sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Um trabalho voluntário voltado para o esporte que é um exemplo que merece ser imitado... merece ser divulgado... porque é exemplo de cidadania... Boa vontade é mais importante que poder político desviado dos seus objetivos...

Participantes do projeto em frente à igreja de Senador Pompeu - 




No dia do lançamento do meu livro e do documentário em Senador Pompeu, em novembro de 2016, conheci o Projeto Escolinha de Futsal, tendo à frente Denis Souza, que como voluntário, envolve em seus trabalho centenas de jovens, unidos numa só tribo pelo esporte. Um projeto social muito interessante. Segundo Denis Souza, seu projeto foi criado em 2 de julho de 2002, no Centro Social Urbano, CSU, no período de férias. Portanto o projeto tem 14 anos de existência. E tem sido um sucesso, apesar das dificuldades. Denis resolveu criar o projeto quando viu o crescimento do índice de violência e de jovens que passaram a ser usuários de drogas em Senador Pompeu, Sertão Central do Ceará. Quando fui adolescente em Senador Pompeu, tinha o meu time de Futebol do bairro do Alto do Bode. O Palmeirinha. Participativa de vários campeonatos. Éramos cerca de 30 jovens, o primeiro e o segundo quadro, que treinava todo dia juntos, no campo das Pedras Grandes, para os jogos dos campeonatos de domingo no Campo do Parque de Exposição, no bairro do Caracará. Participavam cerca de 20 times do campeonato, que vezes 30 membros por time, primeiro e segundo quadro, envolvia 600 pessoas. E a torcida eram formada por milhares de pessoas, Diversão gratuita para a comunidade aos domingos. Jovens esportistas afastados da violência e das drogas. A competição era no esporte. Por isso reconheço o poder do esporte e divulgo esse trabalho maravilhoso do amigo Denis Souza, a quem dou os parabéns. Que todos conheçam esse projeto. É o que podemos definir como cidadania!


Troféus ganhos pelos atletas do projeto
Segundo Denis, não existiam projetos sociais para crianças e adolescentes. Como sempre, total ausência do Poder Público, que pudesse utilizar projetos esportivos para educação, lazer, diversão e para afastar a juventude das drogas e da violência. Realidade lamentável que perdura até os dias atuais, por isso mantém seu projeto. Sua inspiração e o amor pelo esporte, veio do fato de ser praticante da modalidade e por ter observado que as crianças que viviam pelas ruas, desocupadas, sentiam-se atraídas por esporte. Resolveu dar início ao projeto esportivo, de forma individual e voluntária, passando a convidar crianças e adolescentes.


Troféus ganhos pelos atletas
Vieram as dezenas, comprovando a carência de oportunidades. Primeiro foi montada uma equipe equipe feminina, investindo no projeto parte do seu salário. Quanto ao Poder Público municipal, além nunca ter apoiado o projeto, muitas vezes perseguiu o projeto. Segundo Denis, nos dias atuais, participam 200 crianças e adolescentes. O projeto sobrevive graças à sua teimosia e muitas vezes gastando do próprio bolso. Aqui e acolá tem apoio de pessoas da comunidade que reconhecem a importância do projeto. De forma que mesmo com muita precariedade e falta de material, meios e apoio financeiro e material necessário, o projeto tem seguido em frente. Exigindo muito amor, dedicação e perseverança.

Atletas desfilando no dia do Município pelas ruas da cidade

O Projeto Escolinha de Futsal não tem sede, muitas vezes os esportistas foram expulsos dos espaços públicos, para terem acesso às quadras escolares era uma verdadeira humilhação. Até firmar parceria com a AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) de Senador Pompeu (CE), que tem dado total apoio ao projeto, cedendo sua quadra esportiva. A maior dificuldade do projeto, além de depender de espaço cedido por terceiros, é adquirir materiais esportivos como: bolas, coletes, transporte para algumas viagens, até mesmo água, falta de presença dos pais, etc.

Esporte integra - inclui socialmente e é cultura
O perfil dos participantes do projeto são jovens de áreas de risco, alguns sem estrutura familiar, há crianças carentes, muitos não moram com os pais. Cerca de 2.500 a 3.000 crianças e jovens já participaram do projeto desde sua criação. Na visão de Denis Souza, esporte é fundamental para vida, principalmente para crianças e adolescentes. O direito ao esporte e lazer está na Constituição. Primeiro é a oportunidade para eles e elas que sonham um dia em ser um atleta profissional, segundo a inclusão social, o lazer e prazer de fazer o que eles amam, a saúde... além do esporte afastá-los da ociosidade, das áreas de risco. Segundo Denis, até agora valeu a criação e manutenção do projeto. Lamenta o fato de não ter apoio público, pois se tivesse apoio, o projeto teria envolvido muito mais gente, sua eficácia, sobretudo em tirar os jovens das drogas e do risco de violência, teria alcançado muito maior e de maio impacto social.

Atletas na quadra da AABB de Senador Pompeu

Denis Souza comprova que vontade é fundamental. Ter iniciativa é fundamental. Que as pessoas e a sociedade devem participar e apoiar projetos dessa natureza. Demonstra a falta de compromisso do Poder Público que na maioria das vezes não faz, quando faz é de forma ineficiente e ainda persegue e atrapalha quem tenta fazer. Imagine se um projeto desse fosse encampado pelo Poder Público, envolvendo escolas, Igreja, associações, evangélicos... Casando um projeto desses com leitura??? Sempre tendo como principal objetivo de fazer o bem à juventude, aquela velha máxima de "mente sã (leitura) em corpo são (esporte). Tão praticada pelos romanos há mais de 1.000. Senador Pompeu não chegou nem ao nível dos romanos há mais de 1.000 anos atrás... Os governantes confundem adestramento com educação... incluir socialmente, gerar lazer para comunidade com as disputas esportivas, ocupando o jovem para que fiquem longe das drogas e da violência... permitindo que a juventude possa sonhar e gastar sua energia de forma sadia. E casar um projeto esportivo com projeto de leitura, dando utilidade à biblioteca pública. Descobrir a biblioteca pública, na época com seu Albenízio Nascimento à frente, e o esporte, foram coisas que mudaram minha vida.

Denis Souza em meio aos atletas do seu Projeto Escolinha de Futsal

John Lennon dizia: "- Você pode-me chamar de sonhador. Mas não sou o único. Espero que um dia você se junte a nós e o mundo será um só." Raul Seixas dizia que: "sonha que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade." Vamos sonhar junto com Denis. Vamos mudar para melhor essa realidade. E que o Poder Público acorde e faça sua parte, que tenha mais responsabilidade e compromisso com a cultura e com o esporte, que é um direito humano universal e fundamental a qualquer povo, sociedade e nação civilizada. Civilizemo-nos e vivamos o que disse Raul Seixas, vamos sonhar juntos e fazer juntos, para que o sonho vire realidade e se houver algum átomo de responsabilidade no Poder Público que faça sua parte:




Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails