domingo, 28 de julho de 2013

CARTA AOS MÉDICOS BRASILEIROS – SE A POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE É UM CAOS – A FALTA DE HUMANISMO DA MAIORIA DOS MÉDICOS – A INCOMPETÊNCIA DE ALGUNS – O MERCENARISMO E ATÉ A FALTA DE COMPROMISSO COM O DIREITO À VIDA DA MAIORIA DE TAIS PROFISSIONAIS... TORNAM A POLÍTICA DA SAÚDE UM INFERNO! MESMO QUANDO SE PAGA A UM MÉDICO PARTICULARMENTE O CONSUMIDOR É TRATADO COMO COISA E O TRABALHO PRESTADO COMO MERCADORIA INEFICAZ – HORA DE MUDAR! SENHORES MÉDICOS! COMO OS POLÍTICOS VOCÊS ESTÃO PERDENDO A CREDIBILIDADE DO POVO BRASILEIRO! HORA DE SÓ EXERCER A MEDICINA SE FOREM APROVADOS EM TESTE A EXEMPLO DA OAB!

Os médicos criaram um abismo entre eles e o paciente tornando-se autoridade técnica ineficaz
DIREITO À SAÚDE É DIREITO HUMANO FUNDAMENTAL: Está na Constituição Federal, que o direito à saúde é dever do Estado, em seu artigo 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.  Lembrando que o direito à saúde, através de políticas públicas, é forma de garantia ao direito à vida: Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida...

Logo há uma semelhança e uma diferença entre o político que não investe na política da saúde e um assassino. A semelhança: AMBOS MATAM. A diferença é que um assassino, mesmo um pistoleiro de aluguel, pode matar alguns, o político incompetente pode matar milhares e com o dinheiro roubado da saúde ainda comprar votos, ser reeleito, para matar mais, para roubar mais e se perpetuar no poder com o seu grupo político, pois tal tipo de ladrão, é sempre a ponta do iceberg de uma quadrilha maior.

TODAVIA o mau médico, o médico irresponsável, o que só pensa em dinheiro e trata o paciente como coisa e faz do seu trabalho mercadoria, nivela-se com o matador, muitos são apelidados de açougueiros! Nivela-se com o político corrupto. SAÚDE TEM A VER COM DIGNIDADE HUMANA! LOGO É INDIGNO O PROFISSIONAL DA MEDICINA QUE FERE A DIGNIDADE HUMANA AO TRABALHAR!

MAS SERIA MUITO FÁCIL CULPAR APENAS OS POLÍTICOS PELAS FALHAS NA POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE, O MAU POLÍTICO, A CORRUPÇÃO. Mas o prédio da má qualidade da política pública da saúde tem outro culpado: O MÉDICO, principal ferramenta da efetivação da política pública da saúde.  POR ISSO A PRESENTE CARTA É DIRIGIDA AOS MÉDICOS, que precisam mudar sua postura, seja atuando no setor público, seja atuando no setor privado, quando fazem do seu trabalho mercadoria de má qualidade. É bom que empreguem primeiro médicos brasileiros no Brasil, não se fechando as portas para médicos estrangeiros,  mas a política de saúde não tem como fim empregar médicos brasileiros, MAS A SAÚDE E O DIREITO À VIDA DO POVO BRASILEIRO! OS MÉDICOS NÃO SÃO UM FIM EM SI MESMO! NEM PODERIAM SÊ-LO!

A incompetência do maioria dos médicos somada com política pública ineficaz
Fez do direito à saúde um inferno e do médico um açogueiro
 MÉDICOS SEM HUMANISMO: A grande maioria dos médicos ao atender um pobre num hospital público, trata o ser humano pior que um prisioneiro, bem pior que um escravo, como uma coisa. ANIQUILANDO A DIGNIDADE HUMANA E SUA DIGNIDADE PROFISSIONAL!  Atende muitas vezes sem olhar para o paciente. Como se fosse autista, como se nada houvesse à sua frente, como um estorvo... O PODER DA AUTORIDADE serve apenas para prática de abusos. Um médico que atenda sem humanismo causa mais mal, MUITAS VEZES, que a doença que levou o paciente à sua presença ou a um desgraçado hospital público. MAIS HUMANISMO! MAIS AMOR! MAIS FRATERNIDADE! SENHORES MÉDICOS BRASILEIROS! Qualquer pessoa desse país tem uma horrível experiência a contar que teve com algum médico na hora o desatendimento. O QUE É LAMENTÁVEL!

DA INCOMPETÊNCIA: É muito comum, contratarem médicos no interior do Estado, que passam a atender todo tipo de doença. Os erros médicos se tornam regras. Muitos morrem nessa via crucis... Sem falar em concessão de atestados para quem não está doente ou a negação de atestados  para doentes... muitos médicos seguindo ordens de políticos que dizem:  - negar tudo aos adversários políticos e conceder tudo aos correligionários... sem falar nos médicos peritos, sejam do INSS, sejam de regimes próprios de previdência Brasil afora, que ao atenderem quem busca auxílio doença ou aposentadoria por invalidez... têm seus direitos violados por força da politicagem... MAIS COMPETÊNCIA. QUE OS CONSELHOS DE MEDICINA LUTEM NÃO APENAS PELO INTERESSE CORPORATIVO DOS MÉDICOS, MAS TAMBÉM PARA QUE SEJAM COMPETENTES E PELA QUALIDADE DO SERVIÇO QUE OS MÉDICOS PRESTEM. Pondo fim a lendária MÁFIA BRANCA, sobre a qual todos sussurram nos bastidores. A exemplo da formação dos médicos, das universidades, os Conselhos de Medicina precisam mudar sua cultura, libertando-se dos limites do corporativismo vazio e egoísta! Os médicos só devem medicar se aprovados em testes semelhantes aos aprovados pela OAB e formarem-se no menor tempo possível, senhor Ministro da Educação.

DA FALTA DE COMPROMISSO COM A VIDA: o exercício da medicina não é um fim para empregar o médico, mas  meio para garantir o direito à vida, direito humano universal e fundamental dos seres humanos. O médico é meio e não fim em si mesmo. NECESSÁRIO INVERTER O EIXO QUE ESTÁ FAZENDO DO MÉDICO UM FIM, DA SUA AUTORIDADE TÉCNICA MEIO PARA ABUSOS DE TODA ORDEM e de realmente ter compromisso com o direito à vida! Médicos brasileiros, tenham compromisso com a vida! Procurem compreender o que é fraternidade, amor, responsabilidade, dignidade humana! Sua autoridade só se justifica pela eficácia do seu trabalho, não pelo diploma, muitas vezes imerecido, na parede!

O MÉDICO CAPITALISTA: nada contra o lucro do médico. Mas é possível fazer do seu trabalho algo mais que uma mercadoria e se não for possível ir além da atividade mercadoria, que a mercadoria preste, tenha eficiência. POIS É ESTELIONATO VENDER UM SERVIÇO INEFICAZ, OFERECER REMÉDIO SOBRE O QUAL GANHARÁ COMISSÃO OU PIOR: fazer do paciente a galinha dos ovos de ouro, sempre dando um jeitinho para que o paciente fique voltando sempre ao consultório para garantia do lucro! ISSO É QUALQUER COISA, menos medicina comprometida com o direito à vida. Gente não é coisa! Desse  jeito vocês acabarão com a credibilidade até mesmo da medicina. NÃO QUEREM MÉDICOS ESTRANGEIROS, ao menos façam seu trabalho direito!

Ainda vem a falta de condições de trabalho e tem-se campos de concentração em postos e hospitais
QUE VERGONHA MÉDICOS E POLÍTICOS BRASILEIROS!

DA NECESSIDADE DE MUDANÇA: inaceitável, as coisas continuarem como estão: POLÍTICA PÚBLICA PARA SAÚDE INEFICAZ TENDO COMO SUA PRINCIPAL FERRAMENTA DE EFETIVAÇÃO A MAIORIA, NÃO DISSE TODOS, MAS A MAIORIA DE MÉDICOS SEM COMPROMISSO COM O DIREITO Á VIDA, QUE TRATA SEUS PACIENTES COMO COISAS! COMO FONTE DE LUCRO IMERECIDO!

Mais do que nunca as universidades que formam médicos e os conselhos de medicina precisam ampliar seu raio de atuação, LIBERTANDO-SE DAS FRONTEIRAS DO CORPORATIVISMO VAZIO. Sob pena de serem um mal pior que a doença, tão prejudiciais quanto à corrupção. Talvez só restando ao povo, sempre a vítima maior, voltar aos rezadores ou a pajelanças, que oferecerão mais que a medicina: AO MENOS HUMANIDADE E COMPAIXÃO! Mudem e rápido! ANTES TARDE DO QUE NUNCA. E não se esqueçam do juramento que fizeram ao formar-se. Pois leram e não permitiram que se fixasse dentro dos seus corações, por isso mesmo esquecendo-se de sua principal função e até mesmo da ética mínima. Eis o juramento de HIPÓCRATES, que não pode ser confundido com hipocrisia, que tem que ser lembrado cada vez que for atender um paciente, seja concursado do setor público, seja médico particular:

Eu juro, por Apolo, médico, por Esculápio, Higeia e Panaceia, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue: estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens; ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes.
Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva.
Conservarei imaculada minha vida e minha arte.
Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam.
Em toda a casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução sobretudo longe dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados.
Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.
Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça.

MÉDICOS BRASILEIROS, NÃO SE ESQUEÇAM DISSO!

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto! Muito bem argumentado descreve de forma clara e eficiente a realidade da saúde pública n Brasil, mostrando com eficiência e convicção que nesse cenário não se pode culpar apenas o poder público pela ineficácia da saúde no Brasil.

Heleno Paiva disse...

Desde a Convenção de Genebra de 1948, esse é o juramento médico protocolado, esse foi o juramento que fiz:
"Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da minha profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu para sempre a minha vida e a minha arte com boa reputação entre os homens; se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário."

Related Posts with Thumbnails