas - Intelectuais - Ativistas
Foto: Reginaldo Araújo
III SEMINÁRIO SERTÃO - SECA - MEMÓRIA E CIDADANIA - CAMPO DE CONCENTRAÇÃO NUNCA MAIS - FOI UM DOS MAIS RICOS EM DEBATE: Com a presença de artistas, intelectuais, ativistas, produtores culturais, diletantes, professores, idealistas, poetas... O Seminário Sertão Seca Memória e Cidadania se firma como um dos seminários, único que trata dos campos de concentração no Ceará e no Brasil, mais importantes em virtude de sua temática. O Seminário em 2016 seguiu 03 eixos, a saber:

PRIMEIROEM DEFESA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO MATERIAL E IMATERIAL COMO FORMA DE EVOLUÇÃO DA JUSTIÇA SOCIAL (Tema eixo)

SEGUNDO: A preservação do patrimônio histórico material e imaterial como forma de preservar a identidade e gerar emprego e renda pelo turismo ( Mesa 1)

TERCEIRO: Porque os candidatos a prefeito devem apresentar projeto para preservação do Sítio Histórico do Campo de Concentração do Patu (Mesa 2)

Os palestrantes: Mayk Lenno, Robério Fernandes, Thamires Araújo e Dr. Valdecy Alves além de proferirem suas palestras debateram por mais de uma hora com os presentes, que participaram de forma complexa, qualificada e profunda. Houve declamação de poesias, exibição de vídeos e exposição de fotos contando toda história dos campos de concentração no Estado do Ceará, desde a Seca de 1877, passando pela Secado de 15 e pela Seca de 32. COMO EM SENADOR POMPEU HOUVE O CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO PATU, NA SECA DE 32, ÚNICO QUE TEM PRESERVADO TODOS OS PRÉDIOS QUE FUNCIONARAM COMO ABRIGO E O CEMITÉRIO ONDE OS MORTOS FORAM ENTERRADOS EM VALAS, o Campo de Concentração do Patu sempre ocupa grande espaço nas palestras e debates. O evento é uma realização da sociedade civil organizada. Autônomo e livre de ideologias partidárias e merece destaque os seguinte apoiadores: Liceu de Senador Pompeu – Blog do Walter Lima – Instituto Trilhas –  Rádio Sertão Central – Humaitá FM –  Mil Cores – Deodato Aquino - Blog Valdecy Alves



Abertura do evento - Leitura de poesia - exibição de vídeos
Poetas Aristóteles e Jesuíta
O EVENTO TEM O SEU MANIFESTO QUE TODO ANO É ATUALIZADO. EI-LO:


III SEMINÁRIO
Evento da Sociedade Civil Organizada
Sertão – Seca - Memória e Cidadania
EM DEFESA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO MATERIAL E IMATERIAL COMO FORMA DE EVOLUÇÃO DA JUSTIÇA SOCIAL

Debater sobre o Campo de Concentração do Patu de Senador Pompeu e outros campos de concentração no Estado do Ceará, que foram criados do final de abril/32 recebendo a maioria dos concentrados até 10 de maio de 1932.  Em meio a isso a comemoração do dia do Trabalhador, 01 de maio de 1932, já foi com milhares de flagelados concentrados. Presos. Sem o direito de ir e vir. Sem o mínimo de dignidade. Sem condições higiênicas, sem alimentação suficiente. Na mais plena miséria. Tanto que por conta disso, Senador Pompeu ficou conhecida como “o curral da fome”. Os flagelados foram atraídos com promessa de que seriam empregados na obra da retomada da construção da Barragem do Patu, que fora suspensa desde 1919. Quando abriram as inscrições para os flagelados se alistarem no dia 25/04/32, só no primeiro dia, foram 6.000 inscritos.  Em 20/05/32 já eram mais de 18.000 flagelados. Não havia obra nenhuma. Nem trabalho. Presos e amontoados como gado. Humilhados. Encontraram a morte, foram dizimados pelo cólera. Enterrados no Cemitério da Barragem. Lugar tido como santo e sagrado.
Um genocídio lembrado pela anual Caminhada da Seca. Necessário debater tal fato. Necessário que não se repita. Necessário entender o que levou a tal tragédia e compreender a tragédia e suas causas. Para que se acerte no presente e se melhore o futuro. A preservação da memória, do patrimônio material (casarões) e imaterial (poder das almas da barragem- outros) é um trampolim seguro para fortalecer a identidade do povo de Senador Pompeu, do Ceará, do Nordeste e do Brasil. Debatendo o Sertão, a política das secas e das águas, a importância de preservar a memória, para a efetivação da mais plena cidadania, que é impossível quando não se garantem os direitos humanos fundamentais e o mínimo existencial de cada pessoa pelo Poder Público.
A ideia é realizar o Seminário sempre todo primeiro sábado de maio de todo ano, próximo ao dia do trabalho, quando trabalhadores foram condenados à morte num Campo de Concentração, que macula a história das políticas públicas e do Estado Brasileiro, que tem como essência precípua, promover o bem de todos e a Justiça Social. A ideia é promover o evento todo ano, logo após o dia do trabalho. Com perspectiva crítica de avaliar, a partir da história, as políticas públicas de Estado Republicano e de efetivação de direitos humanos fundamentais, que minimamente garantam  o mínimo existencial e a dignidade humana. Além de ter como foco a preservação da memória e do patrimônio histórico material e imaterial.




Muito debate e participação - riqueza de temas e diversidade de opiniões



O CASARÃO       
(Aos casarões do Campo de Concentração de Senador Pompeu)

Majestoso sobre  o alto
Solitário, antigo, assombroso...
Por contínuos ventos açoitado
Banhado por odores da mata
Sempre desperto e atento
Furtando cor aos raios do sol
Ou sob a beleza de sem igual luar

Templo de morte e de vida
Placo de dor e desespero
De incontáveis ais de morrentes
De inúmeros uis de amor

Hotel de morcegos e corujas
Sistina de pervertidos desenhistas
Metade de inferno
Cinquenta por cento paraíso!


Janelas são olhos contemplativos
Portas bocas que falam
Aos ouvidos sensíveis
Os caibros absurdos sonoplastas
.........................................
Vem o sol, vão-se as chuvas
Vêm os amantes, vão-se as gerações
O casarão fica
Engolindo, fazendo e cuspindo história.

(Poesia de Valdecy Alves)

 Lida no evento pela estudante: Wandara Lonrayne


Palestrantes do evento e parte da produção 

CONCLUSÃO: No final do evento ficou deliberado por todos que haverá um fórum para debater que medidas tomar, sobretudo para incrementar a preservação do Sítio Histórico do Patrimônio Material e Histórico do Campo de Concentração do Patu. Como fomentar o turismo histórico e religioso (Caminhada da Seca - patrimônio imaterial) para gerar emprego e renda. Como fazer um debate com os candidatos a prefeito de Senador Pompeu - Ceará - após as convenções partidárias em julho de 2016, para que assinem um termo de compromisso com propostas efetivas para preservação do patrimônio cultural do Município, que envolva Ponte Ferroviária, Estação, Igreja, etc. Parte dos debatedores também compareceram à Rádio FM Humaitá, para falar sobre o evento. UM EVENTO CIDADÃO. EXERCÍCIO DE DEMOCRACIA DIRETA. FORMA DE BUSCAR EFETIVAÇÃO DE POLÍTICAS CULTURAIS COM A PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL E ATIVISTAS. Que venha o debate com todos os candidatos e 2017 para a realização do IV SEMINÁRIO. 

SEM PARTICIPAÇÃO POPULAR, TODA POLÍTICA CULTURAL SERÁ UM FRACASSO. SEM MEMÓRIA, SEM PRESERVAÇÃO, TUDO SERÁ O CAOS, NÃO HAVERÁ ESPECIFICIDADE NEM IDENTIDADE EM MEIO AO MUNDO ONDE A CONSTÂNCIA É A INCONSTÂNCIA E A TRANSFORMAÇÃO A CADA SEGUNDO  TÃO BEM DESCRITA POR HERÁCLITO QUANDO ANUNCIOU QUE NO MESMO RIO ENTRAMOS E NÃO ENTRAMOS, SOMOS E NÃO SOMOS... POIS AO ENTRAR E VOLTAR DO RIO, NEM O RIO, NEM A PESSOA QUE ENTROU SÃO OS MESMOS. SÓ COM A MEMÓRIA, A PRESERVAÇÃO, A CULTURA, PODE-SE CONSTRUIR A IDENTIDADE DE UM POVO E DE UM SER HUMANO. POIS SOMOS SERES HISTÓRICOS, CULTURAIS E TEMPORAIS.

Um comentário:

Walter Lima disse...

Parabéns amigo Valdecy e obrigado por fazermos parte de uma luta por causas e por realizações coletivas. E vamos a luta!

Related Posts with Thumbnails