segunda-feira, 8 de abril de 2013

MENIRES, CROMELEQUES E DOLMENS NA REGIÃO DE ÉVORA - PORTUGAL - PATRIMÔNIO HISTÓRICO DA HUMANIDADE QUE JÁ ESTAVAM DE PÉ MILHARES DE ANOS ANTES DAS GRANDES PIRÂMIDES DO EGITO - MARAVILHAS DA IDADE DA PEDRA!


Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
Testemunhas de um Cultura de Tempos Imemoriais
(Fotos: Valdecy Alves/Mara Paulo - quem copiar citar a fonte)
COMO CHEGAR  AOS MEGÁLITOS DE ÉVORA: Pode-se ir de trem ou de ônibus até Évora, cidade na região do Alentejo, a cerca de 130 km de Lisboa. Mas de táxi é bem melhor, pois fica à disposição  e volta quando se bem quer. Antes mesmo de chegar à cidade de Évora há placas indicando o Cromeleque de Almendres. Basta seguir as placas, bem sinalizado. Primeiro se chegará ao Menir de Almendres, em seguida ao Cromeleque de Almendres. Parte da estrada é de terra e do estacionamento do carro até os monumentos tem-se que caminhar a pé. Nunca mais que 06 minutos de caminhada. Ao final da qual chega-se aos maravilhosos monumentos. A região é rica, bela, deslumbrante. Os monumentos do neolítico maravilhosos. 
Menir de Almendres - Évora - Portugal

MENIR DE ALMENDRES: monumento solitário, próximo ao Cromeleque de Almendres, com que se alinha, anunciando a chegada do solstício, momento astronômico de grande importância para os povos da região que eram agricultores. SENDO IMPORTANTE RESSALTAR QUE NA ÉPOCA QUE O MENIR FOI ERGUIDO, COINCIDE COM O MOMENTO EM QUE SE CRIOU A AGRICULTURA, COLOCANDO-SE FIM AO NOMANDISMO DO SER HUMANO. Solstícios e equinócios tinham a mesma importância para os antigos povos que ergueram os menires que tem para o povo do Nordeste do Brasil o Equinócio que ocorre no mês de março. Fato que no Ceará é assinalado como dia de São José, que indica o momento de plantar para colher no solstício de junho, que a Igreja transformou no dia de São João a exemplo do dia de São José. 

Menir de Almendres - Évora - Portugal - Base de Sustentação

O Menir de Almendres mede cerca de quatro metros. Tem importante significado religioso. Encontra-se num alto, no meio de um círculo e chama atenção pelo formato, pelo tamanho, pela beleza e por estar ali há mais de 5.000 anos antes de nascimento de Cristo. Não se sabe se alguma obra dos tempos  tem como durar tantos milênios.
Próximo ao Menir de Almendres - Solitário e Gigantesco

Foto de Placa Local Sobre o Menir de Almendres
Menir de Almendres - Évora - Portugal
Chegada ao Local dos Megálitos
CROMELEQUE DE ALMENDRES: A palavra cromeleque pode ser traduzida para o português como pedras em forma de círculo. Cerca de 95 pedras colocadas de pé, menires, que ao mesmo tempo formam uma elipse e em seguida um círculo constituem o Cromeleque de Almendres, que fica a cerca de 13 km da Cidade de Évora, Portugal. Na Região do Alentejo, conhecida pela produção de vinhos excelentes e de cortiças para vinho. Há exemplos semelhantes em Stonehenge, na Inglaterra, e em Calçoene no Estado do Amapá, Brasil.
No Cromeleque de Almendres - Évora - Portugal - Santuário Religioso com mais de 7;000 anos

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
O Cromeleque de Almendres tem mais de 7.000 anos, isto é, já tinha mais de 3.000 anos quando foram erguidas as primeiras pirâmides do Egito. Milhares de anos antes do nascimento de Jesus. Numa linguagem mais simples, quando Jesus nasceu o Cromeleque de Almendres já existia há mais de 5.000 anos. Trata-e de um conjunto de 95 menires, dispostos em forma circular, com cerca 80 metros de comprimento. Um verdadeiro santuário religioso para o povo daquela rica cultura, que não apenas dominava astronomia, como avançadas técnicas de esculpir, deslocar e erguer construções gigantescas, utilizando pedras com milhares de toneladas, transportadas de locais distantes. Foi descoberto em 1964. No local foram encontradas várias ferramentas utilizadas pelo povo que viveu no local. 07 dos menires do Cromeleque de Almendres têm desenhos esculpidos.



Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era Neolítica
Menir com Desenho

Foto de placa com informações locais

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica

o Cromeleque de Almendres - Évora - Portugal - Santuário Religioso com mais de 7;000 anos

Arqueólogo Portugês Antonio Carlos Silva
Responsável pela área dos Megálitos de Évora

Planta do Cromeleque de Almendres
Fonte: Wikipédia
Menir do Cromeleque de Almendres com Desenhos

Menir do Cromeleque de Almendres com Desenhos em Círculos

Ao lado do arqueólogo Antonio Carlos Silva

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
Testemunhas de um Cultura de Tempos Imemoriais

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
Testemunhas de um Cultura de Tempos Imemoriais

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
Testemunhas de um Cultura de Tempos Imemoriais

Cromeleque de Almendres - Obra-prima da era  Neolítica
Testemunhas de um Cultura de Tempos Imemoriais 

ANTA GRANDE DO ZAMBUJEIRO - A Anta Grande do Zambujeiro é o maior túmulo da pré-história da Europa. composta por um corredor com cerca de 12 metros de comprimento, 1,5 metro de largura e 2 metros de altura, que findam na grande urna funerária circular, formada por pedras com cerca de 08 metros de altura, circular, com diâmetro aproximado de 04 metros, erguida cerca de 4.000 anos antes de Cristo, ou seja, existe há 6.000 anos. Mais antigo que Stonehenge. Localiza-se a cerca de 06 km do Cromeleque de Alemendres. No Brasil há dólmens semelhantes, ainda por serem estudados e catalogados. 




ANTA GRANDE DO ZAMBUJEIRO - MAIOR DÓLMEN DA EUROPA
Gigantesco Túmulo da Pré-história

No Corredor que Leva a Grande Urna Funerária
Placa local com informações


Rocha gigantesca que cobria o corredor que conduzia à urna

Urna funerária da Anta do Zambujeiro


Urna funerária da Anta do Zambujeiro
Formada por Pedras com cerca de 8 metros de altura

Visão da Urna Funerária a partir do corredor
Portugal trata melhor seu patrimônio da pré-história que o Brasil, que sequer conhece, que sequer catalogou ou investe em sua conservação, em pesquisa para conhecimento das culturas dos povos pré-históricos que viveram em terro brasileiro, onde ocorreu não apenas em grande profusão a arte rupestre, como o megalitismo.  Questão que envolve antropologia, história e grande potencial turístico ainda a ser explorado pelo Brasil. Falta investimento da União, dos Estados da Federação e dos prefeitos de Municípios onde existem monumentos ou megálitos da Idade da Pedra. Mas nunca é tarde para começar pesquisas e a valorização que todo o patrimônio da pré-história do Brasil. 

ABAIXO MAIS FOTOS DA VISITA A LUGARES ESPETACULARES:

Chegando ao grande Dólmen em Portugal

Visão lateral e completa da Urna do Zambujeiro

Um comentário:

marialady disse...

Observei todas as fotos e comentários, fiquei encantada, pois, desconhecia esta região de Portugal, pois, quando estive neste País, a nossa excursão não alcançou a cidade de Évora... Quem sabe com este esclarecimento postado, voltarei a Portugal, incluindo a cidade de Évora e seu patrimõnio histórico...

Related Posts with Thumbnails